Cabeçalho

Logotipo

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Cruzeiro lança aplicativo oficial do Sócio do Futebol

 
Mais um ano chegando ao seu final, os clubes já pensam em 2015 e a aquela famosa correria por reforços. Pelo menos no Cruzeiro, o trabalho segue à todo vapor nos bastidores. Prova disso, é o lançamento do aplicativo oficial do seu programa de sócio-torcedor, o Sócio do Futebol.
Através dele, o associado cruzeirense poderá ter acesso a uma infinidade de informações, como por exemplo:
- Resgatar brindes e consultar pontos conquistados.
- Conferir as estatísticas do Clube, o histórico dos jogos e informações sobre o plantel.
- Consultar a evolução do número de Sócios do Futebol do Clube
- Consultar o valor de descontos obtido pelo Sócio no programa Futebol Melhor.
- Pesquisar estabelecimentos e produtos vinculados ao programa Futebol Melhor.
- Ter informações sobre abertura de novas vagas em cada categoria do programa Sócio do Futebol.
- Consultar a sua cadeira no estádio.
- Compartilhar de notícias e vídeos via rede sociais, inclusive o WhatsApp
- Receber notificações de novos brindes, notícias, vídeos.
 
 
Já disponível para download, o aplicativo oficial do Sócio do Futebol caiu no gosto do torcedor e já está em primeiro lugar na categoria “Esportes” na AppStore.
Fonte: MKT Esportivo

Atletas criticam escolha de Ministro do Esporte

ONG de atletas mais influentes do país critica "barganha política" feita pelo governo

A ONG "Atletas pelo Brasil", mais influente organização de ex-atletas do país, divulgou nesta segunda-feira uma nota de repúdio contra a escolha de George Hilton para Ministro do Esporte. Segundo a entidade, que é encabeçada por nomes como Raí, Bernardinho, Ana Mozer e Paula, o governo federal, mais uma vez, tratou a pasta como "barganha política" ao optar por Hilton, que é pastor evangélico, apresentador de TV e não tem qualquer relação com o esporte. 
"Exigimos muito mais respeito e cuidado com tudo que envolve o tema Esporte no Brasil. O que está muito longe de acontecer quando constatamos os critérios, ou a falta deles, que foram usados para a escolha do novo ministro", afirmou a entidade por meio de uma nota oficial.
Segundo a ONG, que desde 2009 tem atuado mais próximo do Ministério do Esporte, o governo não se preocupa com quem exerce a função de ministro.
"Infelizmente, há anos, o Ministério do Esporte é usado na barganha política. Não se trata de decidir quem seria a melhor pessoa para ocupar o cargo, mas qual partido o terá de acordo com as alianças e que decidirá a seu bel-prazer quem o representará. Nem mesmo uma familiaridade com o tema é observada, o que traz enormes prejuízos ao esporte e ao País em um setor que está à frente de um enorme investimento com os megaeventos esportivos", disse a entidade.
A escolha de Hilton foi feita pelo PRB, partido que "ganhou" o direito de nomear o responsável pela pasta. Essa é a primeira vez no governo do PT que um ministro do Esporte não é escolhido pelo PC do B.
"A nomeação com critério unicamente político, na maior parte das vezes, traz consigo o aumento da ineficiência de gestão, descontinuidade da política, reinício de convencimentos e processos e tudo isso com custo aos cofres públicos. Às vésperas das Olimpíadas, a Presidente Dilma abriu mão de uma oportunidade de melhorar a gestão do esporte. Decepcionou todo um setor de atletas, jornalistas, empresários, organizações, trabalhadores e amantes do esporte em geral", criticou a ONG.
A instituição também foi enfática ao dizer sobre a atuação dos governantes na formação de atletas, principal bandeira levantada pelos ex-atletas.
"Nós, atletas, não podemos mais ser mais usados simplesmente para fotos conjuntas em momentos de vitória nacional. Vamos ser francos, essas conquistas são muitas vezes obtidas a despeito da política esportiva, da legislação e da condução nacional do esporte. E, em alguns casos, encontrando até forças contrárias a dificultar o caminho. Se os governantes querem estar ao lado das vitórias, devem tomar consciência da sua enorme responsabilidade nas derrotas".

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/atletas-criticam-escolha-de-ministro-do-esporte_27624.html#ixzz3NNZPt4Ff

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Atlético Mineiro fecha com empresas locais para 2015

Clube deve oficializar hoje Vilma Alimentos para a manga e terá só parceiros de MG

O Clube Atlético Mineiro vai levar o estado de Minas Gerais na camisa onde jogar em 2015. Após “sofrer” com o fim do patrocínio do banco BMG, o clube fechou três acordos “caseiros” de patrocínio para a temporada.
Nesta segunda-feira deverá ser oficializada a parceria com a Vilma Alimentos, que vai ocupar a manga da camisa do Atlético e também do rival Cruzeiro.
“A Vilma completa 90 anos em 2015 e nós consideramos que o patrocínio às duas maiores alegrias de Minas Gerais é uma excelente forma de comemoração. Vamos comemorar juntos”, disse o diretor de marketing da empresa, Thiago Costa, ao “Superesportes”.
Ela entrará no lugar da MRV Engenharia, que no último dia 23 confirmou a entrada na cota máster do uniforme, compensando a saída do banco BMG. Com isso, a MRV completa dez anos de parceria com o Atlético.
As duas marcas terão a companhia da cooperativa de leite Cemil, que estará no ombro do uniforme alvinegro em 2015 e também no ombro do Cruzeiro.
Os dois clubes mineiros deverão ter como distinção apenas o patrocinador máster em 2015.
O  atual bicampeão brasileiro já acertou as bases de um contrato com a Caixa Econômica Federal, mas ainda depende de uma confirmação da continuação da diretoria do banco para que o acordo seja anunciado, o que só deve ocorrer em janeiro.
O acerto com as empresas mineiras reforça a participação de empresas de alimentos no futebol. Neste mês já foi confirmada também a marca Guaraviton, da Vitton 44, no espaço máster do Fluminense, em substituição à Unimed, que deixou o clube.
Cemil e Vilma Alimentos são, até agora, as novidades dos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro em relação a patrocínios para a próxima temporada.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/atletico-mineiro-fecha-com-empresas-locais-para-2015_27618.html#ixzz3NIs1Ouc7

