Cabeçalho

Logotipo

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Patrocinadora de 10 times da Série A, TIM acerta parceria com Atlético-PR e Coritiba

Empresa estampa logo em número da camisa de equipes e lança serviço de informação de clubes via celular




A TIM anunciou nesta quinta-feira, patrocínio dentro do número das camisas de Atlético-PR e Coritiba. A empresa de telefonia já conta com estratégia semelhante em outras dez equipes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro: Atlético-MG, Bahia, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Vasco e Vitória.
A parceria com os times do Paraná retoma apoio da empresa de telefonia, que já patrocinou Atlético-PR e Coritiba em 2001. Os uniformes com o logo da TIM na numeração já estarão em campo durante o Campeonato Paranaense.
“Essas duas novas parcerias reforçam nossa presença no Paraná, onde somos líderes de mercado, e são fundamentais em nossa plataforma de apoio ao esporte mais popular do país”, afirma Carlos Eduardo Spezin Lopes, diretor da TIM no Paraná.
“A TIM entrou no mundo do futebol não somente com o foco em patrocínio, mas para aproximar ainda mais os torcedores dos seus clubes”, acrescentou o executivo.
Além das camisas de jogo, a TIM irá colocar sua marca nos uniformes de reino, em backdrops dos clubes, em placas de publicidade e nos centros de treinamento. Os contratos são válidos por um ano e preveem ainda ações promocionais com a torcida. Uma das ativações previstas será o lançamento das ofertas TIM Torcedor, que permite aos clientes receber notícias diárias, alertas de gols, entre outros conteúdos gratuitos. O consumidor poderá comprar um chip pré-pago da TIM do Atlético-PR ou Coritiba ou aderir através do call center. A previsão de lançamento é março de 2015.
“Queremos estabelecer uma comunicação via TIM entre nossos torcedores”, afirmou Luiz Emed, vice-presidente do Atlético-PR.
Rogério Bacellar, presidente do Coritiba, elogiou a nova parceira por atender a uma reivindicação do clube. “A operadora entendeu e valorizou nossas tradições ao atender ao interesse de nossa torcida com uma concessão que poucas empresas fariam, que foi a mudança das cores de sua logomarca”, afirmou o dirigente.
A TIM criou sua plataforma de futebol em 2010. No final do ano passado, a empresa ativou seu patrocínio com uma promoção em que torcedores enviavam sugestão de novos cantos pelo Twitter. As mensagens mais criativas foram gravadas em vídeo e divulgadas nas redes sociais.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/patrocinadora-de-10-times-da-serie-tim-acerta-parceria-com-atletico-pr-e-coritiba_27782.html#ixzz3QJ6TOQfY

Museu do FC Barcelona foi o mais visitado da Catalunha em 2014

 
Mais uma vez, o Museu do Barcelona terminou 2014 como o mais visitado da Catalunha. Ao longo do último ano, 1.530.484 de pessoas visitaram o espaço dedicado a um dos maiores clubes do mundo, pequeno aumento de 1.62% em relação ao ano anterior.
Ainda assim, o número foi suficiente para bater outros ícones culturais da cidade, como o Museu Dalí, em Figueres, que recebeu 1.297.311 de visitantes, e o Museu Picasso, onde 919.814 de pessoas estiveram em 2014.
Ao preço de € 23 por pessoa (com diferentes valores para crianças e idosos), a partir do número de visitantes divulgados pelo clube, somente com o Camp Nou Experience, o Barcelona embolsou cerca de € 35 milhões.
Há um ano, o Museu do Barcelona comemorou a marca de 25 milhões de visitantes em seus 30 anos de existência. O recorde de visitas se mantém em 2011, quando o clube catalão recebeu 1.626 milhão de pessoas.
Fonte: MKT Esportivo

The Match | Heineken ativa retorno da UEFA Champions League

 
No próximo dia 17 de fevereiro, a bola volta a rolar para a fase oitavas de final da UEFA Champions League. Para ativar a ocasião, a Heineken, sinônimo do maior torneio de clubes do mundo, apresentou seu novo e divertido comercial.
À bordo de um navio, ao descobrirem que é dia de rodada, os tripulantes fazem de tudo para não perderem a partida. Objetivo alcançado, o brinde não poderia ser feito com outra cerveja que não a holandesa.
Fonte: MKT Esportivo

Estádio do Real Madrid terá naming rights de R$ 60 milhões por ano

Segundo o jornal espanhol As, casa do time espanhol passará se chamar Abu Dhabi Bernabéu após a grande reforma que está prevista para o estádio nos próximos anos




O tradicional estádio Santiago Bernabéu, que pertence ao Real Madrid ganhará um novo nome. Segundo informações do jornal As, da Espanha, o clube espanhol fechou acordo de naming rights por R$ 60 milhões anuais e passará a se chamar Abu Dhabi Bernabéu. O anúncio será feito nos próximos dias mas a mudança do nome do estádio ocorrerá apenas após a grande reforma que está prevista na casa do Real Madrid.

O patrocínio é da Cepsa, empresa espanhola de energia de propriedade da International Petroleum Investment Company (IPIC), que pertence ao governo de Abu Dhabi. O acordo de naming rights valerá por um período de 20 anos.
Em evento do clube espanhol realizado no final do ano passado, o presidente do Real Madrid, Florentino Perez, foi flagrado afirmando que o Santiago Bernabéu iria se chamar “IPIC, Cespa ou o que quer que eles queiram”. Segundo o jornal espanhol, o investimento árabe levou a melhor sobre Coca-Cola e Microsoft, que também manifestaram interesse em nomear o estádio do Real Madrid.

Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Estadio-Real-Madrid-rights-milhoes_0_1293470843.html#ixzz3QCt5mJXX
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

'Isso não é novidade para nós', diz presidente do Red Bull Brasil sobre polêmica na TV

Nome do time foi abreviado para RB Brasil durante a transmissão do amistoso realizado no último domingo contra o Palmeiras


A polêmica envolvendo a não divulgação de marcas proprietárias de times e arenas esportivas voltou à tona no último domingo após o nome do time Red Bull Brasil ser abreviado para RB Brasil durante as transmissões do amistoso contra o Palmeiras. O L! conversou com o presidente da equipe, Rodolfo Kussarev, que afirmou que a companhia também lida com o mesmo tipo de problema na Áustria, onde a marca é citada nas transmissões do torneio nacional mas não nas ligas europeias.
Como a empresa lidou com o fato da equipe ser chamada por RB Brasil?
Isso não é novo para nós. Aqui no Brasil também ocorre com a equipe de Fórmula 1. Cada meio de comunicação tem a sua filosofia e não há muito o que fazer.

