Cabeçalho

Logotipo

terça-feira, 31 de março de 2015

Palmeiras tem quatro ex-jogadores entre as 10 camisas mais vendidas

Procura por camisas com nomes de Marcos, Edmundo, Evair e Ademir da Guia é maior do que Valdívia


Quatro jogadores que não atuam mais estão entre os 10 atletas que mais vendem camisas na Academia Store, do Palmeiras. Segundo a Meltex Franchising, que administra a rede de lojas oficiais do clube, Marcos, Edmundo, Evair e Ademir da Guia ainda figuram no top 10 de camisas mais negociadas pela rede de lojas.
Curiosamente, eles são mais procurados até mesmo do que Valdívia, tido como um dos jogadores mais idolatrados do atual elenco.
Apenas três dos 20 reforços trazidos pelo badalado diretor de futebol Alexandre Mattos figuram entre os 10 jogadores mais lembrados pela torcida quando compra camisa do Palmeiras. Arouca lidera a relação, o atacante Dudu é o terceiro colocado, seguido pelo lateral-esquerdo Zé Roberto.
“Eu me sinto muito feliz e honrado. Os torcedores têm mostrado muito carinho comigo. Vou fazer de tudo para honrar essa camisa e dar alegria aos milhões de torcedores do Palmeiras”, afirmou Arouca, que chegou ao clube neste ano, vindo do Santos.
Entre os remanescentes do elenco que quase foi rebaixado no Brasileirão de 2014, o mais querido pelos torcedores é o atacante Cristaldo, segundo colocado em vendas. Fernando Prass é o sexto. Nova revelação do clube, Gabriel Jesus, 17, que ainda não fez gol no profissional, está na quinta posição. O meia Valdívia nem aparece entre os 10 primeiros.
“O Palmeiras vive um ótimo momento, e a chegada de reforços reanimou o torcedor”, afirmou Fábio Interaminense, gestor de marketing da Meltex.
A lista dos top 10 de vendas é a seguinte:
1) Arouca
2) Cristaldo
3) Dudu
4) Zé Roberto
5) Gabriel Jesus
6) Fernando Prass
7) Marcos
8) Edmundo
9) Evair
10) Ademir da Guia

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/palmeiras-tem-quatro-ex-jogadores-entre-10-camisas-mais-vendidas_28110.html#ixzz3W0QGIInc

Com queda de preço, Corinthians volta a abrir setor corporativo para bilheteria

Setor Oeste Superior da Arena em Itaquera teve reajuste de preço de R$ 500 para R$ 350




O Corinthians abriu para o torcedor comum um dos setores mais nobres de sua arena. Para a partida contra o Danúbio, o clube passou a comercializar ingressos para o Oeste Superior, local destinado ao aluguel de cadeiras cativas, chamadas de PSL, e para clientes corporativos.
O plano do clube é abrir o local sempre que as cadeiras do setor Oeste Inferior esgotarem e ainda houver espaço na parte superior. E isso já aconteceu duas vezes neste ano, ambas na Copa Bridgestone Libertadores: na partida contra o Once Caldas e contra o São Paulo.
A diferença, agora, é a mudança no preço. Antes, o tíquete era vendido a R$ 500. O Corinthians resolveu deixa-lo mais acessível; a venda está em R$ 350. Está incluso na entrada um serviço de buffet, com jantar antes da partida.    
O setor Oeste Superior é reservado às empresas que buscam ações de relacionamento na Arena Corinthians. O local tem área interna em comum com os camarotes, diferentemente do que acontece nas cadeiras do Oeste Inferior, um dos mais caros do estádio.
As cativas, por outro lado, só foram vendidas como teste até o momento. Em 2014, o clube comercializou o local para um conjunto de jogos do Campeonato Brasileiro.
Neste momento, o clube ainda faz um processo de venda para colocar as PSL em vigor, de fato. Hoje, o Corinthians está em negociação com os antigos donos de cadeira cativa do Parque São Jorge, que mantêm prioridade no aluguel para a nova arena em Itaquera.
Para a partida contra o Danúbio, pela Copa Bridgestone Libertadores, já foram vendidos 33 mil ingressos, o que deve garantir ao clube uma rende superior a R$ 2 milhões.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/com-queda-de-preco-corinthians-volta-abrir-setor-corporativo-para-bilheteria_28108.html#ixzz3W0PyRLd7

Análise: Bahia dá um perigoso recado para o mercado

Erich Beting diz de que forma veto baiano à Fonte Nova prejudica negócios dos estádios

