Cabeçalho

Logotipo

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Os 4 anos do renascimento da seleção brasileira

Após o vexame na Copa do Mundo a seleção brasileira tem um longo caminho para recuperar sua hegemonia no futebol mundial. A questão é: quanto tempo será necessário para o renascimento de um Brasil vitorioso e temido dentro das quatro linhas.

Dunga terá 4 anos para reestruturar a seleção brasileira e conquistar o hexacampeonato em 2018. A filosofia da própria CBF é de valorizar mais as categorias de base e formar uma seleção principal muito mais forte, um conceito parecido com o que a Alemanha fez de 2002-2014, um conceito campeão mundial.
O caminho é longo, cansativo só de pensar, alguns amistosos atraem o torcedor, outro nem tanto (aqueles chamados caça níquéis). A “nova” seleção de Dunga até empolga algumas vezes, Neymar continua sendo o grande ícone do time (e novo capitão) e se o treinador mantiver a mesma pegada de sua última participação a frente da seleção os bons resultados irão surgir também.
A grande questão é saber se o torcedor brasileiro tem paciência para aguardar a formação de um novo time. Dunga foi muito bem em sua última passagem pela seleção, mas fracassou na Copa, justamente onde jamais poderia fracassar. Com certeza o treinador vem vacinado dessa vez e o vexame do mundial no Brasil irá ter efeito. Inclusive sua postura em relação a imprensa e todos os pormenores parece menor até o momento.
A safra de jogadores brasileiros já não é a mesma das últimas décadas e para o próximo mundial não deve surgir grandes talentos. O trabalho longo e cansativo deve se arrastar até 2022, onde conseguiremos construir uma seleção forte e entrosada.
A CBF e a torcida precisa ter paciência e consciência de que o trabalho plantado hoje será colhido nas próximas Copas. Dunga e os jogadores já sabem o caminhos a seguir, o sabor das derrotas incomodam a todos, 2018 é o teste, o hexa é para 2022.
Fonte: Site DeCanhota

0 comentários :

Postar um comentário