A empresa tem atuado para que o nome do time seja citado nas transmissões?
Nossa posição é simples: respeitamos as leis e regulamentos de cada país. Na Áustria, por exemplo, nosso time (FC Red Bull Salzburg) é chamado de Red Bull no torneio nacional mas na Liga Europa e na Champions League ele passa a ser FC Salzburg. São regulamentos diferentes e temos que acatar.

Mas nas regras dos torneios no Brasil não há nenhuma restrição em relação a isso?
Exato, assim como ocorre nos EUA, onde não há restrições e nosso time é chamado de Red  Bull New York. Aqui também não há, mas é uma posição da empresa que detém os direitos.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/minuto/presidente-Red-Bull-Brasil-transmissao_0_1293470736.html#ixzz3QCtG9Pil
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Empresas terão que negociar para marcas serem citadas em transmissões esportivas

Segundo especialistas, polêmica também ocorreu nos EUA e países da Europa e que questão foi resolvida após acordo entre as partes




O torcedor que assistiu pela TV o amistoso do Palmeiras no último domingo, 25, deve ter ficado surpreso com o adversário do time que irá estrear este ano na elite do futebol paulista: o RB Brasil. O time na verdade é o Red Bull Brasil, que pertence à fabricante austríaca de bebida energética mas cujo nome foi abreviado na transmissão realizada pelo canal SporTV.
O fato não é novo – ocorre também nas transmissões de F1, vôlei, futsal, etc, e em vários meios de comunicação - mas gera polêmica sobre a necessidade ou não dos veículos citarem o nome das empresas que são proprietárias ou compram o direito de nomear equipes e arenas esportivas.
– Até onde eu sei, não há nenhuma cláusula nos contratos entre clubes e emissoras para que as marcas sejam divulgadas nas transmissões – avalia o advogado Marcos Motta, especialista em direito esportivo.
Já o especialista em marketing esportivo, João Henrique Areias, diz que a questão é antiga e ocorre desde a Copa União, que foi o torneio nacional de futebol em 1987.
– Naquele ano, o jornal Estado de Minas passou a tampar a logomarca da Coca-Cola dos uniformes dos times e tive que argumentar que aquilo era importante para o esporte se desenvolver no país – diz Areias, citando que sua argumentação deu resultado e as marcas passaram a aparecer nas edições do periódico mineiro.
Pelo fato da Globo deter os direitos de transmissão dos principais torneios de futebol do país, ambos os especialistas dizem que a saída para essas equipes é negociar a exposição de sua marca nas transmissões com a emissora.
– Acredito que isso irá mudar nos próximos anos assim como ocorreu nos EUA e Europa, onde houve um acordo entre as partes – aponta Areias.
Contatada, a Globo não retornou a solicitação feita pelo L!.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/minuto/Empresas-negociar-citadas-transmissoes-esportivas_0_1293470733.html#ixzz3Q8ulsoa4
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Em 2014, 83% dos jogos do Estadual do Rio deram prejuízo

Levantamento da Máquina do Esporte mostra que apenas 21 jogos de competição de 2014 foram lucrativos 


O tabelamento do preço dos ingressos no Estadual do Rio de Janeiro não deverá melhorar a penúria de público e renda da competição. Pelo menos se o comportamento do torcedor seguir o que ocorreu em 2014.

Levantamento exclusivo da Máquina do Esporte mostra que, no Estadual do ano passado, dos 126 jogos disputados, apenas 21 (16,7%) foram lucrativos para as equipes. Mais do que isso, os jogos que registraram lucro tiveram, geralmente, ingressos com valores superiores àqueles estabelecidos pela Federação de Futebol do Rio.

Para 2015, a Ferj estipulou o preço máximo de R$ 50 para os ingressos. A medida, de acordo com a federação, visa estimular o aumento de público nos jogos. O problema é que, em 2014, os valores cobrados pelos clubes já eram próximos a esse.
Na maioria dos 105 jogos que registraram prejuízo, os valores do bilhete não ultrapassavam nem mesmo os R$ 20, ainda mais naqueles que envolvem os clubes de menor torcida.

Mais do que o valor do ingresso, o problema parece ser muito mais a presença dos clubes de menor torcida na competição do que realmente o valor cobrado pelo ingresso para os jogos.
Entre as 21 partidas lucrativas em 2014, todas envolviam pelo menos um dos quatro clubes grandes (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco). 

Mais ainda, apenas a dupla Fla-Flu, que abriu guerra contra a Ferj, conseguiu ter lucro nos jogos contra equipes menores. 

Outro que foi atacado pela federação, o estádio do Maracanã foi o grande responsável pela existência de jogos lucrativos no Rio em 2014. Apenas uma das 21 partidas que terminaram com saldo positivo não foi disputada no estádio da Copa. 

O Eduardo Guinle, em Nova Friburgo, foi o palco de Friburguense x Flamengo em 29 de janeiro. Foi o único jogo que teve um clube pequeno como mandante e que deu lucro.
O jogo mais lucrativo foi a final Flamengo x Vasco. Com bilhetes entre R$ 25 e R$ 260, o jogo arrecadou R$ 2,8 milhões e teve um lucro de R$ 1,3 mi. O público foi de 49.139 pessoas.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/em-2014-83-dos-jogos-do-estadual-do-rio-deram-prejuizo_27776.html#ixzz3QCsnaZxc

Análise: Fluminense dá início ao "Bom Senso" dos clubes

Erich Beting dá sua opinião sobre a revolta do clube contra a federação do Rio

A irônica carta de “aceitação” que o Fluminense endereçou à Federação de Futebol do Rio (leia aqui) coloca o futebol brasileiro numa nova encruzilhada.
Depois de os jogadores peitarem o status quo, parece que chegou a vez de os clubes deixarem de baixar a cabeça para os desmandos de cartolas furadas que insistem em jogar para baixo a gestão do futebol.
Os Estaduais são, cada vez mais, um produto em extinção num futebol mais profissional, como exigem os clubes de maior torcida do país. É um caminho de evolução natural do esporte, uma vez que não dá para o clube grande pensar pequeno durante praticamente 30% do ano.
É essa a conta que representa os Estaduais para as equipes de ponta. O torneio local representa custo, sem qualquer benefício tangível. Nem mesmo o que é pago pela cota de TV compensa o esforço de ter de jogar em estádios sucateados, ter público irrisório quando atua em casa por conta da baixa atratividade do evento, sofrer com crises causadas pelo mal desempenho esportivo.
A Ferj continua achando que o baixo público nos estádios não tem a ver com um modelo ineficiente de gestão de seu principal evento, que não tem qualquer apelo para o torcedor e, agora, nem ao menos pode ser rentável para os grandes times. Se o problema é o preço do ingresso, então o que se viu na Copa do Mundo é o milagre da elitização do país.
O Bom Senso parece que começa a querer se iniciar com os clubes. Ter o peso de Flamengo e Fluminense peitando os maus dirigentes pode ser o início de algumas mudanças.