O fim do acordo do Bahia com a Itaipava Arena Fonte Nova, apesar de aparentemente ser apenas momentâneo, é mais um alerta que o futebol dá a seus investidores.
A construção de estádios de futebol, impulsionada pela Copa do Mundo, é o movimento de maior injeção de capital privado no futebol brasileiro na história. Nunca se aportou tantos bilhões como agora.
E de que forma o futebol trata esses investidores? Chutando-os...
O Bahia soma-se à lista que já conta com Atlético-PR, Inter, Grêmio, Palmeiras, Corinthians e até mesmo a Federação de Futebol do Rio.
Até agora, todas as novas arenas que foram construídas e que são usadas por pelo menos um clube enfrentaram, em algum momento, uma terrível queda de braço entre o clube que nela atua e a construtora, principal interessada em ter retorno sobre o investimento realizado.
Com a necessidade imposta pela Copa do Mundo, as empresas tiveram de seguir a construção mesmo com sinais nebulosos quanto à segurança do ambiente de negócios.
Agora, com o Mundial já no passado, as divergências começam a se tornar ainda mais constantes. Antes, com o estádio público ou mesmo próprio, mas deficitário, a preocupação com a lucratividade não existia.
O Bahia romper com a Fonte Nova usando como um dos argumentos se sentir ofendido por ter de dar lugar a eventos mais lucrativos mostra que o futebol continua cego, como o rei incrédulo à queda do reinado.
A questão que fica é quanto tempo irá durar a paciência de quem injetou milhões nesse novo negócio.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/analise-bahia-da-um-perigoso-recado-para-o-mercado_28104.html#ixzz3W0PN2NOz

Bahia e Fonte Nova entram em atrito, e clube deixa estádio

Empresa e clube, porém, admitem renegociar acordo de uso da arena da Copa


O Bahia anunciou no início da noite de segunda-feira que não mandará mais jogos na Itaipava Arena Fonte Nova. O presidente do clube, Marcelo Sant’Ana, fez breve declaração à imprensa e determinou a volta ao estádio Pituaçu.
Segundo o dirigente, a atual direção do clube negocia os termos do acordo para uso do estádio durante os quatro meses em que está no comando da equipe. Mas “não recebeu uma única proposta na qual a torcida e o clube fossem valorizados”.
O atual contrato acaba em 7 de abril e, como o Bahia não mandará mais jogos em casa até essa data, a declaração é uma despedida da equipe ao seu estádio mais tradicional. O eleito Pituaçu foi a casa do time enquanto a Fonte Nova esteve em reformas.
Ainda assim, o clube não descartou uma nova negociação. “O Bahia continua disposto a negociar para jogar na Arena Fonte Nova, desde que o consórcio valorize, trate bem e respeite a torcida tricolor”, finalizou Sant’Ana.
À Máquina do Esporte, a Fonte Nova Negócios e Participações (FNP), administradora do estádio, respondeu por uma nota oficial.
A FNP se diz surpresa pela posição do Bahia. Na última sexta-feira (27), ambos se reuniram para outra rodada de negociação. E, após as partes terem exibido suas propostas, ficou acordado que haveria um novo encontro.
Segundo a gestora da Fonte Nova, o “processo natural” de negociação foi respeitado: “O que mais surpreende é que em nenhum momento o clube informou sobre tal posição, optando por fazê-lo pela imprensa”.
Assim como o Bahia, a FNP deixou clara que há a possibilidade de fazer novas negociações. 
Em novembro de 2012, após a Fonte Nova ficar cinco anos interditada, Bahia e FNP fecharam um contrato de dois anos para o time atuar na arena após as obras para a Copa das Confederações.
Pelo acordo, o Bahia tinha 65% da bilheteria nos jogos ou mais, conforme aumento de torcedores presentes. Por ano, haveria garantia mínima de R$ 9 milhões.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/bahia-e-fonte-nova-entram-em-atrito-e-clube-deixa-estadio_28103.html#ixzz3W0P881Sj

Simples e criativa, Vilma Alimentos ativa patrocínio a Atlético/MG e Cruzeiro


Patrocinadora das mangas dos uniformes de Atlético/MG e Cruzeiro, a Vilma Alimentos tem ativado sua parceria com os clubes de maneira muito criativa utilizando, principalmente, o Facebook.
A partir de pedaços de macarrão, a marca faz um cross de atuais resultados da dupla mineira, como o clássico entre entre elas no início do mês de março, para ativar não somente o patrocínio, mas criar um laço afetivo com atleticanos e cruzeirenses através dos seus produtos.
Confira algumas das imagens e saboreie uma ação simples, mas muito criativa.
 








Fonte: MKT Esportivo

Real Madrid assina 1º acordo de patrocínio regional na China

Clube acerta parceria com fabricante de carros elétricos Luyuan




O Real Madrid acertou com seu primeiro patrocínio regional na China. O clube acertou parceria com Luyuan, fabricante de veículos elétricos.
Emilio Butragueño, diretor de relações institucionais, representou o clube na cerimônia de anúncio, em Tianjun, durante a 15ª Feira Internacional de veículos elétricos do norte da China.
“Temos a enorme satisfação de apresentar o primeiro acordo de patrocínio da história do Real Madrid na China. É uma honra que seja com a Luyuan”, discursou o ex-atacante do clube e atual dirigente.
“Com ela, compartilhamos valores comuns, vontade de superação permanente, busca pela excelência e vocação de liderança. Luyuan, através de sua marca e seus produtos, pretende facilitar a vida da sociedade, desde a qualidade, a inovação, a convivência e o respeito. É o começo de uma longa e exitosa colaboração que fará parte do futuro de nossas entidades”, acrescentou Butragueño.
A entrada de patrocínios regionais tem sido uma novidade do futebol espanhol. A Inglaterra, por ora, lidera o setor. Dos cinco clubes com mais acordos regionais em 2014, quatro militam na Premier League. O clube mais globalizado é o Manchester United, que arrecadou € 32 milhões em 2013/2014 com 38 contratos. Atrás dele estão Chelsea, com 13 contratos, Arsenal, com 8 e Manchester City, com 6. O único clube não inglês que se destaca neste tipo de patrocínio é o Barcelona, que conta com 11 contratos desse tipo. 
Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/real-madrid-assina-1-acordo-de-patrocinio-regional-na-china_28100.html#ixzz3W0PekBsz

