Cabeçalho

Logotipo

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Gestores Brasileiros na Letônia – Dos Bálticos para o Mundo

Por: Isaias Tinoco

O futebol representa o mercado das possibilidades, há negócios para todos os meios e fins. A cada dia avançamos mais para o grande negócio chamado Paixão, assim como em outro segmento foi feito com a Fé. Estamos praticando um futebol sem fronteiras, onde tudo pode ser organizado para buscar o lucro líquido.
Russos e árabes tem investido e adquirido Clubes em diversos Países (novo modelo de gestão técnico/financeira), o que tem levado a UEFA (e a própria FIFA) a ligar um sinal de alerta para o desequilíbrio financeiro e técnico nos eventos por ela administrado. Até o senso de nacionalidade foi alterado com as naturalizações para participação no Campeonato Mundial.  Os EUA, outrora avessos ao "Soccer" estão investindo maciçamente no futebol. Até a Índia, terra do "cricket", abre seus cofres para o fortalecimento do futebol. É, sem duvidas, a atividade do entretenimento mais valorizada e a mais vendida do planeta.
Há poucos meses fui surpreendido, nas redes sócias, com brasileiros investindo no futebol da Letônia. Fundaram um Clube, e com a metodologia de formação do futebol brasileiro já buscam voos mais altos para o projeto. Demonstrando, claramente, que com empreendedorismo, persistente, é possível realizar a concretização de sonhos. Na verdade, tem de se ter uma visão plural para entender o projeto que esta sendo desenvolvido na Letônia. A negociação de atletas será um ponto fora da curva se for tratado de forma prioritária, exclusiva e isolado, o projeto é muito mais amplo, ambicioso e benevolente no que tange a expertise e a simbiose com equipes e empresas no Brasil. Vejam o pensamento do Prof. Thiago com quem tenho trocado informações com frequência e vejam como ele e equipe de gestão estão construindo um novo mercado para gestores, treinadores, membros de uma comissão técnica, atletas, empresas (balança comercial exportação vs importação), etc.
 
 
Com a palavra o Prof. Thiago:
"Eu sou Thiago Bomfim, 28 anos, treinador e cofundador do FK Carnikava na Letônia. Formado em Educação Física pela Universidade Gama Filho-RJ em 2008, Pós-Graduado em Ciências do Futebol e Futsal pela Universidade Gama Filho-SP em 2010. Além disto, treinador formado pela ABTF -2006 e CBF Níveis B (treinador de categoria de base) e A (Treinador de equipes profissionais) -2013. Além de ser treinador formado pela UEFA -2014.”

" Dos Bálticos para O Mundo.
Assim que cheguei aos países Bálticos, mais precisamente na Letônia, que se situa no Leste europeu, fazendo fronteiras com a Russia, Bielorurssia, Estonia e Lituânia, vinslumbrei neste pequeno pedaço de chão uma oportunidade no mercado do futebol.
A proximidade de superpotências “da bola” como Alemanha, Suécia, Russia e potencias menores como, Finlândia, Bielorussia e Polonia, aliada a baixa concorrencia, me fizeram entender que o mercado aqui era promissor. O foco, bem nítido. Trazer jogadores do Brasil para adaptação ao futebol e cultura européia e escoar para mercados maiores da região, e através dos campeonatos locais, conseguir uma classificação para torneios continentais como a Liga UEFA, em médio curto prazo.
São objetivos grandiosos, mas tudo partia de uma premissa: Começar um projeto do zero. Durante dois anos, eu e meu sócio Leandro, fizemos o conhecimento do mercado local, e investimos em abertura de mercado e parcerias no Brasil. No terceiro ano, após uma parceria com a Prefeitura de Carnikava, criamos o clube que leva o mesmo nome da cidade que fica a 20 km do centro da capital da Letônia, Riga, o FK Carnikava.
Durante os dois primeiros anos do projeto em atividade, conseguimos alguns feitos interessantes, tivemos abertura na Federação Local, negociação de jogadores, enfim, conesguimos dar passos interessantes dentro do nosso projeto, como a venda de jogadores para clubes maiores, locais e de outros países, parceria com clubes da Letônia, Lituania e da Estônia. Além disto, terminamos os dois campeonatos que participamos em quinto (2013) e sexto (2014). Porém, nosso foco está na copa da Letônia.
Este campeonato é a chave para a Liga UEFA. Em 2014, um time da terceira divisão da Estonia, o Santos Tartu, foi vice-campeão da Copa da Estônia, e como o campeão, o Levandia (também foi campeão da primeira divisão do campeonato nacional), o Santos Tartu* se classificou para a Liga UEFA, e em dois jogos, teve o retorno financeiro do investimento do ano todo que se passou mais uma margem de lucro interessante.
Este caso nos mostra a realidade dos nossos objetivos! Porém, para isso, não podemos andar sozinhos. Estamos em busca de parceiros para caminhar conosco. Grupos de empresários, agentes, outros clubes no Brasil que possam ser nossos parceiros ou amantes do futebol.
Sabemos que para 2015, a margem de investimento para um clube que queira figurar entre os times da Liga UEFA, aqui na Letônia e, que disputa a primeira divisão, deverá ser de 500 mil euros ano, algo em torno 1 milhão e 500 mil reais. Sabemos que esse valor não é tão grande quando falamos no investimento do futebol no Brasil. Em média, é o valor gasto por clubes como Bangu e Olaria para disputarem a Copa Rio, ou clubes da segunda divisão carioca que queiram subir para a primeira.
Porém, como disputamos a terceira divisão da Letônia, temos gastos menores, e sabemos que com 200 mil euros ano, algo em torno de 600 mil reais, conseguiríamos tal façanha. Esse valor inclui todas as despesas de um ano do clube, e nos daria a estrutura, física e humana, perfeita para disputarmos um torneio internacional de peso como é a Liga UEFA, nos abrindo um mercado esquecido para os brasileros e sendo referencia do futebol nesta região do mundo.”

*Referencia sobre o caso do Santos Tartu - http://pt.uefa.com/uefaeuropaleague/news/newsid=2121095.html

0 comentários :

Postar um comentário