Cabeçalho

Logotipo

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Clubes europeus usam videogame para contratar jogadores

Banco de dados de Football Manager agora é vendido para principais times do continente

Um dos games mais populares entre os fanáticos por futebol agora negocia sua base de dados com alguns dos principais clubes do planeta. O Football Manager, tradicional jogo que simula situações reais vivenciadas por um treinador formou, ao longo dos anos, um fantástico banco de dados para tornar o game o mais real possível.
A base de dados foi formada a partir de filmagens individuais de jogadores feitas pela Prozone. Já a Sports Interactive, proprietária do Football Manager, coletava informações sobre os atletas a partir de uma rede de olheiros espalhadas pelo mundo.
“A Prozone lançou o Recruiter, uma plataforma de consulta de jogadores para times de futebol. Mas essa plataforma ainda carecia de informações. O Football Manager tinha esse material. Assim, surgiu a ideia de uma joint venture”, conta Miles Jacobson, diretor do Football Manager 15, em entrevista por telefone à Máquina do Esporte.
O executivo conta que esse conjunto de informações começou a ser cobiçado pelos clubes. “Na realidade, a ideia de usar o Football Manager como ferramenta de busca de jogadores veio dos profissionais do futebol. Nós ficamos muito surpresos com isso”, admite Jacobson.
“Um ex-olheiro do Chelsea conseguiu a contratação de diversos fenômenos jovens sul-americanos graças ao jogo, e afirmou isso em entrevista”, diverte-se ele, referindo-se a Gwyn Williams, ex-chefe de olheiros do clube londrino, que admitiu usar o banco de dados do game, que conta com mais de 77 mil jogadores.
O novo braço de negócios está sendo ampliado cada vez mais. A empresa, porém, não divulga quem são os clubes que estão usando as informações da empresa para a contratação de jogadores.
“Os times pedem em contrato o anonimato, inclusive para manter essa vantagem competitiva longe dos adversários. Podemos dizer que já temos em nosso sistema 30 equipes das principais ligas na Europa. E esse número está crescendo rapidamente”, afirma Jacobson.
A nova versão do jogo contém algumas inovações como nova interfase, modelos 3D e uma facilidade maior para a pesquisa de jogadores, conforme vídeo divulgado pela empresa.
“Para os próximos anos, a busca é sempre tornar o videogame mais real, a ponto de a pessoa não saber distinguir se é um jogo ou transmissão da TV. Sempre queremos revolucionar”, afirmou o executivo.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/clubes-europeus-usam-videogame-para-contratar-jogadores_27322.html#ixzz3H3dgIU1V

0 comentários :

Postar um comentário