Após clubes e jogadores, New Balance anuncia sua primeira seleção



Passado o primeiro momento de anunciar clubes e jogadores, aliado as primeiras ativações que o leitor do MKT Esportivo pode acompanhar por aqui, a New Balance parece entrar em uma segunda fase, ambicionando voos maiores.
A marca norte-americana anunciou ontem a seleção do Panamá como sua nova patrocinada. O acordo fechado com a Federación Panameña de Fútbol (FPF) valerá para todas as categorias do futebol do país, com início marcado para junho através da equipe sub-2o.
Para Richard Wright, gerente geral da New Balance, a seleção panamenha já demonstrou ter grandes ambições após o vice-campeonato na Copa Ouro 2013 e o desempenho nas Eliminatórias da Concacaf no mesmo ano.
Os valores envolvidos na negociação não foram divulgados.
Fonte: MKT Esportivo

segunda-feira, 30 de março de 2015

Por meritocracia, Bayern abocanha maior verba de direitos de TV de Bundesliga

Clube da Baviera arrecada quase € 69 milhões, pouco mais de € 10 milhões acima de Schalke 04, o segundo colocado




A Bundesliga anunciou a repartição do bolo de receitas do novo contrato de direitos de TV. Por meritocracia, o Bayern de Munique é quem irá abocanhar a maior faixa. Segundo a revista Kicker, o time da Baviera levará € 68,77 milhões.
Líder do Campeonato Alemão, com 64 pontos (dez a mais do que o Wolfsburg, o segundo colocado), a equipe assegurou a maior fatia por conta do número de pontos obtidos nas últimas cinco temporadas.
O valor não chega a ser invejável, se comparado com Real Madrid e Barcelona, os outros dois clubes que têm dominado a Liga dos Campeões. Os grandes da Espanha, que mordem o maior quinhão da verba de TV do país, arrecadam € 140 milhões de direitos de TV.
No total, a Bundesliga irá repartir € 810 milhões entre 36 clubes, das Séries A e B. A arrecadação foi obtida com a venda dos direitos de TV na Alemanha e no exterior. O contrato com as emissoras alemãs ainda responde por quase a totalidade da arrecadação: € 660 milhões. Desse total, 20% fica com os times da segunda divisão. Nos acordos com o exterior, quase a totalidade é destinada aos clubes da elite.

A classificação, que ainda pode sofrer pequenas variações até o final da temporada, o segundo maior beneficiado será o Schalke 04. O time de Gelsenkirchen irá receber € 58,4 milhões. O Borussia Dortmund ganhará € 57,1 milhões. O quarto colocado na relação é o Bayer Leverkusen, com € 56,2 milhões.
Seguindo as regras da meritocracia, a diferença maior ficaria para as equipes que lutam contra o rebaixamento. Assim, se o pequeno Paderborn conseguir permanecer na primeira divisão, ganhará € 22,6 milhões. Se cair, a arrecadação desce para € 11 milhões.
A queda representaria maior revés para times tradicionais da elite. Assim, se o Stuttgart for rebaixado, perderá dois terços de sua renda de TV, caindo de € 31,6 milhões para € 11,8 milhões.
A arrecadação com direitos de TV tende a ser uma fonte de receita maior para os clubes pequenos. Os times grandes, como Bayern de Munique e Borussia Dortmund contam com outras formas de arrecadação importantes, como acordo com fornecedores de material esportivo, patrocínio de camisa e receita com venda de ingressos.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/por-meritocracia-bayern-abocanha-maior-verba-de-direitos-de-tv-de-bundesliga_28098.html#ixzz3Vud7z7ai

Análise: Futebol precisa mudar o básico para crescer

Duda Lopes rememora situações que fazem o Paulistão ser pouco atraente para torcedores e patrocinadores

O Campeonato Paulista, com alguma sobra o melhor estadual do Brasil, é uma excelente amostra de como o futebol brasileiro ignora o mais importante: o produto a ser vendido. É muito difícil vender para torcedores e patrocinadores um campeonato com tão poucas atrações, tão porcamente organizado.
Neste fim de semana, houve dois exemplos claros dessa situação.
Primeiramente, acabou a maratona corintiana. O time jogou quatro vezes em oito dias pelo torneio, o que desrespeita em muito a regra das 72 horas entre partidas. No meio da semana, teve jogo na terça e na quinta na Arena Corinthians, ambos em um horário pouco amigável, às 19h30. Em campo, o time venceu todos os confrontos, o que, nessa situação, só revela o baixíssimo nível técnico da competição.
Outro bom exemplo foi o jogo Red Bull x Palmeiras. Havia atrações para crianças, teve show no intervalo e até mascote animada. Mas a empresa de energéticos, por razões terceiras, teve de limitar a venda de ingressos a sete mil pessoas!
Soma-se a isso um regulamento peculiar, que pouco valoriza os resultados obtidos em campo e produzirá aberrações nas quartas de final.
Mas a imagem do fim de semana foi o São Paulo. Com time reserva, disputou um jogo sem valor. Nas arquibancadas, 5.555 torcedores e menos de R$ 130 mil no caixa. A expectativa, claro, é a partida contra o San Lorenzo pela Libertadores, na quarta-feira.
O drama é que, dentro do negócio do esporte, organizar um torneio honesto parece ser a parte mais simples do processo. E por aqui, não se chega nem próximo disso.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/analise-futebol-precisa-mudar-o-basico-para-crescer_28095.html#ixzz3VucqJ1k2

