Cabeçalho

Logotipo

domingo, 11 de janeiro de 2015

Exclusivo! FutGestão convida todos para a seguinte reflexão: "A derrota que superou os 7x1!!"

Por: Pedro Nicolau

Dia 10/06/14, Belo Horizonte! No estádio do Mineirão completamente lotado o Brasil busca superar a tão temida seleção alemã para continuar sonhando com o hexa e o fim do estigma de 50. O final da história todos já sabem! Um 7x1 avassalador e humilhante que ao apito final já despertava indagações. O que aconteceu? Por quê? O que está errado? O que precisa mudar?
Os dias se seguiram e a torcida brasileira (nem todos os brasileiros ligam para futebol e nem são obrigados a tal) e a imprensa fomentavam incansáveis debates sobre o tema. Estava ali a grande chance de mudar! A oportunidade de reformular algo que todos sabem que atendem a todos os interesses, menos os do futebol e do esporte. Era a chave do baú cheio de ouro!!
Era difícil acreditar que essa oportunidade surgiria, mesmo que dessa forma dolorida principalmente depois de Marco Polo Del Nero ter sido eleito (candidato único) novo Presidente da CBF no dia 09/04/14. Mas estava ali, diante de todos os que se dizem preocupados com o Futebol a oportunidade de fazer o Brasil ter um campeonato sério, atrativo, justo!
Mas o que se viu não foi isso! Aos poucos as pessoas foram aceitando o “apagão” e acreditando no “é, acontece” ditos pelos mandatários das Federações estaduais.
E veio mais uma bomba! O escândalo na CBV veio a tona “surpreendendo” aqueles que acreditavam na conversa de língua presa do senhor Carlos Arthur Nuzman, Presidente do COB desde 1995 e que foi o Presidente da CBV durante nada menos do que 20 anos (de 1975 a 1995). É, o cenário era desanimador. Nada poderia piorar! Será?
Eis que chegou o dia 24/12/2014 e como um grande presente de Natal para todos os brasileiros que ainda tinham um resquício de esperança em uma reviravolta positiva para o esporte nacional, a Presidente (Presidenta é muito feio) Dilma Russef nomeou como novo Ministro dos Esportes, para cuidar dos preparativos do país para nada menos que os Jogos Olímpicos do Rio 2016 o senhor George Hilton (PRB-MG).
Mesmo antes da posse, o Pastor da igreja evangélica assumiu não ter conhecimento sobre a pasta, gerando grande polêmica. Ao se deparar com o tamanho da proporção de suas primeiras declarações após o anúncio, o também radialista e apresentador de televisão fez a seguinte colocação: "Alguns me criticavam por não ter envolvimento na esfera esportiva. [...] Mas a virtude maior de quem quer exercer decisões é ter a capacidade de ouvir quem entende do assunto, e não necessariamente conhecer o tema ou ser um atleta".
Pesa contra o Ministro também um processo por dívidas ao governo. Uma ação da Fazenda Nacional que cobra cerca de 30 mil reais por sonegação fiscal.
Pois bem, eu mesmo custei a acreditar, mas ao invés de ter recebido esse anúncio do novo Ministro eu preferiria ter recebido mais um... “Gol da Alemanha”.

0 comentários :

Postar um comentário