#LaPasiónDeMillones | A nova campanha do Millonarios mexe com o brio do verdadeiro torcedor

 
Mexer com a paixão e o brio do seu torcedor. É isto que os vídeos motivacionais de clubes sul-americanos fazem de melhor. O exemplo mais recente vem do Millonarios, uma das equipes mais tradicionais da Colômbia e que já foi 14 vezes campeã nacional.
Sua nova campanha por abonados, intitulada La Pasión de Millones, conta com um comercial de arrepiar e um material promocional de muita qualidade, com o foco na presença do torcedor no lugar mais sagrado de um clube: seu estádio.
Fonte: MKT Esportivo

domingo, 28 de dezembro de 2014

Carioca-2015 perde patrocínio de R$ 4 milhões: ‘Não dá retorno’, diz empresário


Sobrou para a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) pagar a conta pelos investimentos da Viton 44 em patrocínios a Botafogo, Flamengo e Fluminense.
Em 2014, a um custo de R$ 4 milhões, a empresa comprou os "naming rights" (direito de adicionar a marca ao nome do torneio) do Carioca, que passou a ter seu nome vinculado a uma das principais bebidas da empresa. Há cerca de duas semanas, emissários da entidade foram informados que o acordo não seria renovado.
- Elimina, não existe mais. Estiveram aqui e avisei que não vou fazer. Não dá retorno - disse Neville Proa, dono da Viton 44.
Além de ter considerado baixo o retorno de mídia com o investimento, Proa entende que suas marcas têm muito mais visibilidade quando estão vinculadas aos grandes clubes. Somados os investimentos no trio, a empresa está investindo algo em torno de R$ 45 milhões.
Com a perda desta verba, a Ferj autorizou agências de marketing a irem ao mercado em busca de uma empresa que queira adquirir esta propriedade.
A assessoria de imprensa da federação informou que ninguém comentaria o assunto, pois a Ferj está em recesso desde o dia 10 de dezembro.

Leia mais:
http://extra.globo.com/esporte/carioca-2015-perde-patrocinio-de-4-milhoes-nao-da-retorno-diz-empresario-14919221.html#ixzz3N6AjdNaS

sábado, 27 de dezembro de 2014

Vasco quita dívidas com a Fazenda Nacional e recebe certidão negativa

Para ter o documento, clube de São Januário investiu mais de R$ 12 milhões



RIO - Na noite desta sexta-feira, o Vasco informou, em seu site oficial, ter conseguido a certidão positiva com efeitos de negativa. Isso significa que está regularizada a situação do clube em relação aos débitos fiscais. Expedida pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e pela Receita Federal do Brasil, a certidão informa a situação fiscal da pessoa física ou jurídica diante da Fazenda Nacional, em relação aos débitos previdenciários e aos não previdenciários. Para receber a certidão, o Vasco investiu mais de R$ 12 milhões.



Com este documento, o clube pode receber o patrocínio da Caixa Econômica Federal, que anuncia no principal espaço do uniforme vascaíno. A intenção da diretoria é renovar o contrato com o banco, que termina em 2015.
Segundo a nota divulgada pelo Clube, o presidente Eurico Miranda diz que 'um esforço desses faz com que o investimento esportivo seja menor neste momento, mas sem viabilizar o clube e resgatar a credibilidade os pilares do VASCO seriam frágeis para a caminhada que todos os torcedores querem'.
Além disso, o Vasco tenta regularizar os salários. Para a próxima temporada, a determinação é reduzir ao máximo a folha de pagamentos. Jogadores que tinham altos vencimentos, como Douglas e Kléber já deixaram o clube, assim como o técnico Joel Santana, substituído por Doriva, com salário bem mais baixo.

Leia mais sobre esse assunto em
http://oglobo.globo.com/esportes/vasco-quita-dividas-com-fazenda-nacional-recebe-certidao-negativa-14919126#ixzz3N6AUR0K1
© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Fla tem pior marca de sócios-torcedores desde outubro de 2013

Clube vê queda nesta temporada e número chega a 52.266 membros, tornando-se apenas o sétimo colocado entre os programas no Movimento por um Futebol Melhor


Quando atingiu 64.019 sócios-torcedores em abril deste ano, o Flamengo comemorou a consolidação na terceira colocação entre os programas dos clubes cadastrados no Movimento por um Futebol Melhor, atrás apenas de Internacional e Grêmio. No entanto, oito meses depois, a situação é bem diferente, com a perda de quase 12 mil membros e a queda para o sétimo lugar na lista com 52.266 sócios-torcedores.

A preocupação no clube é grande com o que vem pela frente. O programa teve um crescimento fora da curva entre outubro e novembro de 2013, com quase 20 mil adesões, mas agora carrega a marca de maior queda de 2014, com 6.754 sócios a menos do que iniciou o ano.

A atual gestão do Flamengo sempre tratou o programa de sócio-torcedor como prioridade. A partir dele, imaginava ter receita para contratar reforços de peso no futebol. No entanto, o resultado financeiro ainda não foi capaz de produzir essa mudança de patamar no time.

Até setembro deste ano, o Flamengo registrou a arrecadação de R$ 24 milhões, segundo seu balanço trimestral. O valor total deve ficar em torno de R$ 30 milhões. Para a próxima temporada, em seu orçamento, o clube prevê R$ 37 milhões de receita com o programa.

A expectativa do Flamengo em seu orçamento é de que o clube mantenha uma média de 60 mil sócios-torcedores. No documento, registra que em 2014 essa média foi de 59 mil, mas desde maio está abaixo dessa marca.

Para conquistar novos sócios, o Flamengo fez algumas ações em 2014 e chegou a fazer uma promoção na qual a compra de um ingresso valeria uma mensalidade grátis do programa. Mesmo assim, a procura pelo cadastramento não foi a esperada.

Em 2015, o clube procura um jogador para ser a nova cara do time e representar o Flamengo em ações comerciais capazes de alavancar o programa. Mas a questão financeira tem pesado e a expectativa é de que apenas em janeiro haja uma resposta para essa busca.