Com Palmeiras de "cobaia", Futebol Card quer acabar com bilheteria

Empresa faz de clube parceiro para testar diversificação na venda de ingressos e encerrar com filas

Comprar ingresso para um jogo de futebol no Brasil costumava ser um sacrifício. Horas numa fila pouco organizada, sistemas que caiam e irritavam os torcedores. Mais recentemente, a internet mudou esse cenário. Com essa nova situação, uma das principais empresas da área, a Futebol Card, tem como objetivo enterrar o antigo conceito de bilheteria.
A empresa tem usado o Palmeiras como uma espécie de laboratório para isso. Com boa média de público no Allianz Parque, a venda de ingresso do clube tem sido cada vez mais diversificada.
Hoje, 80% dos ingressos do Palmeiras são vendidos pela internet. Desse número, 70% das compras são feitas pelo programa de sócio-torcedor Avanti. Os outros 30% são vendidos para clientes Visa, que usam o cartão como o bilhete para entrar no estádio.
Ainda sobra um pequeno número de venda para dois projetos recentes: a comercialização de bilhetes por um aplicativo da TIM e ainda em casas lotéricas. A venda por esses meios ainda é de 200 a 300 ingressos por jogo.
“Temos investido muito em inovação e tecnologia. Temos que fazer o melhor para os nossos dois clientes, já que trabalhamos com a demanda dos clubes e dos clientes finais, os torcedores”, contou o sócio-diretor da Futebol Card, Robson de Oliveira.
Além do Palmeiras, a empresa conta com clientes como Flamengo, Vasco, Sport e Coritiba. Atualmente, a venda online só pode ser feita com maior eficiência porque o sistema foi trocado. Antes, a Futebol Card recebia uma cota de ingresso e revendia. Agora, todos os sistemas de venda estão integrados, de modo que o tíquete é descontado diretamente do clube.
A interação entre a Futebol Card e os clubes foi inspirada no site de comércio eletrônico Decolar.com, que está integrado às companhias aéreas. 
Atualmente, são quatro possibilidades oferecidas pela Futebol Card. Além de Visa, Tim e lotéricas, há uma parceria que concede desconto de 50% numa carga fixa de bilhetes para clientes Itaú.

Com crise técnica, Espanha perde mais de 30% de faturamento com patrocínios

Seleção vê fuga de patrocinadores, e queda no ranking faz seleção negociar amistosos pela metade do valor




A queda de rendimento da seleção espanhola tem causado prejuízo aos cofres da Real Federação Espanhola de Futebol. A entidade irá arrecadar com patrocinadores neste ano € 24 milhões, ou mais de 31% de queda em relação ao ano passado.
O faturamento com direitos de TV e amistosos internacionais também caíram desde o fiasco na Copa do Mundo do Brasil, em 2014. Na ocasião, a Espanha, que defendia o título da Copa de 2010 e ostentava um bicampeonato europeu, não passou da primeira fase.
Em 2013, quando perdeu para o Brasil a final da Copa das Confederações, a Espanha havia arrecadado € 35 milhões com seus patrocinadores, além de € 32 milhões por jogos da seleção e € 11,7 milhões de direitos de transmissão. De lá para cá, a federação viu a fuga de vários deles: Banesto (€ 3,5 milhões por ano); Gillette, Cepsa e Nissan (€ 1,5 milhão) e Bimbo, LG e Pedro del Hierro (entre € 500 mil e € 1 milhão).
A Adidas permanece como o principal mecenas da equipe dirigida por Vicente del Bosque. A multinacional alemã colabora com € 10 milhões por ano. O valor chegou a dobrar no ano em que a Espanha se tornou campeã do mundo pela primeira vez. Cruzcampo, Iberdrola e Movistar colaboram com € 3,5 milhões por temporada e integram a cota máster da federação atualmente.
Além delas, a Espanha também conta com apoios de Pelayo (patrocinador oficial), Cabreiroá, ONCE, Sanitas, ASM e Continental (colaboradores oficiais) e Iberia (transporte aéreo oficial). Por conta da crise técnica da equipe, a RFEF já não conta com nenhuma instituição financeira entre seus patrocinadores.
Quando se tornou campeã do mundo, a RFEF chegou a cobrar entre € 2 milhões e € 3 milhões por amistoso. A seleção chegou a figurar na liderança do ranking da Fifa por quatro anos seguidos. Após a saída do top 10 dessa classificação, a federação espanhola foi obrigada a reajustar o preço para a metade disso.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/com-crise-tecnica-espanha-perde-mais-de-30-de-faturamento-com-patrocinios_28091.html#ixzz3VucLeDD3

