Cabeçalho

Logotipo

domingo, 18 de janeiro de 2015

Palmeiras e São Paulo negociam patrocínio com instituição financeira

Verdão e Tricolor conversam com a Crefisa. Alviverde pede acordo de R$ 25 milhões; clube do Morumbi também fala com mais empresas e quer anúncio em fevereiro




Palmeiras e São Paulo podem protagonizar um novo Choque-Rei nos bastidores. Mas desta vez o alvo não é um jogador, e sim um novo patrocinador master. Os dois clubes negociam com a Crefisa, instituição financeira. O Verdão pode acertar um acordo de R$ 25 milhões anuais e almeja até R$ 30 milhões - também há conversas com uma outra empresa. O Tricolor, por sua vez, mantém ao mesmo tempo tratativas com mais cinco companhias, sendo uma outra instituição financeira, uma multinacional, uma montadora e duas do ramo de eletrônicos - a Huawei, parceira Santos em 2014, é uma delas. O clube do Morumbi tem negociações avançadas com duas dessas empresas e espera anunciar o novo acordo em fevereiro. A intenção é ganhar R$ 36 milhões com os patrocínios no uniforme.
O Palmeiras diz saber da concorrência do São Paulo na negociação, mas o Tricolor afirma nos bastidores desconhecer uma disputa com o rival.
Nesta semana, o presidente Paulo Nobre admitiu estar próximo de fechar um novo acordo de patrocínio para o clube, sem parceiro master desde maio de 2013. O Verdão também está perto de renovar com a Adidas, fornecedora de material esportivo, por mais dois anos.
- Estou muito animado para que os grandes patrocinadores que estiveram voltados para a Copa do Mundo no ano passado voltem para os clubes, e que o Palmeiras consiga fechar um bom patrocínio. É o máximo que eu posso falar. Está perto, da mesma maneira que já esteve perto também no início de 2014. Prefiro não ficar criando expectativas, da mesma maneira que não comento contratações - disse o presidente.
Sem patrocínio master desde o fim da Copa do Mundo, o Tricolor pretende fazer um rodízio de marcas no uniforme. A camisa teria quatro cotas: peito, costas, lateral e barra. O clube oferece diferentes modelos de negócios para viabilizar um novo parceiro. A Penalty, fornecedora de material esportivo que tem péssima relação com a diretoria do São Paulo, deverá ter seu contrato rescindido. A equipe já tem martelo batido com a Under Armour para o mês de maio por R$ 27 milhões anuais, sendo R$ 15 milhões em dinheiro e R$ 12 milhões em material esportivo.
Fonte: Globoesporte.com

0 comentários :

Postar um comentário