Fonte: Globoesporte.com

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Atlético-MG fecha acordo com novo patrocinador master para 2015

MRV sai das mangas da camisa do Galo e vai aparecer em espaço mais valioso


O patrocinador master da camisa do o Atlético-MG vai mudar em 2015. A BMG abre espaço para a MRV Engenharia, que vai pular das mangas alvinegras para o espaço mais valioso, no peito.
O acordo foi confirmado nesta terça-feira pelo presidente do Conselho de Administração da companhia, Rubens Menin.
- Marketing esportivo engrandece a empresa. Parceria da MRV Engenharia com Atlético Mineiro já dura mais de 10 anos e é muito proveitosa para ambas as partes - publicou o executivo no Twitter.
No dia 15, a MRV já tinha anunciado a prorrogação da parceria com o time mineiro até o fim de 2017. Não será a primeira vez que a MRV irá aparecer no espaço principal da camisa do Galo. O mesmo aconteceu entre 2004 e 2007.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/atletico-mineiro/Atletico-MG-acerta-patrocinador-master-temporada_0_1271872872.html#ixzz3MkavHD6C
© 1997-2014 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

#Copa2014 | Camisa da tetracampeã Alemanha bate recorde de vendas


A adidas anunciou que vendeu mais de 3 milhões de camisas da campeã Alemanha desde o seu lançamento, em 2013. Impulsionado pelo título da Copa do Mundo FIFA 2014, o número de vendas é dez vezes maior que o da edição 2010 do torneio, realizado na África do Sul, e o dobro em relação a 2006, ano que sediou o Mundial.
Antes da Copa no Brasil, a meta da adidas era alcançar a marca de 2 milhões de uniformes comercializados. A camisa já com a quarta estrela e o patch dourado da entidade colaboraram para este sucesso. Ainda de acordo com a marca, cerca de 1/3 das peças foram vendidas fora do território alemão, denotando o apelo global da atual seleção de Joachim Löw.
 
Na Alemanha, a título de comparação, o todo-poderoso Bayern de Munique também bateu recorde de camisas vendidas, mas com menos da metade da seleção do seu país: cerca de 1.3 milhão de unidades.

Fonte: MKT Esportivo

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Conselho aprova e Viton 44 amplia patrocínio ao Flamengo

Aprovado por maioria absoluta do Conselho Deliberativo do Flamengo, a Viton 44 seguirá com o clube e ampliará sua presença no uniforme rubro-negro para 2015.
Na continuidade do acordo, a marca irá inserir a Guaraviton nas mangas do uniforme do clube, passando a Guaravita para a parte de trás da camisa flamenguista, local antes ocupado pela Peugeot. O contrato renderá um total de R$ 20 milhões aos cofres do Flamengo (R$ 7 milhões das mangas e R$ 13 milhões pelas costas).
Patrocinadora do Fluminense e Botafogo para a próxima temporada, o acordo foi divulgado através das redes sociais do Flamengo com a presença do craque Zico.
Fonte: MKT Esportivo

Gatorade fecha naming rights de pré-temporada do Grêmio


Pioneiro no futebol brasileiro quando o assunto é naming rights em sua pré-temporada, o Grêmio acertou pelo segundo ano consecutivo a venda desta propriedade para a próximo temporada.
A Gatorade será a parceira do clube gaúcho em sua preparação para 2015. A “Pré-Temporada Gatorade Grêmio 2015” será realizada em Gramado durante onze dias de janeiro. Pelo acordo, a líder do mercado de isotônicos estará no material institucional produzido pelo Grêmio, além de exposição em placas de publicidade e painéis espalhados por toda a cidade. As redes sociais também promoverão a parceria.
Nesta temporada, a Topper, atual fornecedora de material esportiva do clube, foi a responsável por nomear o período de preparação gremista para 2014. Neste ano, a Gatorade intensificou sua parceria de mais de 20 anos com o Grêmio e fechou o acordo.

Fonte: MKT Esportivo

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Academia LANCE! A média de público da Série A cresceu 28% desde 2012


Série A 2014 trouxe uma boa novidade em relação às edições anteriores, um aumento bastante positivo de sua média de público. A competição encerrou essa última edição com média de 16.555 torcedores por partida, com uma ocupação dos estádios de cerca de 40%.
O resultado é muito baixo na comparação com as principais ligas do Mundo, mas pelo menos apresentamos uma melhora. A s obras em importantes estádios para a Copa do Mundo pioraram o os números de 2012 e 2013.
Os dados de 2014 representam um aumento de 11% em relação a 2013 e 28% na comparação com 2012. Desde a adoção dos pontos corridos somente nos anos de 2007, 2008 e 2009 as médias foram superiores as atuais, na casa dos 17.400 torcedores por partida.
Essa melhora foi consequência direta da inauguração de novas arenas e de certo grau de motivação do torcedor em conhecer essa nova infraestrutura depois da Copa do Mundo. O bom desempenho de alguns times também contribuiu para esse processo de elevação de público.
Um fator bastante positivo foi o aumento de times com médias de público mais altas. Na Série A de 2014 sete clubes obtiveram média de público superior a 19.000 torcedores por partida. No ano passado foram cinco clubes e na edição de 2012 apenas um.
Muitos defendem que as competições de mata-mata lotam muito mais os estádios que os pontos corridos. Mas analisando a média de público histórica do Campeonato Brasileiro essa afirmação cai por terra. Das 44 edições realizadas desde 1971, somente em seis temporadas as médias foram maiores no mata-mata que pontos corridos.
As maiores médias da história foram nos anos de 1983 com 22.953 por partida, 1987 com media de 20.877 e 1980 com 20.792. As demais já estão mais próximas de várias edições dos pontos corridos e muitas delas abaixo.
Assim, um esforço dos clubes com médias de público baixas em elevá-las um pouco e das grandes médias em crescer também, não é impossível que superemos 25.000 torcedores por partida em três ou quatro anos.
Se conseguirmos isso em pouco tempo o formato dos pontos corridos estará consolidado como o que tem as melhores médias de púbico da história do futebol brasileiro.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/minuto/Academia-LANCE-publico-Serie-cresceu_0_1271272989.html#ixzz3MjHFU6M4
© 1997-2014 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Fla prioriza pagar dívida e eleva previsão de gastos com reforços

Rubro-Negro destina 40% de seu orçamento para reduzir dívidas e planeja desembolsar R$ 30 milhões na compra de direitos de jogadores



Com um orçamento aprovado de R$ 365 milhões para 2015, o Flamengo segue o padrão da diretoria atual e planeja mais uma temporada de pagamentos de dívidas. A previsão é de que R$ 148 milhões tenham esse destino, ou seja, 40% do total previsto para ser arrecadado no ano que vem.