Major League Soccer desembarca em dois novos mercados: Oriente Médio e África



AMajor League Soccer anunciou nesta manhã um acordo com a Abu Dhabi Sports Channel, de propriedade da Abu Dhabi Media Company, para a transmissão dos jogos da liga para o Oriente Médio e Norte da África. Ao todo, serão 25 países que receberão as partidas da MLS.
Com duração de quatro temporadas, o acordo dará a oportunidade da Abu Dhabi Sports Channel de transmitir duas partidas por semana, bem como o AT&T MLS All-Star Game, Playoffs e MLS Cup. O contrato contempla também conteúdo digital – com transmissão de partidas – a ser oferecido aos assinantes do canal.
A IMG foi a agência responsável por intermediar a parceria, que chega para incrementar ainda mais o pacote de transmissão da MLS, que chega aos mais diversos mercados através da Sky Sports, Eurosport, ESPN e, mais recentemente, Sportv.

Fonte: MKT Esportivo

Em boa fase na seleção, Firmino fecha acordo com a adidas

 
Uma excelente campanha pelo Hoffenheim na temporada passada e 4 jogos pela seleção e 2 gols, entre convocações feitas entre 2014 e 2015. A boa fase de Firmino já reflete fora das quatro linhas.
Em entrevista à ESPN, o staff do jogador confirmou que o meia/atacante fechou um acordo de cinco temporadas com a adidas, por um total de € 10 milhões. Os amistosos contra França e Chile marcaram o início da parceria de maneira oficial, já que antes do acordo Firmino intercalava entre modelos da alemã e da Nike.
Fonte: MKT Esportivo

Novos acordos poderão trazer alívio financeiro a Juventus


 
Um levantamento feito pela Banca Imi e publicado pelo site CalcioeFinanza aponta que a Juventus poderá fechar a próxima temporada com receitas acima dos € 300 milhões, pela primeira vez em sua história.
O incremento do acordo de televisão na UEFA Champions League e da Série A Tim, aliado a renovação do seu contrato com a Jeep, que saltará dos atuais € 13 milhoes para € 17 milhões em 2016, e a chegada da adidas para o lugar da Nike, poderá trazer benefícios adicionais aos cofres da Vecchia Signora. Ainda assim, ficaria bem distante dos mais de € 500 milhões gerados por gigantes como Real Madrid e Manchester United.
 
Para o período em vigência, a instituição financeira italiana calcula que a Juventus feche com receitas na casa dos € 291 milhões, mas com gastos maiores devido as renovações de contratos e pagamento de premiações, que poderão acarretar em um prejuízo de € 18 milhões.

Na última temporada, a Juv fechou com € 279 milhões de receitas, sendo 55% do total vindos do broadcasting, de acordo com dados da edição 2015 do Football Money League.

Fonte: MKT Esportivo

Di Maria lidera venda de camisas do Campeonato Inglês



O argentino Di Maria, do Manchester United é o jogador que mais vende camisas nesta temporada na Premier League, o Campeonato Inglês de futebol. O levantamento foi feito pela Sports Direct.
Os números colocam Di Maria com 9,59% na preferência dos consumidores, seguido por Alexis Sanchez, do Arsenal com 3,8%. Diego Costa, do Chelsea aparece em terceiro na relação.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/minuto/Di-Maria-camisas-Campeonato-Ingles_0_1330067114.html#ixzz3VubDc9Nc
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!


Federação Italiana de Futebol renova parceria com a Puma


A seleção da Itália anunciou hoje (30/03) a renovação da parceria com a fabricante de materiais esportivos Puma para os próximos dez anos. A marca alemã será parceira global da Federação Italiana de Futebol.
A empresa ampliou a participação nos direitos de marketing e terá o direito exclusivo de produção de todo o portfólio de licenciamento mundial da Azurra. Será ainda a fornecedora oficial de todas as categorias de equipes da seleção italiana.
Os parceiros vão também ampliar o investimento de marketing em áreas de foco dentro do programa da Federação Italiana,, incluindo o desenvolvimento das categorias de base, o futebol feminino, a luta contra o racismo e a internacionalização da marca italiana.
A Puma considera o acordo a consolidação como marca esportiva global com foco na forte tradição em performance. Com mais de dez anos de patrocínio, a empresa alemã associou-se pela primeira vez com a Azzura em 2003.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/minuto/Federacao-Italiana-Futebol-parceria-Puma_0_1330067107.html#ixzz3Vub2EOu7
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

domingo, 29 de março de 2015

Ibrahimovic rejeita oferta de € 4 mi para ser embaixador de PorkerStars

Sueco do PSG teria alegado não gostar de pôquer para abrir mão de patrocínio de empresa de jogos online


