Cabeçalho

Logotipo

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Departamento médico-científico do Voltaço tem papel fundamental

Outra grande conquista da nova diretoria do Volta Redonda FC fora das quatro linhas é o novo departamento médico-científico. O clube tem investido em profissionais, pesquisa e equipamentos para otimizar o desempenho e recuperação dos jogadores, bem como prevenir lesões. O resultado deste investimento já pode ser visto. Desde o início da preparação, em dezembro, bem como durante a pré-temporada, que aconteceu em Vassouras, entre os dias 7 e 16 de janeiro, o elenco tricolor não sofreu nenhuma baixa por lesão muscular.
Coordenado pelos fisiologistas Rodrigo Peixoto e Cláudio Toledo, o departamento tem a função de controlar informações sobre a efetividade do treino, da alimentação e do sono dos atletas.
– Criamos este departamento para monitorar todos os parâmetros desde os testes físicos à parte médica e dar suporte para a preparação física. Poderemos ver se o esforço dos jogadores está alto, se ele conseguiu se recuperar, controlar sua alimentação, hidratação, além de saber se está dormindo bem – disse Rodrigo, que também fisioterapeuta.
Para estruturar o projeto, o Voltaço passou a contar com um time de profissionais especializados, que deram nova vida ao setor. Além de Rodrigo e Cláudio, os fisioterapeutas Vítor Araújo, Alexander Carraro e Gustavo Ferraz, o cardiologista Cláudio Bittencourt, o nutricionista Leonardo Amorim, os fisiologistas e preparadores físicos Paulo Henrique de Freitas e Fernando Cariello, além de outros três estagiários, compõem a equipe do setor, que dá suporte às comissões técnicas não somente do time profissional, mas de todas as categorias de base clube.
– Temos duas vertentes no departamento científico. O foco de uma delas é a fisiologia, que faz a coleta e análise de dados e é constituída por profissionais de educação física. Já a outra é voltada para a questão médica e conta com fisioterapeutas, cardiologista e nutricionista. Com o suporte de todos esses profissionais, conseguimos monitorar e tratar estatisticamente e individualmente todos os dados físicos, clínicos e fisiológicos dos atletas para que eles possam ter uma melhor performance em campo – explicou Rodrigo.
Ainda segundo o coordenador, o departamento vem coletando diversos dados através de testes feitos durante a preparação para o Estadual e poderá comparar com informações de grandes clubes brasileiros e europeus para saber se os jogadores estão na mesma média ou o que precisa melhorar.
– Usamos a fotocélula e colhemos dados precisos sobre a aceleração, velocidade, agilidade dos atletas. Utilizamos também a plataforma de força, que mede a força dos membros inferiores e potência do saldo, além de outros testes físicos. Fizemos exames bioquímicos e laboratoriais para avaliar o estado orgânico deles. Modificamos ainda a avaliação musculoesquelética, através dos fisioterapeutas, usando protocolos dos mais modernos, como as técnicas como SGA (Stretching Global Ativo), por exemplo, que ajudam na prevenção de lesões, e estamos buscamos equipamentos de última geração para aumentar cada vez mais a produtividade dos jogadores – concluiu.
Fonte: Site Super Gol

0 comentários :

Postar um comentário