Com as despesas operacionais, o Flamengo tem a previsão de gastar quase R$ 200 milhões. Nesse montante, está incluído o investimento no departamento de futebol, superior a R$ 130 milhões.

Com o acordo firmado com a Viton 44 (R$ 20 milhões) e a rescisão da Peugeot, o Flamengo fechou o pacote de parceiros para o uniforme de futebol com o total de R$ 49 milhões – o valor da camisa rubro-negra chega a R$ 86 milhões anuais ao ser incluído o valor pago pela Adidas (R$ 37 milhões).

Ainda no futebol, o Flamengo renovou o acordo com a TIM, que rende R$ 4 milhões por ano. Ainda assim, no orçamento de 2015 também está previsto o valor de R$ 9 milhões do parceiro através de projetos incentivados. Ele deve ser destinado ao basquete para pagamento de vencimentos atrasados.
Segundo o diretor jurídico Paulo Dutra, em receitas antecipadas, o Flamengo chegou ao valor de R$ 41,6 milhões.
– Estão no resultado econômico mas não no fluxo de caixa. Deste valor, R$ 20 milhões são referentes a luvas de contratos – afirmou Paulo Dutra.

A previsão para o fim da temporada de 2015 é de um lucro de pouco mais de R$ 100 milhões. Da arrecadação registrada no orçamento do ano que vem, existe a expectativa de uma receita de R$ 10 milhões com a venda de direitos sobre jogadores. Neste ano, foram pouco mais de R$ 3 milhões.

Por outro lado, houve um adendo na proposta orçamentária para investimento na compra de direitos de jogadores. Inicialmente, a previsão era de R$ 10 milhões. No entanto, foi aprovado previamente um empréstimo de R$ 20 milhões para esse fim, totalizando R$ 30 milhões.
Fonte: Globoesporte.com

Deliberativo do Flamengo se reúne para votar patrocínio milionário

Conselheiros fazem reunião nesta terça-feira por contrato com a Viton 44 de R$ 20 milhões




O Conselho Deliberativo do Flamengo se reúne nesta terça-feira, às 20h, na Gávea, para votar a prorrogação do contrato de patrocínio com a Viton 44 até o fim de 2015. No novo acordo, a empresa de bebidas, que também patrocina o Fluminense e o Botafogo, vai pagar R$ 20 milhões para estampar a marca nas costas e nas mangas do uniforme rubro-negro durante os próximos 12 meses.

Deste montante, R$ 7 milhões representam as mangas e R$ 13 milhões as costas. Na mesma reunião, os conselheiros irão apreciar a rescisão de contrato de patrocínio com a Peugeot com um ano de antecipação. Em 2015, a montadora pagaria a quantia de R$ 10 milhões para ocupar as costas.

Como multa de rescisão, o Flamengo receberá da Peugeot aproximadamente R$ 5 milhões. E como a parceria foi considerada boa por ambas as partes, o Fla manterá, por alguns meses, o logo da montadora na barra da camisa de basquete.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/flamengo/Deliberativo-Flamengo-reune-patrocinio-milionario_0_1271272972.html#ixzz3MkaWMPBb
© 1997-2014 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Cruzeiro e Caixa estão bem perto de fechar acordo de patrocínio para 2015

Reunião entre instituição financeira e clube celeste, na última sexta-feira, encaminha contrato de parceria para a próxima temporada. Valor gira em torno de R$ 20 milhões

O acordo entre Cruzeiro e Caixa Econômica Federal para o patrocínio máster da camisa da Raposa em 2015 está muito próximo de ser fechado. A reunião entre clube e banco, na última sexta-feira, deixou praticamente tudo encaminhado para o acerto. Entretanto, a negociação deve ser confirmada em janeiro. Isto porque a definição dos gestores das políticas econômicas no novo mandato da presidente Dilma Rousseff só sairá após a posse, marcada para o primeiro dia do ano. Assim, o contrato só seria assinado após o primeiro dia do ano.
O valor do patrocínio gira em torno de R$ 20 milhões e é superior à parceria com o Banco BMG, na camisa azul desde 2010. Na última sexta-feira, dirigentes do clube celeste estiveram em Brasília para se reunir com a Caixa.
A Caixa já patrocina algumas equipes do futebol brasileiro e tem planos de chegar também a Minas Gerais. Como a presidente Dilma Rousseff foi reeleita, o banco estatal não deverá passar por mudanças na gestão, o que vai permitir que os patrocínios e investimentos no futebol permaneçam.
Completo
Com o acerto com a Caixa bem encaminhado, o Cruzeiro terá uma camisa toda diferente em 2015, já que a fornecedora de material esportivo também mudou, saindo a Olympikus e entrando a Penalty. No lugar da Guaramix, segundo patrocinador da camisa, entra a Cemil, empresa de laticínios.  

Fonte: Globoesporte.com

Coca-Cola renova com seleção alemã por mais 3 anos

Multinacional de bebidas, que tem acordo com time desde 1981, é uma das patrocinadoras máster de federação



A Federação Alemã de Futebol renovou contrato de patrocínio com a Coca-Cola por mais três anos. Com o novo acordo, a empresa norte-americana continuará parceira da seleção campeã da Copa do Mundo do Brasil-2014, até o final de 2017.
A multinacional de bebidas, com sede em Atlanta (Estados Unidos), é uma apoiadora antiga de federação alemã. A parceria com o futebol do país teve início em 1981, quando a federação ainda disputava as competições internacionais como Alemanha Ocidental. A reunificação alemã não afetou os acordos entre as partes, e a empresa renovou continuamente seus acordos comerciais com a federação.
Com a renovação do contrato, a Coca-Cola se manteve no grupo de patrocinadores máster da entidade que comanda o futebol alemão, junto com Bitburger (cerveja), Commerzbank (banco), Deutsche Post (serviços postais), T-Mobile (telefonia) e SAP (software).
Os termos financeiros do novo acordo não foram divulgados. No entanto, segundo o site Sponsors.de, especializado em marketing esportivo, os parceiros da Federação Alemã de Futebol contribuem com pelo menos € 2 milhões por ano.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/coca-cola-renova-com-selecao-alema-por-mais-3-anos_27612.html#ixzz3MiUxVcsT