A plataforma de jogo online PokerStars ficou famosa no Brasil ao fazer propaganda com astros do esporte, como Ronaldo e Rafael Nadal. A marca queria acrescentar um novo embaixador ao seu portfólio, o atacante Ibrahimovic, do PSG. O sueco, porém, se negou a assinar contrato com a empresa.
A PokerStars ofereceu um contrato entre € 3 milhões e € 4 milhões por ano, que foi prontamente rejeitada por Ibrahimovic, um dos atletas mais procurados pelas empresas por seu poder midiático. Segundo fontes próximas ao atacante, a razão da recusa se deve ao fato de o sueco não gostar de pôquer. O contrato foi negociado pela VIP Consulting, empresa especializada na gestão de imagem de atletas.
Ibrahimovic recebe salário de € 16 milhões do PSG, além de manter contratos comerciais diversos com firmas como XBOX One e Volvo.
Sem o aval do craque sueco, a PokerStars deve tentar outro jogador de futebol de nível semelhante.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/ibrahimovic-rejeita-oferta-de-4-mi-para-ser-embaixador-de-porkerstars_28084.html#ixzz3VavDj3aR

Juan Mata presenteia lealdade de funcionário ao Manchester United


O que é uma empresa sem seus funcionários satisfeitos? Para comemorar os quinze anos de serviços prestados em Old Trafford, Jonathan Flood foi surpreendido pela visita de Juan Mata.

O meia espanhol o presenteou com um espumante e sua camisa número 8 autografada, e ainda aproveitou para conversar com o funcionário sobre sua trajetória dentro do clube e os momentos que o marcaram.
Que belo endomarketing, não?
Fonte: MKT Esportivo

sábado, 28 de março de 2015

Antes de empréstimo, Timão busca patrocínios para acertar atrasos

Clube negocia com instituição financeira, mas quer primeiro outros planos para quitar pendências com seus principais jogadores

O empréstimo bancário que o Corinthians tenta viabilizar para acertar dívidas com seus jogadores não é a opção preferida da diretoria para colocar o caixa em dia. O presidente Roberto de Andrade continua negociando com instituições financeiras, mas prefere outras maneiras de obter verba suficiente para quitar pendências.
Antes de fechar o empréstimo, o Corinthians busca novos patrocinadores para preencher lacunas que davam respiro aos cofres do clube no ano passado. Os espaços das mangas e dos ombros da camisa estão livres – em 2014, uma escola de inglês e uma empresa de monitoramento de veículos rendiam, juntas, cerca de R$ 1,5 milhão mensais ao clube.
As principais pendências envolvem os direitos de imagem de sete jogadores: Guerrero, Emerson Sheik, Renato Augusto, Ralf, Elias, Jadson e Danilo. Além disso, o clube deve também a Alexandre Pato, hoje emprestado ao São Paulo – esta, porém, não é a prioridade por enquanto. 
O Corinthians precisa também de recursos para negociar a renovação de contrato de Guerrero. Neste caso, o clube também não descarta a utilização de valores de patrocínios para fechar a conta e bater o martelo na permanência do centroavante peruano.
De acordo com o diretor financeiro do clube, Emerson Piovesan, o clube tem economizado em todos os departamentos – alguns sofreram com cortes de pessoal. A dívida atual do Corinthians ultrapassa os R$ 300 milhões.
Fonte: Globoesporte.com

Liga inglesa investirá receita de TV em categorias inferiores


A Premier League, principal campeonato de futebol da Inglaterra e um dos principais no mundo, decidiu investir nas divisões de base. Os clubes integrantes da competição concordaram em destinar 20% das receitas do novo acordo de direitos de televisão: um investimento que chegará a 1,37 bilhão de euros (cerca de 4,7 bilhões de reais) até 2019.
Recentemente o campeonato teve os direitos de transmissão negociados em um acordo bilionário com as emissoras Sky e BT Sport. A Premier League receberá cerca de 7 bilhões de euros (24 bilhões de reais) pelas temporadas de 2016/17 e 2018/19. O valor teve um crescimento de quase 3 bilhões de euros (12 bilhões de reais) em relação ao período anterior.
A iniciativa de distribuir pelas divisões inferiores parte da receita  dos direitos de televisão foi promovido pelo diretor da liga, Richard Scudamore, que destacou “o maior nível de redistribuição de receitas já visto na modalidade”. O montante de 1,37 bilhão de euros será dividido por equipes da segunda, terceira e quarta divisões da Grã Bretanha e será investido também em programas de educação esportiva a crianças carentes. O dirigente reforçou que a proposta serve para promover e desenvolver o futebol inglês no longo prazo e incentivar clubes dos campeonatos inferiores.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/minuto/Premier_League_0_1328267312.html#ixzz3Vd0h3fdP
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Com atletas e estádio, Adidas amplia torneio de ativação à Liga dos Campeões

