Cabeçalho

Logotipo

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Por R$ 135 milhões, São Paulo fecha com a Under Armour por cinco anos

Empresa americana pagará R$ 75 milhões em dinheiro, R$ 60 milhões em material esportivo e estreará novo uniforme em maio, durante o Campeonato Brasileiro

Alvo de muitas reclamações de torcedores, dirigentes e jogadores, a Penalty está de saída do São Paulo. A diretoria continuará negando publicamente, mas, a partir de maio, a Under Armour, empresa americana de material esportivo, será a responsável pelo uniforme do Tricolor.
Pelo acordo que terá validade de cinco anos, o São Paulo receberá R$ 135 milhões, dos quais R$ 75 milhões em dinheiro (R$ 15 milhões por ano) e R$ 60 milhões (R$ 12 milhões por ano) em material esportivo. O pré-contrato já está assinado e entrará em vigor assim que o acordo com a Penalty for rescindido.
A Under Armour remodelará a loja existente no estádio do Morumbi. O novo fornecedor estreará em maio, no Campeonato Brasileiro. O vínculo com a Penalty venceria apenas em 31 de dezembro, mas será encerrado antes do tempo. Clube e empresa discutem a maneira que isso acontecerá. Uma coisa é certa: se for necessário fazer algum pagamento em dinheiro, a Under Armour não será responsável por isso.
A insatisfação com a Penalty vem de longo tempo. Torcedores reclamam da qualidade do material, vendido por um valor muito alto. Além disso, a pouca oferta de moda esporte também provocou críticas, já que a Reebok, antiga fornecedora, tinha amplo material desse tipo.
Por muito tempo, a Penalty, que pagava R$ 1 milhão por mês, atrasou seus pagamentos. No fim de 2013, quando o débito chegou a R$ 7 milhões, discutiu-se a possibilidade de quebra de contrato, mas a quitação foi feita.
O ápice da insatisfação tricolor, no entanto, ocorreu quando a atual fornecedora anunciou a aposentadoria do goleiro e capitão Rogério Ceni em um convite para coletiva. Na época, o goleiro ainda não havia decidido se iria parar, e isso provocou enorme desconforto no Morumbi. Tanto que, na partida contra o Atlético Nacional, na Colômbia, o presidente Carlos Miguel Aidar apareceu vestindo um agasalho da Reebok.
Na sequência, quando foi apresentado o novo uniforme do defensor, nova gafe: a etiqueta da camisa apresentava a seguinte descrição: “Camisa Ceni despedida”. Para completar, várias lojas receberam a camisa sem a assinatura do capitão são-paulino. O departamento de marketing do Tricolor recebeu centenas de reclamações sobre o mesmo assunto.
Curiosamente, Aidar e Rogério Ceni foram vistos usando material da Under Armour recentemente. O goleiro vestiu chuteiras azuis da empresa durante um treino, enquanto o presidente utilizou uma camiseta em um evento no estádio do Morumbi. Luis Fabiano também já fechou acordo para ser patrocinado pela nova fornecedora.

Fonte: Globoesporte.com

Um comentário :