Cabeçalho

Logotipo

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Após colaborar no acesso, dirigente deixa Ponte para seguir novos rumos

Com sensação de dever cumprido, Pedro Nicolau entrega o cargo de co-diretor de futebol. Formado em curso de gestão de futebol, ele deixa o futuro em aberto


Depois de colaborar na campanha do acesso à elite nacional, Pedro Nicolau aproveitou a troca na presidência da Ponte Preta para entregar o cargo de co-diretor de futebol. Ele deixa a Macaca com a sensação de dever cumprido e em busca de novos desafios na carreira profissional. Durante o período em que integrou a diretoria - começou com o Paulistão em andamento, desempenhou um trabalho de bastidor importante, principalmente na relação com os jogadores.
- Quando a Ponte caiu, falei para o meu pai que, se eu tivesse a oportunidade de entrar, faria de tudo para devolver a Ponte para a primeira divisão. Queria muito que fosse campeã. Não deu, mas o objetivo principal traçado no começo do ano foi alcançado. Era um sonho trabalhar dentro da Ponte, ajudar a Ponte, mesmo que sem remuneração, como era o caso. Tenho certeza que ajudei e tenho papel importante na conquista - comentou.
Para Nicolau, o ponto alto de sua passagem no departamento de futebol da Ponte foi quando ajudou a demover dos atletas a ideia de entrar em greve por conta de salários atrasados, no fim do primeiro turno da Série B.
- Sempre dei essa força por trás, nos bastidores. Marcou muito para mim quando a Ponte estava com os salários atrasados, os jogadores ameaçavam fazer greve e eu ajudei a segurar o vestiário. Depois conseguimos encontrar um jeito de quitar os salários e as coisas deslancharam.
Agora formado em um curso de gestão de futebol, Nicolau deixa as portas abertas para novos rumos como dirigente. A Ponte perdeu uma peça da engrenagem do departamento de futebol, mas ganhou - novamente - um torcedor. 
- Fiz um curso que agregou bastante conhecimento. Tenho contatos na área. Já trabalho com futebol há oito anos. Estou à disposição da Ponte para esse momento de transição. O futebol tem um mercado imenso, com muito clube precisando de profissionalização. Vou continuar seguindo a Ponte como sempre, voltar para a arquibancada. Achava que o mosaico que organizei no Pacaembu na final da Sul-Americana ano passado havia sido meu ponto máximo da relação com a Ponte, mas esse trabalhando lá dentro superou.
O departamento de futebol da Macaca segue sob o comando de Hélio Kazuo, que também é o segundo vice-presidente do clube e divide as decisões com o gerente Gustavo Bueno.
Fonte: globoesporte.com

0 comentários :

Postar um comentário