UEFA Young Champions será realizado na Arena Barueri, no próximo fim de semana




A Adidas realizará no próximo fim de semana a UEFA Young Champions. Essa será a segunda vez que a marca alemã fará o torneio no Brasil, mas, dessa vez, a ação ficou mais grandiosa: ela acontecerá em um estádio de fato.
Os jogos serão realizados na Arena Barueri, que terá seu gramado dividido em campos menores para receber jogadores de até 16 anos. Foram inscritos 128 times, e o campeão será conhecido no domingo. Os jovens jogadores ganharão uma viagem para Berlim para assistir à final da Liga dos Campeões.
Em 2014, as partidas foram disputadas no alto de um prédio em São Paulo. A própria Adidas montou um campo de futebol society com uma pequena arquibancada, no alto do World Trade Center.
Dessa vez, com a Arena Barueri, o plano é tornar a experiência mais próxima da vivenciada por jogadores profissionais na Liga dos Campeões. Para isso, os adolescentes entrarão em campo pelo túnel usado no torneio, ao som do famoso hino da competição.
Além disso, a Adidas aumentou o número de atletas que participarão do evento. Se em 2014 o volante Ralf, do Corinthians, foi o escolhido para entregar a premiação, dessa vez quatro jogadores participarão do evento. No sábado, Belletti e Denílson estarão presentes. No domingo, será a vez de Rivaldo e Cafu. Todos foram campeões da Copa do Mundo de 2012.
A Young Champions é uma ativação global da Adidas; diversos países fazem parte do projeto. Na Alemanha, antes da final da Liga, haverá um novo evento já com os campeões de cada país. Em 2014, o campeão brasileiro, o Colégio Amorim, de São Paulo, também venceu a etapa mundial. Naquele ano, o evento foi em Lisboa, que recebeu a última decisão de Liga dos Campeões.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/com-atletas-e-estadio-adidas-amplia-torneio-de-ativacao-liga-dos-campeoes_28081.html#ixzz3Vaur1ztq

sexta-feira, 27 de março de 2015

Emenda à MP do Futebol estimula criação de clubes-empresas no Brasil

Agremiações arcariam com PIS, COFINS, Imposto de Renda e outros tributos para migrarem para o sistema empresarial, mas taxa seria menor do que a atual


Além de renegociar as dívidas dos clubes, cobrar contrapartidas deles e estimular sua profissionalização e modernização, a Medida Provisória do futebol pode favorecer a criação de clubes-empresas no país. Isso porque o deputado federal baiano Jutahy Magalhães Júnior (PSDB) apresentou na última terça-feira uma emenda à MP que enquadra as agremiações de futebol em um Regime Especial Tributário.

Na prática, se a emenda for aprovada, os clubes que quiserem se tornar empresa passarão a pagar PIS, COFINS, Imposto de Renda e outras taxas, com uma alíquota que 9% de imposto sobre seu faturamento. Hoje, a taxa é de 34% sobre o lucro, o que praticamente inviabiliza as equipes de migrarem para o regime empresarial. Enquadrando-se como entidades sem fins lucrativos, as agremiações arcam atualmente com apenas 5% de tributos sobre o faturamento, referente a INSS.

O projeto, desenvolvido pelo deputado com colaboração do empresário Alex Bourgeois e do advogado José Carlos Rivitti, ainda precisa ser aprovado pelo legislativo, assim como toda a Medida Provisória  que institui o Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut). O prazo é de até dois meses.

O argumento dos defensores da emenda é de que ela atrairia novos investidores para os clubes, aumentaria a competitividade deles e fortaleceria também equipes de menor porte. Dessa forma, segundo eles, o Governo também arrecadaria mais imposto e o futebol nacional seria fortalecido.

Confira abaixo o texto de motivação da emenda à MP do futebol:

Atualmente os clubes de futebol encontram-se em situação deficitária, especialmente pela falta de acesso a crédito, a capital e ao mercado de capitais. É mais do que iminente a necessidade de criação de mecanismos de fomento ao desenvolvimento do futebol no Brasil, especialmente no âmbito do PROFUT.

Na esteira dos comandos insertos no artigo 27 da Lei 9.615/98, essencial o incentivo à criação de entidades de prática desportiva participante de competições profissionais de futebol empresárias, que visem o lucro, de forma a estimular a gestão profissional, o dito acesso a crédito, capital e mercado de capitais, o retorno para o investidor, para os sócios dos clubes e para os torcedores.

Ainda, incentivando-se a criação de entidades de prática desportiva participante de competições profissionais de futebol empresárias que visem o lucro, possibilitar-se-á o real aumento de arrecadação de tributos e contribuições sociais e a efetiva inserção dessas entidades no sistema de regulamentação fiscal, fiscalização e cobrança de tributos, inerentes e naturalmente atinentes às demais pessoas jurídicas com fins lucrativos.

Tais medidas fortalecerão financeiramente os clubes brasileiros, revertendo o quadro atualmente vigente de inadimplência tributária recorrente. Permitirão que o futebol brasileiro tenha condições de se equiparar financeiramente ao futebol globalizado, por meio de legislação que, conceitualmente, tende a se aproximar daquelas que regem os clubes de futebol em países como o Chile, Portugal, Espanha, Itália, Franca, Inglaterra e Alemanha, em que os clubes de futebol se constituem em empresas, e cujos resultados positivos são facilmente aferíveis, permitindo, enfim, a inserção do futebol brasileiro no mundo globalizado em real igualdade de condição com os demais clubes internacionais e com balanços financeiros mais fortes e saudáveis.

Com referencia ao alcance social da medida, a exemplo do que aconteceu com a implantação de politicas tributárias na área habitacional, não se propõe mera desoneração fiscal, mas o efetivo incentivo para que os agentes de mercado se insiram e adiram às politicas sociais e econômicas, dinamizando o nível de atividade econômica e a correlação potencial de geração de posições de emprego e de bens.

