Cabeçalho

Logotipo

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Análise: sem visão global, futebol no Brasil sofre sem patrocínios

Erich Beting faz uma comparação das situações vividas por clubes brasileiros e espanhóis

O que difere o Levante, que luta contra o rebaixamento na Espanha de um Palmeiras ou São Paulo? 
Sem dúvida o tamanho dos clubes não se compara. Mas como pode o Levante atrair o interesse de uma empresa estrangeira para anunciar na sua camisa e os brasileiros não?
Sem um plano de expansão global, o futebol no Brasil agoniza. A busca por patrocinadores na camisa dos times depende, necessariamente, do mercado local. E, por conta disso, quando a economia está bem, sobram empresas interessadas em investir. Mas, quando vai mal...
A situação do futebol espanhol, descrita na página 2, deixa cristalino o quanto o Brasil sofre por não pensar além das suas fronteiras.
A Espanha está quebrada, as empresas do país sofrem, à exceção das multinacionais, e mesmo assim os clubes daquele país conseguem buscar dinheiro para bancar as contas.
Longe de ser um exemplo de gestão, o futebol espanhol é uma mostra clara de como pensar no mercado do exterior é importante para a sobrevivência dos próprios clubes.
Graças também ao impulso global de Barcelona e Real Madrid, os demais times da Espanha conseguiram depender menos do mercado local para encontrar patrocínio.
O futebol na Europa hoje é visto e reconhecido no mundo todo. Logicamente impulsionado pelos grandes clubes que disputam a Liga dos Campeões, mas isso ajuda os outros, como revela o panorama espanhol. 
A Copa Libertadores deveria ser o produto para abrir as portas do futebol sul-americano para o mundo.
Como poderia um time brasileiro ter sucesso comercial lá fora se o seu produto simplesmente inexiste para além dos limites territoriais?

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/analise-sem-visao-global-futebol-no-brasil-sofre-sem-patrocinios_27370.html#ixzz3I0SmTOVF

0 comentários :

Postar um comentário