Cabeçalho

Logotipo

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Príncipe da Jordânia anuncia candidatura à presidência da Fifa

Vice da federação, Ali Bin Al Hussein anuncia 'hora de mudanças' após escândalos que abalaram entidade


As eleições da Fifa ganharam mais um candidato de oposição ao atual presidente Joseph Blatter. O príncipe da Jordânia, Ali Bin Al Hussein, de 39 anos, afirmou nesta terça-feira que será uma das opções no pleito, marcado para Zurique (Suíça), em 29 de maio. Aos 79 anos, Blatter busca o quinto mandato.
“Essa não foi uma decisão fácil. Tomei após muita reflexão e discussões com colegas da Fifa ao longo dos últimos meses”, afirmou Hussein. “A mensagem que ouvi foi que é hora de mudança”, acrescentou ele, que tem o apoio do presidente da Uefa, Michel Platini.
Além de Blatter, Hussein disputa votos com o francês Jérôme Champagne, um ex-funcionário da Ffia e ex-aliado do atual presidente da entidade, que lançou seu nome no ano passado.
Há 17 anos no cargo, Blatter tem enfrentado constantes crises por conta de denúncias de suborno nas eleições a sede das Copas do Mundo de 2018 e 2022, além de escândalos de desvios na venda de ingressos. Encarregado de investigar o problema, o advogado norte-americano Michael Garcia elaborou um relatório minucioso, de mais de 400 páginas provando fraude na disputa pela sede dos Mundiais. A Fifa, porém, preferiu publicar uma versão resumida do documento, inocentando todos seus membros de qualquer irregularidade. A atitude provocou o pedido de demissão de Garcia do Comitê de Ética da federação.
Os escândalos também já repercutiram nos cofres da entidade. Ao final do ano, dois patrocinadores, Sony e Emirates, decidiram não renovar contrato para 2015.
Tantos problemas são um prato cheio para o discurso do jordaniano. “É hora de mudar o foco da polêmica administrativa e nos voltarmos de novo ao esporte. A Fifa deve ser um modelo de gestão, ética e transparência”, afirmou o príncipe.
Blatter entrou para a Fifa em 1975, antes do príncipe Hussein ter nascido. O dirigente justifica a decisão de concorrer a mais uma eleição com o fato de que sua missão na entidade ainda não ter sido completada.
O príncipe Hussein não especificou quais são as cinco federações, entre os 209 membros da Fifa, que irão indicar seu nome para a eleição, conforme exigência do estatuto. O prazo de inscrição de chapas é 29 de janeiro. Segundo fontes próximas ao dirigente, há apoio de federações de Europa e Ásia. Blatter, porém, tem apoio do presidente da confederação asiática, o xeque Salman bin Ibrahim Al Khalifa, do Bahrein.
O príncipe Hussein dirige a federação jordaniana desde 1999. Nesse período, não conseguiu classificar o país nenhuma vez para a Copa do Mundo. Em 2000, ele fundou a Federação de Futebol do Oeste da Ásia. A família tem forte vínculo com o esporte. Sua irmã, a princesa Haya, renunciou em dezembro ao cargo de membro do Comitê Executivo do COI (Comitê Olímpico Internacional) após oito anos na presidência da FEI (Federação Equestre Internacional). Já o príncipe Faisal, seu meio-irmão, continua membro do COI.
Pelas regras da Fifa, um candidato garante a eleição com dois terços dos votos no primeiro turno. A partir do segundo turno, em que há a eliminação do candidato com menos votos, é necessário apenas a maioria simples.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/principe-da-jordania-anuncia-candidatura-presidencia-da-fifal_27648.html#ixzz3O89uKcSC

0 comentários :

Postar um comentário