Cabeçalho

Logotipo

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Opinião: "Por que Ronaldo se tornou dono de um time de futebol nos EUA"

Ricardo Geromel, sócio do Fort Lauderdale Strikers, conta o que há por trás da entrada do Fenômeno no negócio

O ex-jogador Ronaldo anunciou no dia 11 de dezembro de 2014 que havia comprado uma parte do Fort Lauderdale Strikers, time que disputa a NASL (North American Soccer League, liga de futebol que é paralela à MLS). Mas afinal, o que motivou o “Fenômeno” a se tornar sócio de uma equipe de futebol nos Estados Unidos? 
A resposta tem a ver com dois aspectos. Um é o desenvolvimento do futebol nos Estados Unidos: o plano ambicioso do brasileiro é que o esporte no país tenha um AR (Antes de Ronaldo) e um DR (Depois de Ronaldo). O outro ponto é o mercado global de escolinhas de futebol. “O FL Strikers é uma plataforma de negócios. E o principal negócio, o que mais atraiu Ronaldo, foi o projeto de escolinhas”, disse Rafael Bertani, um dos novos sócios do “Fenômeno”. 
Bertani faz parte do grupo que assumiu em setembro de 2014 o controle do FL Strikers. Ele é da família de Carlos Wizard Martins, bilionário brasileiro, ex-dono de escolas de inglês como Wizard e Yazigi. Paulo Cesso, outro dos sócios do time, também é empresário do segmento de educação. O Strikers é parte de um projeto grande, que sempre incluiu escolinhas de futebol, programas de intercâmbio, centro de inovação e um novo estádio. 
Carlos Wizard Martins, a quem eu me refiro como “o Papa das franquias” para o poder público local dos Estados Unidos, tem ajudado a conseguir terrenos para as escolinhas de futebol que terão a marca “Ronaldo9”. O bilionário brasileiro disse que era preciso ter cuidado com a nomenclatura e que ele teve de batalhar muito para que as pessoas parassem de se referir a suas instituições como “cursinhos”. Eu sabia que a mídia brasileira cobriria em peso a semana que Ronaldo passou nos Estados Unidos no início de 2015. Em nossas reuniões de sócios, pedi diversas vezes que eles dissessem “academia” e não “escolinhas”. 
No segundo dia de Ronaldo em Fort Lauderdale, antes de uma conferência de imprensa, acompanhei o "Fenômeno" e Carlos Wizard Martins num passeio de helicóptero para ver áreas que podem abrigar as academias Ronaldo 9. Carlos falou sobre sua origem humilde – pai caminhoneiro e mãe doméstica –, e essa breve anedota serviu para aproximar os dois. Durante o voo, o empresário prestou mais atenção no celular do que na paisagem. Não era para menos: durante os 35 minutos de acrobacias aéreas, ele mostrou que já tinha recebido cinco emails com pedidos de compras de franquias. 
A mídia do mundo inteiro esteve no Hard Rock Casino para a primeira entrevista coletiva de Ronaldo como sócio do Fort Lauderdale Strikers. Nós colocamos o plano das escolinhas – ou melhor, academias – no centro do show. Quem compra uma franquia pode se qualificar para receber um green card nos Estados Unidos. O nome e a metodologia 100% aprovada por Ronaldo são argumentos de venda. 
A localização do time, no Sul da Flórida, também ajudou na decisão de Ronaldo. Antes de comprar o Fort Lauderdale Strikers, quase fechei com um time em Phoenix, no Arizona. Seria difícil recrutar Ronaldo para ser sócio por lá (mas já há interessados em uma franquia da Ronaldo 9 na região). Miami é uma metrópole agitada, um mix do business de São Paulo com a beleza e clima festivo do Rio de Janeiro e algumas das melhores festas do planeta, e concentra celebridades do mundo todo. No sábado passado, num evento em que Ronaldo conheceu alguns potenciais patrocinadores, marcaram presença Daniela Braga (modelo que é angel da grife Victoria’s Secret) e o ex-jogador de basquete Allen Iverson, que já chegou a ser eleito o melhor jogador da NBA. 
O Fort Lauderdale Strikers estreia na NASL no dia 4 de abril, em Fort Lauderdale, contra o New York Cosmos. Vai ser a estreia de Raúl, jogador que mais fez gols na história do Real Madrid, pelo time de Nova York. Ganhar títulos é parte da estratégia do Strikers, sim, mas trabalhamos para construir uma instituição que não dependa dos resultados em campo para ter um balanço financeiro positivo. Estamos batalhando para contratar uma estrela, mas não está fácil. E se não conseguirmos um jogador de classe mundial, esperamos que as academias ajudem a trazer os próximos fenômenos. 
* Ricardo Geromel é sócio e um dos gestores do Fort Lauderdale Strikers, time que foi comprado por investidores brasileiros em 2014 e que tem, desde dezembro, Ronaldo como um de seus sócios. 

0 comentários :

Postar um comentário