Análise: Supertimes europeus ameaçam o produto futebol

Leia a opinião de Duda Lopes sobre o desequilíbrio nas ligas europeias

O Real Madrid se consagrou campeão do mundo no último fim de semana, mas pouco comemorou. A reação foi proporcional ao tamanho da obrigação dos espanhóis frente aos argentinos. Há muito, a disputa perdeu a graça. Das últimas oito edições, os europeus levaram sete títulos.
Há décadas, a diferença entre o futebol europeu e o futebol sul-americano é abissal, mas nunca como hoje. E o problema nem é o enfraquecimento desse lado, mas sim a criação cada vez mais constante de supertimes europeus. Nesse momento, o Real Madrid é uma seleção do mundo, e isso prejudica o esporte.
Com os supertimes, diminuem até os candidatos ao título da Liga dos Campeões, a maior competição de futebol do mundo. Neste ano, é muito difícil imaginar o título longe do Barcelona, Real Madrid ou Bayern de Munique. O time de Madrid chegou a golear o tradicional Liverpool, na Inglaterra, campeão em 2005. Hoje, há uma enorme distância entre os dois.
Os espanhóis já viraram sinônimo de campeonato ruim; é a tal “espanholização” que ficou tão em moda. Na Alemanha, o cenário deste ano é ridículo. Com 11 pontos de diferença, o Bayern virou o primeiro turno praticamente campeão.
O curioso é que a situação que futuramente pode diminuir o interesse sobre a Champions foi criada justamente após o torneio crescer muito nas duas últimas décadas. Com um produto global, os times de destaque se transformaram em marcas internacionais e, de alguma forma, imunes a crises. O Bayern, líder, é um time do mundo. O Borussia, na zona de rebaixamento, é um time do Vale do Ruhr.            

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/analise-supertimes-europeus-ameacam-o-produto-futebol_27615.html#ixzz3MiUqiS2l

Ronaldo usa redes sociais para 'turbinar’ peneira nos EUA

Ex-jogador promete aparecer em evento pago do time que acabou de comprar

Dez dias depois de ter oficializado a compra de parte do time Fort Lauderdale Strikers, da NASL, espécie de segunda divisão do futebol dos EUA, o ex-jogador Ronaldo começou a usar sua força de mídia para chamar atenção para o time. 
Em seus perfis públicos nas redes sociais Instagram e Twitter (que somam 1,8 milhão de pessoas), Ronaldo convocou atletas para participar de um “tryout”, um tipo de peneira de atletas realizada no futebol dos EUA.  
O chamado, feito em inglês, convocava o atleta e ainda dizia que Ronaldo estaria presente para acompanhar a atividade. 

Esse é o primeiro movimento efetivo de Ronaldo após a compra de parte do Strikers ao lado do empresário Marcus Buaiz ter sido confirmada, no dia 11. 
Ronaldo terá como principal função ser uma espécie de embaixador do Strikers. O uso das redes sociais próprias para ações de divulgação do clube faz parte do plano de expansão do Strikers. Com a “ajuda” do Fenômeno, a expectativa do Strikers é ter milhares de atletas.  
“Pessoas do mundo todo nos pedem uma chance para mostrar que elas são capaz de qualquer coisa pelo sonho de ser um profissional. Essa é uma chance”, disse Ricardo Geromel, um dos sócios do Strikers. 
Como cada jogador paga US$ 150 para participar, as peneiras podem se tornar uma boa fonte de receita para o time, que pertence a investidores brasileiros.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/ronaldo-usa-redes-sociais-para-turbinar-peneira-nos-eua_27614.html#ixzz3MiUf1Ajl

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Sem perfis falsos, conheça o novo ranking esportivo do Instagram


Contra usuários fakes e inativos, o Instagram fez uma recente “limpa” nos seus perfis que impactou – principalmente – as celebridades presentes na rede.
O MKT Esportivo colheu informações a respeito do reflexo desta mudança nas conta mais populares do segmento esportivo, entre atletas, clubes e marcas. No topo entre os esportistas, da noite pro dia, Neymar viu seu perfil sair de 13.2 milhões de seguidores para 12.9 milhões. Nesta exclusão, o craque perdeu 298.4 mil contas falsas.
Em segundo lugar está Cristiano Ronaldo, que como Neymar, perdeu 297.9 mil seguidores e hoje conta com 9.9 milhões de fãs. Entre as empresas mais seguidas no Instagram está a Nike. A marca do swoosh saiu de 9 milhões de seguidores para 8.74 milhões. 

 
A seguir, o antes e depois do TOP10 do esporte no Instagram: 
1. Neymar Jr (@neymarjr) – 13.2 milhões para 12.9 milhões
2. Cristiano Ronaldo (@cristiano) – 10.2 milhões para 9.9 milhões
3. Nike (@nike) – 9 milhões para 8.8 milhões
4. Lionel Messi (@leomessi) – 8.5 milhões para 8.3 milhões
5. LeBron James (@kingjames) – 8.06 milhões para 7.6 milhões
6. James Rodríguez (@jamesrodriguez10) – 5.78 milhões para 5.73 milhões
7. David Luiz (@davidluiz_4) – 5.57 milhões para 5.47 milhões
8. Real Madrid (@realmadrid) – 5.52 milhões para 5.36 milhões
9. FC Barcelona (@fcbarcelona) – 5.46 milhões para 5.32 milhões
10. Floyd Mayweather (@floydmayweather) – 4.62 milhões para 4.33 milhões

Fonte: MKT Esportivo

Pioneiro no futebol brasileiro, Atlético/PR fecha parceria com a New Era


Maior marca de headwear do mundo, a New Era fechou uma pioneira parceria no futebol brasileiro com o Atlético/PR e será a ‘fornecedora oficial de acessórios para a cabeça’ do time paranaense durante a próxima temporada.
Pelo acordo, a empresa disponibilizará a partir de janeiro cinco modelos de gorros e bonés, com linhas oficiais de jogo e treino. O pioneirismo se baseia no compromisso firmado pela marca em desenvolver modelos especiais para os atletas e torcedores. Na modalidade, a New Era possui apenas a licença para explorar a imagem dos clubes em seus produtos.
Sendo o boné um símbolo do esporte norte-americano, a empresa é parceira de longa data da NFL e da Major League Baseball, sendo este um acordo com mais de 80 anos de duração. Ainda no esporte, a marca possui licenças na NBA, NHL e UFC.

