Cabeçalho

Logotipo

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Novo rico, Manchester City gasta quase R$ 4,5 mi por ponto no Campeonato Inglês

Clube, comprado em 2008 por fundo de investimento, torrou, no período, quase R$ 2 bi em reforços



Cada ponto obtido pelo Manchester City no Campeonato Inglês desde a compra da equipe pelo Abu Dhabi United Group custou cerca de R$ 4,5 milhões. O clube, ganhador de duas das últimas três edições do torneio, foi comprado pelo fundo investidor dos Emirados Árabes em 2008. O levantamento foi feito pela revista Arabian Business.
 Esse investimento leva em conta apenas a quantia desembolsada com contratação de atletas. Se considerados os gastos com folha de pagamento, o custo de cada ponto será ainda maior.
Apesar de ser o terceiro clube com melhor campanha durante esse período, houve um investimento total de £ 1.095.897,01 por ponto obtido (R$ 4.458.876,16).
Nos últimos seis anos, o Manchester City investiu um total de £ 483.290.582,23 em reforços, o equivalente a cerca de R$ 1,96 bilhão. O segundo time dessa relação é o Chelsea, do magnata Roman Abramovitch, que gastou cerca de R$ 1,12 bilhão em novos jogadores. Ainda assim, cada ponto obtido pelo clube londrino na Premier League custou ao russo salgados de R$ 2.433.407,24. Tanto investimento também rendeu pouco para a sala de troféus do clube, ganhador de apenas uma edição do Campeonato Inglês nesse período.  
Aston Villa e Stoke City, que têm ocupado posições intermediárias na Premier League, aparecem como os clubes menos eficientes. Ambos gastam mais de R$ 1 milhão por ponto conquistado no torneio nacional. Nesse período, não ganharam nenhum título.
Equipe mais vencedora neste período, com três conquistas, o Manchester United é a quinta mais eficiente. Ainda assim, o clube de Old Trafford, sétimo colocado nesta temporada, gasta mais de R$ 1,1 milhão por ponto conquistado no torneio. Ausente das competições europeias nesta temporada, o Manchester United foi o clube que mais investiu neste ano, com a contratação de estrelas como o meia Di Maria e o atacante Falcao García.
Entre os clubes com maior orçamento, o Fulham aparece como o mais eficiente. A equipe da região metropolitana de Londres gastou menos de R$ 350 mil por ponto obtido, o que não foi suficiente para evitar a queda para a segunda divisão na última temporada. 

0 comentários :

Postar um comentário