Ex-jogador Luis Figo lança candidatura à presidência da Fifa

Português teria o apoio de 54 federações subordinadas à Uefa, hoje a principal opositora de Joseph Blatter




Essa promete ser uma das eleições mais disputadas na Fifa. O ex-jogador Luis Figo lançou nesta quarta-feira candidatura à presidência da entidade hoje presidida por Joseph Blatter, que busca a reeleição. O pleito será em 29 de maio, em Zurique, na Suíça.
Figo afirma estar preparado para substituir Blatter, cuja figura tem se desgastado com constantes denúncias de corrupção. O suíço, no poder desde 1998, tenta o quinto mandato. O ex-jogador de Barcelona e Real Madrid teria apoio de 54 federações subordinadas à Uefa, de onde vem a principal oposição ao atual mandatário.
“Olho a reputação da Fifa neste momento e não gosto do que vejo”, afirmou Figo, que já tem uma mensagem para convencer os eleitores. “Não tenham medo de mudança.”
A um dia de apresentar um prazo de apresentação de candidaturas, já são seis os aspirantes ao cargo. Além de Figo e Blatter, também lançaram candidatura o príncipe da Jordânia Ali bin Al-Hussein, o presidente da federação holandesa de futebol, Michael Van Praag, e os franceses David Ginola e Jérôme Champagne.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/ex-jogador-luis-figo-lanca-candidatura-presidencia-da-fifa_27773.html#ixzz3Q8vCuouP

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Under Armour planeja invadir futebol europeu pela Alemanha

Empresa norte-americana negocia com Borussia Mönchengladbach e Schalke 04




Dona da camisa do Tottenham, na Inglaterra, a Under Armour não pretende invadir o mercado europeu através da Premier League. Segundo a imprensa local, a fábrica norte-americana planeja iniciar sua expansão pela Alemanha.
A empresa está em contato com duas equipes da Bundesliga: Borussia Mönchengladbach e Schalke 04. A fábrica também negocia com outro time tradicional do país, o St. Pauli, de Hamburgo, que disputa a segunda divisão.
Menos badalado hoje do que seu homônimo de Dortmund, o Borussia Mönchengladbach é dono de cinco títulos alemães. O clube viveu sua melhor fase nos anos 70, quando também conquistou duas Copas da Uefa (atual Liga Europa). Já o Schalke 04, de Gelsenkirchen, é outro time centenário do país, tendo conquistado sete troféus da Bundesliga.
Em outubro, Kevin Plank, CEO da Under Armour, já havia mostrado interesse na liga alemã.  “Devemos ter representante na Bundesliga. Vamos encontrar a equipe certa”, afirmou.
A dificuldade para o acordo é que tanto o Borussia Mönchengladbach quanto o Schalke 04 têm contratos em vigor até 2018. A italiana Kappa é a fornecedora do time de Mönchengladbach, enquanto a Adidas tem o contrato de material esportivo com o clube de Gelsenkirchen.
O acerto com o St. Pauli seria mais viável no momento. O clube do bairro boêmio de St. Pauli, em Hamburgo, possui vínculo com a dinamarquesa Hummel até 2016.
A Under Armour já teve representante na liga alemã. A marca foi fornecedora do Hannover 96 em 2008, em contrato de três anos que acabou não renovado. “Não deveríamos ter deixado o clube”, lamenta Plank.
As negociações com os clubes alemães não foram confirmadas pela Under Armour.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/under-armour-planeja-invadir-futebol-europeu-pela-alemanha_27764.html#ixzz3Q8QIdZXj

Fluminense compara federação carioca à ditadura militar

Clube divulga nota oficial com ataques fortes à entidade do Rio de Janeiro




O Fluminense resolveu reagir à medida da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) de colocar a estreia do time longe do Maracanã, precisamente em Volta Redonda. O clube publicou uma nota em seu site oficial ironizando a entidade e chegou a compará-la ao regime militar no Brasil.
Segundo o Fluminense, ao mudar o mando de campo do time após o clube ter repudiado o limite do preço de ingresso do Campeonato Estadual, a federação pretende “instaurar o Ato Institucional número 5 no futebol carioca”. A referência é o decreto estabelecido em 1968 durante o governo Costa e Silva que suspendia os direitos políticos dos brasileiros e que marcou o início dos “anos de chumbo” do regime militar.
Ainda em referência ao histórico político nacional, o Fluminense citou um de seus mais notórios torcedores, Chico Buarque, para afirmar que cumprirá as medidas adotadas pela federação carioca, em respeito aos patrocinadores e aos detentores dos direitos de transmissão. Foi declarado: “Hoje você é quem manda, falou tá falado, não tem discussão”, parte da letra de “Apesar de você”. A canção chegou a ser proibida durante o governo Médici.
Até o Vasco, cujo presidente Eurico Miranda fez a proposta pelo limite de preço dos ingressos, foi lembrado: “se permitido for, esperamos em breve reunir todos os guerreiros em nossa casa, do lado direito das tribunas do Maracanã. Lugar que, por contrato e pelos próximos 34 anos, é nosso.” O mandatário vascaíno chegou a ameaçar não jogar no estádio caso a posição histórica de sua torcida não fosse respeitada.
A revolta do Fluminense foi pela decisão da Ferj em limitar os ingressos a, no máximo, R$ 50 durante o Campeonato Carioca. Na última semana, a concessionária do Maracanã divulgou nota oficial em conjunto com o clube e com o Flamengo, que mantêm contratos para atuar no estádio. Para os três, as medidas da federação impõe prejuízo e descaracteriza o mandante da partida, o que seria ilegal.
A ideia de Vasco e Ferj era aumentar a média de público do torneio, que em 2014 não passou das 3 mil pessoas por partida.
Agora, terão que lidar com uma guerra declarada. 
Leia o pronunciamento do Fluminense na íntegra: 