Fonte: MKT Esportivo

Cristiano Ronaldo é o novo rosto de grife portuguesa

 
Cristiano Ronaldo adicionou mais uma parceira comercial ao seu amplo portfólio de patrocinadores. Trata-se da grife portuguesa Sacoor Brothers.
Pelo acordo, o gajo será embaixador global da empresa e rosto da linha primavera-verão 2015. Cristiano Ronaldo ressaltou que os valores da marca, como empenho, sucesso, profissionalismo e melhora constante, se encaixam perfeitamente nos dele.
As primeiras fotos fruto do acordo já foram tiradas em Madrid e em breve serão reveladas.
Fonte: MKT Esportivo

domingo, 21 de dezembro de 2014

Exclusivo: FutGestão traça um comparativo - Futebol Catarinense VS Futebol Carioca

Fabio Zibenberg       

O estado de Santa Catarina possui seis milhões de habitantes, o Rio de Janeiro, dezesseis. O Rio de Janeiro possui quinze títulos brasileiros de primeira divisão, Santa Catarina, nenhum. Entretanto, ao observarmos a tabela do campeonato brasileiro que está por vir, percebemos a presença de quatro times catarinenses e três cariocas, coisa que se observarmos o passado recente, seria considerada inimaginável.
Observando a tabela do campeonato brasileiro de 2007, percebemos que figuram entre os dez primeiros colocados, quatro times cariocas, em terceiro o Flamengo, em quarto o Fluminense, em nono o Botafogo e em décimo o Vasco. Enquanto isso, o único representante de Santa Catarina seria o Figueirense, ocupando a humilde décima-terceira posição.
Entretanto, no ano de 2014 percebemos uma gigantesca diferença. Ao observarmos a tabela com o campeonato já encerrado, percebemos que há o mesmo número de times cariocas e catarinenses, três. Observando a tabela da segunda divisão, achamos a quarta grande equipe carioca, o Vasco da Gama. Porém, o campeão da série B não é o Vasco, e sim o Joinville. Além disso, o quarto colado é o Avaí, mais um catarinense.
Logo, observamos que em um pequeno intervalo de sete anos, podemos comparar o futebol catarinense ao futebol carioca, coisa que em 2007 era absurda, como será que isso aconteceu? Existem três fatores que respondem essa questão.
O primeiro fator é o da gestão amadora dos clubes brasileiros, o que leva a uma irregularidade notável das equipes. O segundo é o formato do campeonato brasileiro, que rebaixa e promove um grande número de equipes. Entretanto, o terceiro fator é o que melhor explica esse fenômeno: O Rio de Janeiro está matando seus clubes de menor porte.
Clubes como América, Bangu, Duque de Caxias e vários outros não tem nenhuma possibilidade de chegar a primeira divisão, enquanto isso, uma das equipes promovidas na série C de 2011 é o campeão da série B de 2014, o Joinville, clube que até 2011 poderia ser taxado como de pequeno porte. Assim como a Chapecoense, promovida da série C no ano de 2012, a equipe conseguiu uma sólida campanha na primeira divisão em 2014.
O diretor executivo Paulo Angioni trabalhou por um período de três anos no Olaria, uma atitude pouco destacada e muito importante para o renascimento dos clubes de menor porte do Rio de Janeiro. Quem sabe um dia a cidade maravilhosa não se veja com cinco ou seis grandes clubes, façamos como Santa Catarina e vamos renascer o futebol carioca.

Volta ao Ato cria otimismo para acertos com patrocínio e fornecedor

Botafogo estuda três possibilidades para material esportivo e espera renovação com a Viton 44 após liberação de suas receitas pela Justiça




Com a volta ao Ato Trabalhista, o Botafogo aos poucos vem organizando sua vida financeira. Uma das frentes de negociação é em relação ao contrato com o fornecedor de material esportivo. É grande a possibilidade de renovação com a Puma, cujo contrato se encerra no dia 31. O novo compromisso teria duração de um ano. No entanto, o Alvinegro tem em mãos uma oferta da Penalty para uma parceria de três anos de duração.
Em relação ao patrocínio, o Botafogo passou a ficar mais otimista em relação à renovação com a Viton 44. Isso porque uma das queixas da empresa era a necessidade de depositar em juízo os valores do contrato, já que todas as receitas do clube estavam bloqueadas. Agora com a volta ao Ato Trabalhista, o Alvinegro poderá passar a receber diretamente, o que facilita o trâmite. O clube também conversa com o banco BMG para uma possível parceria.
O vínculo com a Puma, iniciado em 2012, rendeu ao Botafogo cerca de R$ 15 milhões em três temporadas. Dessa forma, o clube analisa as vantagens e desvantagens de renovar por um período mais curto ou firmar com uma nova fornecedora por mais tempo.
No entanto, paralelamente o Botafogo enfrenta um processo da Justiça imposto pelo Grupo Dass, dono da marca Fila, com o qual o clube rompeu unilateralmente o contrato em 2011. Como mostrou o blog Dinheiro em Jogo, o Alvinegro pode ter de pagar R$ 10 milhões de multa por conta da ação.
Assim, é possível que Botafogo e Grupo Dass entrem e acordo, e o clube volte utilizar os uniformes da empresa como forma de amortizar a dívida. A Kappa, que pertence ao grupo, e própria Fila seriam as possibilidades.

