Cabeçalho

Logotipo

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Análise: mercado de material ainda se adapta à realidade

Leia a opinião de Duda Lopes sobre o acordo entre Umbro e Vasco

Faz dois anos que o Flamengo fechou com a Adidas, e o mercado de material esportivo no Brasil ainda não se ajeitou completamente. O acordo entre a empresa alemã e o clube mais popular do Brasil foi um momento de ruptura nesse segmento, que andava com as contas pouco atualizadas.
Quando o Flamengo quase dobrou o que ganhava em material esportivo, ele puxou todo o mercado. O Corinthians renovou por dez anos com a Nike, com valores próximos ao do time carioca, e o São Paulo fechou um contrato recorde com a brasileira Penalty.
O mercado inflacionou, e as marcas menores ficaram encostadas em um segundo escalão. Hoje, Nike, Adidas e Puma mantêm 13 clubes da Séria A, contra sete em 2012.
Nesse contexto, entra a Umbro com o Vasco. O time carioca mantinha acordo com a Penalty, que tem perdido seus grandes clubes. Os valores do novo acordo estão no padrão atual, longe do que era fechado com a empresa brasileira.
Aos poucos, todos os clubes grandes estarão alinhados à nova realidade. E o movimento parece mais rápido do que aconteceu com os patrocinadores. O Corinthians elevou os valores em 2009, com Ronaldo, e todos os clubes seguiram o crescimento.
Manter o patamar e ampliar a gama de patrocinadores permanece como desafio nesse caso. Enquanto os clubes conseguem fornecedores fortes, eles ainda sofrem para encontrar empresas dispostas a entrar nesse novo mercado.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/analise-mercado-de-material-ainda-se-adapta-realidade_27171.html#ixzz3EGeZzJ00

0 comentários :

Postar um comentário