Falou, tá falado! 
O Fluminense Football Club, na condição de filiado, vem a público registrar que repudia todas as acusações feitas pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro na RDI 003/15, mas acatará a determinação de disputar a partida contra o Friburguense no Estádio da Cidadania, em Volta Redonda, no próximo dia 1 de fevereiro.
Como fundador da Federação e pioneiro no profissionalismo no futebol carioca, o Fluminense cumprirá a decisão de uma entidade tão gabaritada, que organiza, atualmente, a melhor competição do futebol brasileiro. Afinal, o Campeonato Carioca tem, há alguns anos, as “melhores médias de público registradas no país”.
Além disso, em respeito aos patrocinadores e detentores dos direitos de transmissão da competição, o Fluminense não irá se opor a levar o que há de melhor no futebol carioca a outras praças do estado, apesar de entender que tal medida trará enormes prejuízos de visibilidade e na parte técnica ao Estadual.
Embora a Federação pretenda instaurar o Ato Institucional número 5 no futebol carioca, não será o Fluminense Football Club o “subversivo” desta competição. Não é e nunca será este o nosso papel. Ao Fluminense sempre coube a vanguarda, no melhor sentido da palavra. Lembremos Chico Buarque: “Hoje você é quem manda, falou tá falado, não tem discussão”.
Apesar da decisão de mudar o local da partida a menos de uma semana do início da competição, convidamos os torcedores sul-fluminenses a prestigiar a estreia tricolor. Aos cariocas, se permitido for, esperamos em breve reunir todos os guerreiros em nossa casa, do lado direito das tribunas do Maracanã. Lugar que, por contrato e pelos próximos 34 anos, é nosso.
O Fluminense reconhece que a atual gestão da Ferj faz todo o esforço para que os campeonatos não terminem como os de 1990, 1992 e 1998, quando no primeiro tivemos um clube dando volta olímpica com um barco de papel, no segundo os clássicos foram disputados fora do Maracanã e o terceiro foi repleto de W.Os, com o jogo final em Moça Bonita e um curioso apagão antes do gol que decidiu a competição. Qualquer semelhança seria mera coincidência…
Deixamos registrado que apesar de cumprir a determinação exigida, o Fluminense fará valer todos os seus direitos frente aos prejuízos materiais que possa sofrer, e que protegerá os torcedores do Rio de Janeiro levando aos órgãos competentes quaisquer descumprimentos das leis vigentes no país.
Além disso, reafirmamos o compromisso com o Clube de Regatas do Flamengo e a Concessionária Maracanã pela transformação do futebol brasileiro, conforme manifesto divulgado no último dia 22.

Finalizamos com Chico Buarque: “Apesar de você, amanhã há de ser outro dia…” 

Barcelona anuncia pré-temporada no México e Estados Unidos

Clube, que deve estar desfalcado de Messi e Neymar, volta à América após 4 anos




O Barcelona anunciou que irá viajar para Estados Unidos e México na próxima pré-temporada, do final de julho ao começo de agosto. O clube da Catalunha volta ao continente americano após quatro anos. Por ora, ainda não foram confirmadas datas. Segundo o diário As, Los Angeles, San Francisco, Monterrey e Cidade do México serão as cidades escolhidas.
Com a opção por EUA e México, a diretoria descartou um giro pela Ásia, onde disputaria amistosos contra Manchester United, Chelsea e Juventus. Os organizadores das partidas, que seriam na China, Japão e Indonésia, exigiam a presença das principais estrelas do elenco.
O problema é que Messi, Neymar, Luis Suárez e Mascherano provavelmente estarão em ação defendendo suas seleções na Copa América do Chile, marcada para a mesma época. Norte-americanos e mexicanos foram mais flexíveis, e ganharam a disputa.
Será a quarta vez nos últimos dez anos que o time viaja para o continente durante o período de preparação. Em 2006, o elenco viajou a Monterrey, Los Angeles, Houston e Nova York logo após ganhar a Liga dos Campeões, em Paris. Três anos depois, jogou em Los Angeles, Seattle e San Francisco. Washington, Miami e Dallas foram as cidades escolhidas do tour de 2011. Em ambos os anos, o Barcelona também ganhou o principal torneio europeu de clubes.
Nos últimos anos, sem conquistas tão importantes, o Barcelona não visitou a América. Em 2012, disputou uma série de amistosos pela Europa. No ano seguinte, viajou para a Ásia. No ano passado, já com o técnico Luis Enrique no banco, fez um estágio de uma semana em Birmingham e depois disputou três amistosos, em Nice, Genebra e Helsinque.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/barcelona-anuncia-pre-temporada-no-mexico-e-estados-unidos_27768.html#ixzz3Q3NohyRj

Jogadores da MLS ameaçam fazer greve se não for assinado novo acordo trabalhista

De olho em aumento de receitas com contrato de TV, atletas reivindicam melhores salários




O início da temporada 2015 da Major League Soccer (MLS), previsto para 6 de março, está em suspenso. O sindicato dos jogadores prepara uma greve se não for assinado o novo acordo coletivo de trabalho da liga norte-americana de futebol.
Os jogadores reclamam por se tornarem agentes livres quando seus contratos são encerrados. Atualmente, um jogador que não tem compromisso vigente é selecionado em um novo draft. Ou seja, o atleta não tem nenhum controle sobre para onde irá jogar.
O sindicato também quer aumentar o salário mínimo da liga que atualmente é de US$ 35.125. O argumento é que a MLS cresceu muito nos últimos anos, há mais dinheiro de direitos de TV e isso deveria se refletir no pagamento dos atletas.
Michael Bradley, do Toronto, acredita na possibilidade de greve. “Temos que chegar a um acordo antes que comece a temporada. Estamos dispostos a fazer greve”, afirmou o jogador, em entrevista à ESPN americana.
Álvaro Saborío, do Real Salt Lake, respaldou o colega. “Estou completamente de acordo com Michael Bradley. Ninguém quer uma greve, mas se isso tiver que acontecer, vamos fazê-lo. É uma simples questão de justiça”, afirmou o costa-riquense pelo Twitter.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/jogadores-da-mls-ameacam-fazer-greve-se-nao-assinado-novo-acordo-trabalhista_27767.html#ixzz3Q3Ndk000