Fonte: Globoesporte.com

sábado, 20 de dezembro de 2014

Bundesliga divulga calendário dos seus clubes na pausa de inverno

 
A Bundesliga entrou em sua tradicional pausa de inverno e voltará apenas no dia 30 de janeiro. Até lá, os clubes ficarão restritos aos seus centros de treinamento para que os jogadores mantenham a forma física. Certo? Errado!
O cenário descrito acima se encaixa perfeitamente no contexto do futebol brasileiro, que por culpa de um calendário apertado e a sempre distante CBF, não sobram períodos para que sejam feitas pré-temporadas fora do país.
No caso alemão, como a liga joga junto dos seus clubes em prol de uma modalidade cada vez mais sustentável e competitiva, o período servirá para que seus clubes possam expandir suas marcas e estreitar o relacionamento com os fãs em diversos locais do globo.
No gráfico divulgado pela própria Bundesliga (!), nota-se as presenças do FC Köln e Bayer Leverkusen em Orlando, nos Estados Unidos, onde participarão do torneio Flórida Cup com a inédita – e rara – presença de dois brasileiros: Corinthians e Fluminense.
 
 
 O site AlemanhaFC detalhou o que cada clube fará durante a pausa. Confere lá!
Fonte: MKT Esportivo

Análise: Só mercado pode pressionar Fifa por mudanças

Adalberto Leister Filho mostra que condução do futebol só vai mudar com pressão de patrocinadores e TVs

“É uma surpresa”, reagiu Joseph Blatter, tentando fazer cara de espanto, ao saber do pedido de demissão de Michael Garcia da Comissão de Ética da Fifa.
Para quem acompanhou as tentativas canhestras da entidade em esclarecer a escolha de Rússia e Qatar a sede das duas próximas Copas do Mundo (2018 e 2022), a atitude do advogado não chega a causar estranheza.
Nos últimos meses, Garcia havia investigado o processo a fundo, e descoberto provas de que houve irregularidades nessas escolhas. No entanto, continuaremos sem saber o tamanho da caixa preta da Fifa. A entidade resolveu rasgar em pedacinhos as 450 páginas de provas do relatório produzido pelo norte-americano. Foi publicada apenas uma versão resumida, que representava menos de 10% do material redigido, na qual admitia “comportamentos duvidosos” de alguns dirigentes, mas negava a compra de votos.
Diante da divulgação de um documento retalhado, Garcia reagiu e recorreu ao comitê de recursos da federação, pedindo a publicação do material na íntegra. O pedido, como era se de esperar, foi negado. O advogado poderia ainda enviar a querela para a Corte de Arbitragem do Esporte, tribunal de Lausanne, na Suíça, que representa a última instância nas disputas esportivas. Desgastado, Garcia preferiu capitular.
Vivendo em um mundo à parte, a Fifa adota o discurso pela “transparência”, mas opta por esconder sua sujeira para baixo do tapete. Como entidade privada, acredita ser esse direito.
Nem a perda de patrocínios importantes nos últimos meses, casos de Sony e Emirates, em grande parte insatisfeitas com a condução das denúncias de corrupção, abalou a Fifa. Qatar Airways e Samsung logo se mostraram interessadas em conversar.
Com as ações de acobertamento dos últimos meses, resta pouca esperança de que a Fifa vá rever seus procedimentos. E aqui o mercado publicitário e de direitos de TV, os grandes financiadores do esporte, têm um papel fundamental. São eles que podem pressionar por mudanças. Enquanto os escândalos não abalarem o faturamento da entidade, nada será feito.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/analise-so-mercado-pode-pressionar-fifa-por-mudancas_27600.html#ixzz3MTD0wvv1

Com fim de ano movimentado, Verdão já sente mudanças para 2015

Diretor de futebol trabalha à distância, com ajuda de gerente, e departamento de futebol do clube é reestruturado após temporada turbulenta neste ano


Muita coisa mudou no Palmeiras desde o fim do Campeonato Brasileiro, no dia 7 de dezembro. Após evitar o rebaixamento no empate por 1 a 1 com o Atlético-PR, pela última rodada da competição nacional, o Verdão passou a se mobilizar nos bastidores e montar o departamento de futebol. Alguns reforços foram anunciados, outros encaminhados, o novo técnico foi contratado, e o clube chegará ao início de 2015 com boa parte do planejamento traçado previamente pelo presidente Paulo Nobre e pelo diretor de futebol Alexandre Mattos, que já trabalha à distância.
A principal referência do novo elenco alviverde, por enquanto, é Zé Roberto. Aos 40 anos, o meio-campista e lateral chega a São Paulo neste sábado para assinar contrato com o Palmeiras. Ele estava na Alemanha, passando férias. O clube já anunciou as contratações do lateral Lucas, ex-Botafogo,  dos volantes Amaral, que estava no Goiás, e Andrei Girotto, do América-MG. Além disso, assinou com o zagueiro Vitor Hugo, também do clube mineiro, e acertou com o atacante Leandro, da Chapecoense. O lateral Alvaro Pereira, do São Paulo, é outro que interessa, assim como Arouca, do Santos. 
Com diversos jogadores com contrato somente até o fim deste ano, o processo de mudança do elenco é evidente. Alexandre Mattos, a serviço do Cruzeiro até dia 31 de dezembro, já influencia diretamente o novo departamento de futebol do clube. Por enquanto, o Palmeiras anunciou somente Cícero Souza, gerente, que já discute eventuais renovações e dispensas de atletas. A saída de Marcelo Oliveira, por exemplo, se deu após reunião envolvendo o dirigente.
A chegada do técnico Oswaldo de Oliveira foi aprovada por Mattos, direto de Belo Horizonte. Internamente, o clube já sente mudanças na nova gestão de Paulo Nobre, reeleito em disputa com Wlademir Pescarmona. Acredita-se que com maior atenção ao futebol, os resultados poderão ser mais satisfatórios do que nesta temporada, quando o clube acabou eliminado do Paulistão e da Copa do Brasil, antes da turbulenta campanha no Brasileirão. 
Oswaldo sabe que não terá o elenco pronto na reapresentação do grupo, marcada para o dia 7 de janeiro. A estreia no Campeonato Paulista será pouco menos de um mês depois, contra o Grêmio Osasco Audax, dia 1° de fevereiro. Com Alexandre Mattos e Cícero Souza devidamente apresentados na Academia, junto do técnico, os últimos detalhes devem ser definidos para a temporada. 