Análise: Jogos na pré-temporada mostram velhas carências no futebol

Leia a opinião de Duda Lopes sobre os jogos realizados neste mês

Os jogos deste início de ano tiveram uma série de apelo para torcedores pouco acostumados com jogos festivos; o calendário brasileiro tem impedido esse tipo de evento. E, mesmo com a possibilidade na mão, ficou clara a falta de experiência para aumentar a atratividade de partidas.
Houve diversos pequenos problemas, mas o principal foi a incapacidade de fazer com que os eventos fossem realmente especiais, fora do padrão de uma partida comum. No encontro entre Corinthians e Corinthian-Casuals, por exemplo, foi difícil identificar até mesmo o que era um vídeo promocional no telão improvisado da arena.
No dia seguinte, um evento promovido pela federação paulista de futebol repetiu todos os velhos problemas possíveis. A venda de ingresso ignorou por completo o Estatuto do Torcedor, e o domingo de manhã contou com filas e confusão, como sempre. Até a premiação dos jogadores teve erro, com palco que impedia a maior parte do estádio em assistir o levantar da taça. Tudo no horário de pico do verão brasileiro.
O pior caso, no entanto, ficou para Manaus, com as cenas mais lamentáveis deste início de temporada. Sem divisão de torcidas, as brigas entre torcedores aconteceram nos corredores da nova arena. O jogo seguinte, no domingo, teve apenas 20 mil torcedores.
Cadeira vazia, inclusive, foi mais um fator em comum. Palmeiras e Red Bull fizeram, com sobras, o melhor evento do fim de semana, mas mesmo assim não lotaram o Allianz Parque. Foram 20 mil pessoas no novo estádio.

Com a Santos TV, Peixe terá programa em canal por assinatura

Clube deve fechar nesta quarta-feira acordo com o Premiere FC. Departamento de Comunicação tenta ser auto-suficiente e também gerar renda para o Santos




O Santos deve fechar nesta quarta-feira uma parceria com o canal por assinatura Premiere FC para a exibição de um programa exclusivo do clube. O conteúdo será produzido pela própria Santos TV, que atualmente veicula seu material apenas no Youtube.
Pelo acordo, o Peixe ficará com a responsabilidade de produzir dois programas de cerca de 30 minutos por mês e receberá aproximadamente R$ 35 mil mensais. O valor é considerado baixo, mas ajudará a custear parte dos departamentos de comunicação do clube. Segundo Fabiano Farah, novo gerente da área, a ideia é que o setor seja auto-sustentável em breve e passe até a dar lucro para o clube.
Diversas equipes já utilizam o espaço e se aproveitam dessa fonte de receita, casos de Corinthians, Inter, Flamengo e outros.
Atualmente, a Santos TV já gera renda ao Peixe, pois o Google paga por acessos ao canal do Youtube. No entanto, a verba é pequena e vista como simbólica. O principal retorno do canal ainda é institucional, ajudando a aproximar o torcedor alvinegro do seu clube de coração.
A nova diretoria alvinegra tem planos de ampliar a atuação do canal e, neste começo de ano, tem apostado em exibições ao vivo, sobretudo apresentações de jogadores contratados.
Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/santos/Aproveitando-Santos-TV-Peixe-assinatura_0_1292870792.html#ixzz3Q3NFIOrW
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Oriente Médio será a casa da primeira loja-conceito da Champions League

 
A UEFA assinou um acordo de licenciamento com a Marka para a construção da primeira loja-conceito da Champions League especificamente para o Oriente Médio.
Com previsão de abertura para maio deste ano, a The UEFA Champions League Experience estará sediada em Yas Island, Abu Dhabi, e a promessa é uma experiência de marca única aos fãs de futebol.
Inspirado pela espetacular atmosfera de energia e paixão que envolve a competição, o espaço terá 1,600m² e disponibilizará aos seus clientes uma ampla gama de licenciamento das principais equipes da Europa, além de produtos oficiais da UEFA. Museu e restaurantes completam este templo do consumo dedicado ao esporte mais popular do planeta.
 




 
Fonte: MKT Esportivo

Pioneiro na Bélgica, Club Brugge terá estádio digitalizado pela Cisco

 
O Club Brugge tornou-se o primeiro clube da Bélgica a oferecer wi-fi gratuito aos seus torcedores dentro do estádio. Uma ‘casa conectada’ foi possível a partir de uma parceria do clube com a Cisco, líder mundial em redes de internet e com diversas parcerias dentro da modalidade.
Pelo acordo, o Jan Breydel Stadium terá 400 pontos de acesso, incluindo todas as áreas de hospitalidade, restaurantes, banheiros e sala de imprensa. De acordo com uma recente pesquisa da Cisco, mais de 3/4 dos fãs de futebol levam seus smartphones ao estádio. Mais precisamente na liga belga, a Jupiler Pro League, um dos fatores que colabora para este natural processo de digitalização é a internet móvel na Bélgica estar entre as dez mais rápidas do mundo.
No futebol, através de sua tecnologia, a Cisco interliga clubes e torcedores dos seguintes estádios: Santiago Bernabéu (Real Madrid), Etihad Stadium (Manchester City), BayArena (Bayer Leverkusen) e Celtic Park.
Fonte: MKT Esportivo

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Flamengo fez virada histórica em 2014, segundo estudo financeiro

O consultor de marketing esportivo, Amir Somoggi, publicou no início desta semana uma análise detalhada sobre a gestão financeira do Flamengo nas últimas 12 temporadas. O documento é uma forte mensagem aos críticos da atual gestão rubro-negra: depois de oito anos consecutivos de déficit, em 2014 o clube teve superávit, numa virada que pode ser histórica.
Considerando as 12 temporadas do estudo, apenas uma outra vez ocorreu a mesma situação - de superávit. Destaque para 2005, durante gestão Marcio Braga. Naquele período, no entanto, o faturamento foi pequeno para os padrões do Flamengo: R$ 2 milhões.
Isso reforça ainda mais os indícios de virada histórica no Fla, considerando que o superávit dos nove primeiros meses de 2014 bateu R$ 53 milhões.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/flamengo/Estudo-financeiro-mostra-Flamengo-historica_0_1292870764.html#ixzz3Q2aISeCa
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Futebol Tour celebra crescimento após investir em museus

Locais de visitação em estádios já representa 40% do faturamento da agência




A Futebol Tour surgiu em 2008 com foco em serviços de viagens para torcedores. Mas, há algum tempo, a agência tem investido mais pesado em museus de estádios e clubes. Em 2014, a opção pelo aumento no sortimento de produtos já deu um resultado real: a empresa cresceu 20%.
Após celebrar o bom ano, hoje a Futebol Tour tem o faturamento dividido: 60% ainda é proveniente dos serviços de viagens e 40% já vem dos museus administrados pela agência. Outra vantagem obtida é o faturamento obtido em qualquer mês do ano, já que viagens para clubes só ocorrem durante a temporada do futebol nacional.
Hoje, a Futebol Tour administra os museus do Grêmio e do Flamengo, além dos espaços de visitação da Itaipava Arena Pernambuco, Arena das Dunas e Maracanã. Em conversa com a Máquina do Esporte, o sócio da agência, Bruno Paste, explicou dois dos passos que deverão ser seguidos. O primeiro, claro, é ampliar o número de contratos com times.
Já o segundo é ficar cada vez mais próximo do que é feito na Europa e nos Estados Unidos. “Acho que falta bastante para o Brasil chegar nesse nível. Temos que licenciar a marca dos estádios, criar produtos. E tem que seguir o que os americanos fazem: tornar o evento esportivo em um grande espetáculo”, afirmou.
A modalidade de negócio da Futebol Tour tem um retorno bom graças ao apelo de estádios, todos reformados ou construídos recentemente. O Maracanã, por exemplo, é um dos símbolos do Rio de Janeiro e ganhou ainda mais atenção após sediar a final da Copa do Mundo de 2014. Atualmente, o tour pela arena recebe 3 mil pessoas diariamente, um público que chega a pagar até R$ 76 pela experiência.
Os contratos têm variado conforme o valor de investimento da empresa. E, como eles podem ser altos, o retorno nunca é imediato. Também no Rio de Janeiro, o museu do Flamengo, o Fla Experience, foi recém-construído na Gávea, com boa parte das estruturas bancadas pela agência. Nesse caso, o retorno pode demorar até um ano e meio. 

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/futebol-tour-celebra-crescimento-apos-investir-em-museus_27766.html#ixzz3Q3NUtM3e

Opinião: "Por que Ronaldo se tornou dono de um time de futebol nos EUA"

Ricardo Geromel, sócio do Fort Lauderdale Strikers, conta o que há por trás da entrada do Fenômeno no negócio

O ex-jogador Ronaldo anunciou no dia 11 de dezembro de 2014 que havia comprado uma parte do Fort Lauderdale Strikers, time que disputa a NASL (North American Soccer League, liga de futebol que é paralela à MLS). Mas afinal, o que motivou o “Fenômeno” a se tornar sócio de uma equipe de futebol nos Estados Unidos? 
A resposta tem a ver com dois aspectos. Um é o desenvolvimento do futebol nos Estados Unidos: o plano ambicioso do brasileiro é que o esporte no país tenha um AR (Antes de Ronaldo) e um DR (Depois de Ronaldo). O outro ponto é o mercado global de escolinhas de futebol. “O FL Strikers é uma plataforma de negócios. E o principal negócio, o que mais atraiu Ronaldo, foi o projeto de escolinhas”, disse Rafael Bertani, um dos novos sócios do “Fenômeno”. 
Bertani faz parte do grupo que assumiu em setembro de 2014 o controle do FL Strikers. Ele é da família de Carlos Wizard Martins, bilionário brasileiro, ex-dono de escolas de inglês como Wizard e Yazigi. Paulo Cesso, outro dos sócios do time, também é empresário do segmento de educação. O Strikers é parte de um projeto grande, que sempre incluiu escolinhas de futebol, programas de intercâmbio, centro de inovação e um novo estádio. 
Carlos Wizard Martins, a quem eu me refiro como “o Papa das franquias” para o poder público local dos Estados Unidos, tem ajudado a conseguir terrenos para as escolinhas de futebol que terão a marca “Ronaldo9”. O bilionário brasileiro disse que era preciso ter cuidado com a nomenclatura e que ele teve de batalhar muito para que as pessoas parassem de se referir a suas instituições como “cursinhos”. Eu sabia que a mídia brasileira cobriria em peso a semana que Ronaldo passou nos Estados Unidos no início de 2015. Em nossas reuniões de sócios, pedi diversas vezes que eles dissessem “academia” e não “escolinhas”. 
No segundo dia de Ronaldo em Fort Lauderdale, antes de uma conferência de imprensa, acompanhei o "Fenômeno" e Carlos Wizard Martins num passeio de helicóptero para ver áreas que podem abrigar as academias Ronaldo 9. Carlos falou sobre sua origem humilde – pai caminhoneiro e mãe doméstica –, e essa breve anedota serviu para aproximar os dois. Durante o voo, o empresário prestou mais atenção no celular do que na paisagem. Não era para menos: durante os 35 minutos de acrobacias aéreas, ele mostrou que já tinha recebido cinco emails com pedidos de compras de franquias. 
A mídia do mundo inteiro esteve no Hard Rock Casino para a primeira entrevista coletiva de Ronaldo como sócio do Fort Lauderdale Strikers. Nós colocamos o plano das escolinhas – ou melhor, academias – no centro do show. Quem compra uma franquia pode se qualificar para receber um green card nos Estados Unidos. O nome e a metodologia 100% aprovada por Ronaldo são argumentos de venda. 
A localização do time, no Sul da Flórida, também ajudou na decisão de Ronaldo. Antes de comprar o Fort Lauderdale Strikers, quase fechei com um time em Phoenix, no Arizona. Seria difícil recrutar Ronaldo para ser sócio por lá (mas já há interessados em uma franquia da Ronaldo 9 na região). Miami é uma metrópole agitada, um mix do business de São Paulo com a beleza e clima festivo do Rio de Janeiro e algumas das melhores festas do planeta, e concentra celebridades do mundo todo. No sábado passado, num evento em que Ronaldo conheceu alguns potenciais patrocinadores, marcaram presença Daniela Braga (modelo que é angel da grife Victoria’s Secret) e o ex-jogador de basquete Allen Iverson, que já chegou a ser eleito o melhor jogador da NBA. 
O Fort Lauderdale Strikers estreia na NASL no dia 4 de abril, em Fort Lauderdale, contra o New York Cosmos. Vai ser a estreia de Raúl, jogador que mais fez gols na história do Real Madrid, pelo time de Nova York. Ganhar títulos é parte da estratégia do Strikers, sim, mas trabalhamos para construir uma instituição que não dependa dos resultados em campo para ter um balanço financeiro positivo. Estamos batalhando para contratar uma estrela, mas não está fácil. E se não conseguirmos um jogador de classe mundial, esperamos que as academias ajudem a trazer os próximos fenômenos. 
* Ricardo Geromel é sócio e um dos gestores do Fort Lauderdale Strikers, time que foi comprado por investidores brasileiros em 2014 e que tem, desde dezembro, Ronaldo como um de seus sócios. 