Fonte: Globoesporte.com

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

#CruzeiroEuQueroVerOManto | Cruzeiro ativa Twitter para apresentar novo uniforme

 
O Cruzeiro oficializou na última segunda-feira(17) um acordo de três anos com a Penalty. Na tarde de ontem, o clube mineiro se movimentou para apresentar seu novo uniforme utilizando, exclusivamente, a força de sua torcida.
Através do Twitter, a Raposa convocou seus torcedores a colocarem a hashtag #CruzeiroEuQueroVerOManto no trend topics Brasil para que o manto fosse revelado. Antes disso, uma pequena parte da camisa havia sido divulgada gerando grande.
Resultado: a hashtag figurou na segunda posição das mais mencionadas do país e a nova camisa veio à tona. Gostou?
 
Fonte: MKT Esportivo

Penalty será fornecedora de Paulistão e Copa SP de juniores

Empresa brasileira anuncia acordo com Federação Paulista de Futebol para ser fornecedora em 2015




A Penalty fechou parceria com a Federação Paulista de Futebol para o fornecimento de bolsa e de uniforme dos árbitros para os 16 torneios organizados pela entidade, entre os quais o Paulistão e a Copa São Paulo de juniores em 2015.  
“A Federação Paulista de Futebol utilizar nossos produtos é o reconhecimento da qualidade da marca, que é genuinamente brasileira. Esse é apenas o pontapé inicial de uma longa parceria”, disse Paulo Ricardo Oliveira, diretor-presidente da empresa de material esportivo.
A bola utilizada nos torneios da próxima temporada será o modelo “Gorduchinha”, em uma homenagem ao locutor esportivo Osmar Santos. A fornecedora de material esportivo produziu dois tipos de bola, a Gorduchinha Pró Costurada, que será usada na abertura da Copa São Paulo de juniores em 3 de janeiro, e a Gorduchinha Pró Termotec, que vai ser divulgada na abertura do Campeonato Paulista, no dia 31 de janeiro.
“A criatividade narrativa do Osmar Santos é um estímulo para nós da Penalty para desenvolvermos produtos que tenham a cara do brasileiro e do nosso país”, destacou Rafael Gouveia, diretor de marketing da Penalty.
A empresa brasileira volta a ter parceria com a federação paulista. Anteriormente, a marca de material esportivo manteve contrato com a entidade entre 1996 e 2002. 

Puma diz que namorada de presidente faria transição de contrato com São Paulo

Clube nega participação de Cinira Maturana no acordo e que empresa não cumpriu pré-requisitos para firmar contrato




A Puma colocou mais lenha na fogueira da disputa pela camisa do São Paulo em 2015. Segundo a firma alemã, o clube indiciou Cinira Maturana, namorada do presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, como responsável pela transição entre a Penalty, o fornecedor atual, e a Puma. Com isso, a intermediária também teria direito a comissão pelo contrato do São Paulo com a empresa alemã de material esportivo.
“Somente depois de assinado o acordo, a pedido do presidente do clube [Aidar], a Sra. Cinira Maturana foi indicada como pessoa de contato para a transição entre o fornecedor atual do clube e a Puma”, informou a empresa através de comunicado oficial.
O imbróglio entre a empresa alemã e o São Paulo foi revelado pela Máquina do Esporte com exclusividade. 
Segundo a fabricante de material esportivo, os contatos com o São Paulo foram iniciados em 2013 com o então vice-presidente Roberto Natel. No ano seguinte, a Puma foi convidada a participar de uma concorrência, na qual disputou o patrocínio com outra empresa. Pelo clube do Morumbi, participaram da negociação o então gerente de marketing, Gilberto Ratto, hoje na CBF, e Ruy Barbosa, diretor de marketing do São Paulo. Foi quando o clube teria informado que a Puma havia vencido a concorrência.
A partir daí, as versões se chocam. Segundo a Puma, houve a assinatura de um pré-contrato, que passaria a valer após o fim do acordo do time paulista com a Penalty. Já o São Paulo afirma que as partes firmaram apenas uma carta de intenções e que havia pré-requisitos por parte da Puma para que não foram cumpridos. A empresa alemã teria sido, então, avisada que o acordo fora cancelado.
Após esse comunicado é que a Puma tentou contato com Cinira, na tentativa de que a namorada de Aidar intercedesse em seu favor na negociação. Houve troca de e-mails entre as partes.
O São Paulo afirma que não assinará com a Puma em hipótese alguma e que também não irá renovar com a Penalty. Haveria três empresas interessadas na camisa do clube. Hoje, a favorita da concorrência é a norte-americana Under Armour, que estaria inclusive com um contrato em mãos para estudar.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/puma-diz-que-namorada-de-presidente-faria-transicao-de-contrato-com-sao-paulo_27602.html#ixzz3ML8B8KUY

Após confirmar Penalty, Cruzeiro se aproxima de novo patrocinador

Cemil, do ramo de laticínios, deverá ser exposta no ombro do uniforme do clube



O Cruzeiro deve apresentar um novo patrocínio nos próximos dias. O clube mineiro está próximo de fechar um acordo de dois anos com a Cemil, empresa mineira de laticínios. A nova marca deverá ficar exposta no ombro do uniforme do clube. As duas partes ainda estão avaliando detalhes do contrato, mas a negociação está bastante adiantada.
Em 2014, o espaço dos ombros foi ocupado pela Guaranamix, que deixará o uniforme do clube. No entanto, a empresa de bebida não deixará de ser patrocinadora do clube, apenas terá um contrato reduzido, sem marca na camisa.
Dessa maneira, o atual campeão brasileiro começa a resolver algumas pendências de patrocínio para 2015. A principal delas, no entanto, ainda não tem solução próxima. No fim deste ano, o banco BMG encerrou o patrocínio máster ao Cruzeiro, que ainda busca um substituto.
Assim como tem sido regra no futebol brasileiro, uma das empresas buscadas foi a Caixa, mas a negociação ainda não teve continuidade. A empresa estatal é, atualmente, a maior investidora do futebol nacional.
Outra questão que precisava ser resolvida era a fornecedora de material esportivo. Com a saída da Olympikus, o Cruzeiro confirmou nesta quinta-feira a assinatura de contrato com a Penalty, que cederá uniformes ao clube pelos próximos três anos.
O clube deverá estrear o novo uniforme, com suas novas marcas, antes mesmo da temporada regular. O time deverá entrar em campo com a camisa da Penalty logo na Copa São Paulo de Futebol Júnior, em janeiro.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/apos-confirmar-penalty-cruzeiro-se-aproxima-de-novo-patrocinador_27599.html#ixzz3ML80eIxC