Ronaldo usa marca R9 em rede de escolas com time nos EUA

Ex-jogador terá rede de franquias para espalhar marca dele e do Strikers, time que comprou




Pouco mais de um mês após anunciar a sociedade com o time do Fort Lauderdale Strikers nos Estados Unidos, o ex-jogador Ronaldo dá os primeiros passos na relação com o clube.
Por meio da marca R9 e do Strikers, Ronaldo lançará um projeto de franquias de escolas de futebol pelo Estados Unidos.
A informação é de Ricardo Geromel, um dos sócios do Strikers, em artigo exclusivo assinado por ele nesta terça-feira na Máquina do Esporte.
Com o nome de “Por que Ronaldo tornou-se dono de um time de futebol nos EUA”, Geromel conta sobre alguns dos primeiros projetos envolvendo o Strikers e o ex-jogador.
“O Strikers é parte de um projeto grande, que sempre incluiu escolinhas de futebol, programas de intercâmbio, centro de inovação e um novo estádio”, afirma Geromel em seu artigo.
Ao lado de Ronaldo e de Rafael Bertani, um dos outros sócios do Strikers, Geromel tem rodado os Estados Unidos em busca de parceiros franqueadores para a abertura das escolas com as bandeiras de Ronaldo e Strikers.
O projeto de franquias é ancorado no sucesso da rede de escolas de idiomas Wizard e Yazigi, que foi montada pelo empresário Carlos Wizard Martins no Brasil. Martins é um dos sócios do Strikers e tem ajudado a buscar terrenos nos EUA para montar as franquias de futebol do time.
Geromel também destaca em seu artigo a repercussão mundial que a associação com Ronaldo gerou para o Strikers. De acordo com o executivo, a partir do instante em que o Fenômeno foi anunciado como sócio do clube, a cobertura de mídia internacional aumentou.
O Strikers fará a estreia na NASL, espécie de liga secundária de futebol nos EUA, no dia 4 de abril, contra o NY Cosmos, time que ganhou fama mundial ao ter Pelé como jogador.
Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/ronaldo-usa-marca-r9-em-rede-de-escolas-com-time-nos-eua_27762.html#ixzz3Q10rOkju

Análise: Na marra, futebol entende o que é ativação

Erich Beting comenta fim de patrocínio de Femsa e falta de ativação de empresa com clubes paulistas

O fim da relação dos clubes de futebol com a Femsa/Coca-Cola é um alento para o modelo de negócios que deve imperar no esporte. 
Desde o princípio, o acordo entre a empresa e os clubes era ruim para ambos. Não pelo que representa você pode ser um fornecedor exclusivo de um clube de futebol, que é um belo ativo se bem trabalhado, mas exatamente pelo fato de que a empresa e os clubes não souberam trabalhar as ferramentas para que o patrocínio pudesse ser maximizado.
Apesar de muitos considerarem ambicioso em excesso o projeto da Ambev com o “Movimento por um futebol melhor”, ele é um dos poucos patrocínio no país que é feito pensando-se meramente em ativação da relação entre torcedor, clube e patrocinador. E, já por isso, precisa ser visto como case de sucesso.
O que a Femsa não fez no patrocínio aos clubes foi buscar a ativação. Ainda mais tendo toda a referência da Coca-Cola no mercado americano e na Copa do Mundo, é uma pena que esse potencial tenha sido desperdiçado. No fim, perderam todos da cadeia: time, torcida e empresa.
Em São Paulo, os clubes sentiram na pele a diferença que faz ativar o patrocínio. O que impressiona é que a propriedade que agora está vaga ainda não tenha sido preenchida. 
O Barcelona tem dois parceiros que são exclusivos para a América Latina. A Gillette e os refrigerantes Big Cola. Por que não há parceria assim com os clubes brasileiros? 

Com Neymar, Barcelona apresenta Tenys Pé como sua nova patrocinadora

 
Com a presença de Neymar, a Tenys Pé foi apresentada hoje como a nova patrocinadora do Barcelona. Este foi o primeiro acordo intermediado pela empresa do pai do atacante, a NR Sports, desde que ela se tornou representante comercial oficial do clube espanhol no Brasil.
Pelo contrato, a Tenys Pé poderá explorar a imagem do Barcelona e de alguns dos jogadores do atual elenco em campanhas publicitárias. Como também é patrocinadora de Neymar, naturalmente o jogador será um dos mais ativos nos licenciamentos.
Sem valores divulgados, a Tenys Pé Baruel será o “desodorante oficial para os pés do FC Barcelona” pelos próximos quatro anos.
 
 
Fonte: MKT Esportivo

Coca-Cola encerra acordo com G4 e deixa clubes 'órfãos'

Femsa não renova vínculo com grandes paulistas, que buscam marca de refrigerante




A Coca-Cola não é mais patrocinadora dos quatro grandes clubes paulistas. Corinthians, São Paulo, Santos e Palmeiras não contam mais com o apoio da Femsa, que faz a distribuição do refrigerante no país.
A empresa apoiava os times desde o fim de 2009, mas não renovou o vínculo que era válido até 31 de dezembro último.
O distrato é cercado por um pouco de insatisfação dos dois lados.
“Eles não ativavam a marca, e isso já não tem valido a pena para os times”, disse José Carlos Peres, coordenador geral do G4, que negocia em conjunto para as quatro equipes.
A Femsa teria feito uma oferta com valores maiores ao que era pago no antigo contrato, segundo Peres, mas não houve acerto. A ideia era ter uma relação semelhante à com a a Ambev, que tem acordo idêntico, mas faz uma série de ações com os times, ancorada no Movimento por um Futebol Melhor.
O contrato com a Ambev foi justamente o primeiro momento de ruptura com a Femsa. A distribuidora mantinha a Kaiser como patrocinadora das equipes, além da Coca-Cola. Em 2012, para fechar com a Ambev, o acordo com a Femsa foi quebrado, valendo só para refrigerantes.
O valor do contrato firmado foi o mesmo estabelecido anteriormente pela Kaiser, mas os clubes paulistas ambicionaram o que era feito com os rivais cariocas. Os grandes do Rio de Janeiro tiveram estruturas reformadas graças à parceira com a Ambev. A empresa também faz ações com sócios-torcedores, além de personalização de latas.
Agora, o G4 paulista busca um substituto no segmento de refrigerantes. O grupo já enviou proposta aos principais concorrentes, mas as negociações ainda estão num primeiro estágio.
A Femsa declarou que o contrato não foi renovado porque “neste ano está redirecionando seus investimentos de marketing para outras atividades, além do futebol”. A Coca-Cola patrocina os Jogos Olímpicos.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/coca-cola-encerra-acordo-com-g4-e-deixa-clubes-orfaos_27754.html#ixzz3PwdppXT1

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Verdão anuncia novo patrocínio e já projeta mais fontes de renda

Presidente do Palmeiras, Paulo Nobre confirma contrato de um ano com rede de planos de saúde. Mais patrocinadores podem chegar em breve




O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, anunciou a chegada de mais um patrocínio ao clube. A Prevent Senior, uma rede de planos de saúde, estampará sua marca na omoplata da camisa alviverde e pagará aproximadamente R$ 5 milhões por ano ao Verdão. O acordo foi confirmado pelo mandatário em entrevista coletiva realizada na manhã desta segunda-feira, na Academia de Futebol.
– Não tenho dúvida que os patrocinadores se aproximam do Palmeiras pela grandeza do clube. Se não fosse um clube com milhões de torcedores e simpatizantes espalhados pelo Brasil e pelo mundo não conseguiríamos atrair patrocinadores deste quilate. A cota de patrocinadores vem da credibilidade que conseguimos conquistar no mercado nesses últimos dois anos. Isso é muito satisfatório para os envolvidos – afirmou Nobre.
Na vitória por 3 a 1 sobre o Shandong Luneng, da China, na semana passada, a empresa já havia exibido sua marca no espaço do patrocínio máster. Contra o RB Brasil, no último domingo, a publicidade foi testada justamente nas omoplatas, onde permanecerá até o final deste ano.
– Existiram conversas com outros clubes, mas a gente gosta de frisar que o Palmeiras é uma marca centenária, tem muita tradição. Pela própria seriedade do trabalho que vem se avizinhando, por toda a equipe montada, o Palmeiras é o melhor projeto de marca. É o melhor caminho para isso no futebol brasileiro – Fernando Parrillo, sócio-proprietário da Prevent.
O Palmeiras já havia acertado com a instituição financeira Crefisa o patrocínio para o local de maior exposição do uniforme, em um acordo que renderá aproximadamente R$ 23 milhões aos cofres do clube por ano. Dessa maneira, serão quase R$ 28 milhões no total, por enquanto, já que o Verdão ainda se interessa por estampar outras marcas na barra da camisa e nas mangas.
– Essa gestão trabalha incessantemente para criar novas fontes de receitas e melhorar as já existentes. Sempre há perspectiva de novos patrocinadores chegarem para se unir ao clube, como existe possibilidade de outras fontes de receita surgirem. A mais interessante, das novas, é o sócio-torcedor Avanti, que hoje já corresponde a outro máster. Isso dá um horizonte mais amplo para o Palmeiras em 2015 – completou. 

Fonte: Globoesporte.com

Palmeiras ativa sócio-torcedor em jogo amistoso contra Red Bull

Membros do Avanti poderão acompanhar o time mais de perto no domingo




No próximo domingo, o Palmeiras irá enfrentar o Red Bull no Allianz Parque, em partida que promoverá uma série de eventos para atrair torcedores. E, para valorizar seus sócios, o clube dará benefícios exclusivos para os associados ao Avanti.
Uma das ativações que será realizada é o posicionamento de alguns torcedores em um sofá localizado ao lado do banco de reservas. A ação, por sinal, já havia sido realizada no amistoso anterior, contra o Shandong Luneng.
Além disso, o Palmeiras deixará um sócio-torcedor ficar perfilado junto aos jogadores no momento do hino nacional e outro membro poderá ser um dos gandulas da partida.
Para participar, o Palmeiras disponibilizou as vagas no “Clube de Vantagem” do Avanti. A cada compra realizada envolvendo o clube, quem participa do programa junta pontos que podem ser trocados por produtos ou, nesse caso, experiências com o time.
Neste ano, o Palmeiras já fez outras ações com seus sócios. Torcedores já puderam participar da apresentação de reforços e até entrevistar o novo gerente de futebol do time, Alexandre Mattos.
Com o estádio e novas contratações, o Palmeiras conseguiu ter um vertiginoso crescimento no número de sócios-torcedores. Atualmente, o clube conta com 80 mil sócios, o que em breve deve deixar o clube na vice-liderança entre os times do Brasil com mais associados. Hoje, o líder é o Internacional com 129 mil.
O jogo contra o Red Bull contará com atrações de entretenimento como uma apresentação Freestyle de moto, com uma rampa montada no campo. A bola do jogo será entregue por dois atletas de paraglider.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/palmeiras-ativa-socio-torcedor-em-jogo-amistoso-contra-red-bull_27748.html#ixzz3PvPcL2AA

Portuguesa apresenta o segundo uniforme para temporada de 2015

Estreia do novo manto da Lusa será contra a Ponte Preta, pela primeira rodada do Campeonato Paulista. Contrato com a Pulse irá até o fim de 2015



A Portuguesa anunciou nesta sexta-feira, o uniforme número 2 para a sequência da temporada de 2015. O clube lusitano oficializou a Pulse como a nova fornecedora de material esportivo até o fim deste ano. A diretoria divulgou o novo manto através das redes sociais nesta tarde. A Lusa já havia revelado o uniforme número 1 na última terça-feira.

Antiga parceira do time paulista, a Lupo deixou o clube no dia 31 de dezembro do ano passado. A segunda camisa apresentada pela fornecedora foi aprovada pela cúpula do Rubro-Verde. O uniforme é todo branco, tendo a tradicional Cruz de Avis, levemente curvada para baixo com suas extremidades flordelisadas e contorno do escudo bordado.

O gestor de marketing da empresa, Fábio Interaminense declarou a satisfação da Pulse em estar estampando a camisa da Lusa, que ainda fez questão de exaltar a força do time do Canindé.

- Buscamos manter as tradições da Portuguesa para valorizar a rica história lusa em todos os seus aspectos. É um prazer trabalhar ao lado de uma agremiação tão importante para o futebol brasileiro - afirmou o gerente.

A estreia do novo uniforme irá acontecer no Campeonato Paulista, no 1º de fevereiro, na partida contra a Ponte Preta, em Campinas, no Estádio Moisés Lucarelli.

Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/portuguesa/Portuguesa-apresenta-uniforme-temporada_0_1290471125.html#ixzz3PvQ5DPAp
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!