Ainda, busca-se que entidades de menor expressão e de porte, historicamente reveladoras de profissionais da área do futebol, como jogadores, técnicos, assistentes, médicos do esporte, fisiologistas, preparadores físicos, fisioterapeutas, psicólogos do esporte, nutricionistas, retornem a sua condição de captadores e geradores de talentos por todo o território nacional e não somente nos centros urbanos mais desenvolvidos, em consonância com as atuais prioridades de politicas publicas do setor econômico, social e de educação.

Busca-se mitigar, nesse cenário, o êxodo de profissionais do esporte, no  mais das vezes em tenras idades. Busca-se que o clube revelador de talentos disponha de maior autonomia quanto ao seu investimento e que os valores humanos revelados dediquem-se às suas atividades no país, e não exterior, especialmente no período em que atingem a maturação de suas carreiras.

Nessa medida, imperioso o regramento fiscal simples, objetivo, racional e de fácil fiscalização pelos órgãos e agentes competentes, absolutamente em linha com os princípios da Medida Provisória 671/15, de forma que as entidades desportivas participantes de competições profissionais de futebol e que visem o lucro insiram-se em modalidade de apuração do Imposto sobre a Renda, da Contribuição Social sobre o Lucro, da Contribuição ao PIS e da COFINS, que fomente o adimplemento fiscal e incentive a migração dos clubes de futebol para a organização na forma prevista na Lei 9.615/98.

A urgência e a relevância da edição das alterações da legislação tributaria atinente às entidades desportivas participantes de competições profissionais de futebol e que visem o lucro, bem como da própria Medida Provisória 671/15 decorrem da necessidade de estabelecimento de um novo marco legal relativo à atividade futebolística, a fim de incentivar e fomentar o desenvolvimento desse mercado por meio de fontes privadas.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/minuto/Emenda-MP-Futebol-clubes-empresa-Brasil_0_1327667384.html#ixzz3Vav1N02I
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Bahia acerta patrocínio de dois anos com Central Nacional Unimed

Marca ficará exposta na barra da camisa e no calção do time baiano

Mais uma vez, a marca da Unimed estará exposta no futebol brasileiro. Dessa vez, foi Central Nacional Unimed que acertou um contrato de dois anos com o Bahia. A marca da seguradora ficará exposta no uniforme no calção e na barra da camisa de jogo e de treino. A estreia do novo parceiro já acontece no próximo sábado (28).

Em nota, o presidente do clube, Marcelo Sant’Ana, enalteceu a valorização do quadro de funcionários e atletas. Isso porque o acordo inclui um plano de saúde que envolve os colaboradores do clube baiano.
Aos poucos, o Bahia vai acertando patrocínios para a temporada. Rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, o time vinha jogando com uniforme limpo neste ano. Em fevereiro, a direção do clube anunciou a parceria com a Guaranamix, que colocou a marca no ombro do uniforme.
Por outro lado, o patrocínio máster do clube permanece aberto. O Bahia trocou de diretoria na virada do ano e, para tocar o marketing e negociar as principais propriedades, o ex-diretor de marketing do Internacional, Jorge Avancini, foi contratado.
Já a Unimed, ainda que sejam grupos diferentes, mais uma vez colocará sua marca no futebol brasileiro. No Rio de Janeiro, a Unimed Rio se retirou do Fluminense neste ano, após uma década de parceria. Já na seleção brasileira, quem aparece é a Seguros Unimed.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/bahia-acerta-patrocinio-de-dois-anos-com-central-nacional-unimed_28087.html#ixzz3VavTVYNw

Pior time da Libertadores, Zamora é presidido por irmão de Hugo Chávez

Campeão da Venezuela, equipe perdeu todos seus jogos e sofreu 2 goleadas para Boca Juniors


Pior entre os 32 clubes que disputam a fase de grupos da Copa Libertadores, o Zamora, da Venezuela, tem seu nome mais conhecido não em campo, mas nas tribunas. O time é presidido por Adelis Chávez, irmão caçula do ex-presidente Hugo Chávez, que morreu em 2013.
Atual campeão venezuelano manda seus jogos em Barinas, cidade natal de Hugo Chávez, que presidiu a Venezuela de 2000 até sua morte. A família Chávez é muito ligada ao Zamora F.C., equipe que faz campanha decepcionante até para os padrões venezuelanos na Copa Libertadores. O clube perdeu seus quatro jogos e está com saldo negativo de 11 gols. 
Não bastasse isso, a equipe sofreu duas goleadas para o Boca Juniors. Em Buenos Aires, tomou de 5 a 0. Já na Venezuela, não foi muito melhor: perdeu por 5 a 1. 
“Na família sempre fomos livres para eleger o que queríamos fazer. Nem meu pai, nem meus cinco irmãos me pressionaram para eu seguir a carreira política”, afirmou Adelis. “Por uma questão de formação, farei todo esforço e apoio ao legado político de meu irmão. Ele segue ao nosso lado”, acrescentou o dirigente, em entrevista ao diário espanhol Marca.
Adelis se formou em economia e trabalhou na área até 1985. “Desde pequeno, os seis irmãos jogavam futebol e beisebol em um ambiente que não tinha TV nem outras formas de entretenimento. Eu me inclinei mais para a bola de futebol. Em 2002, fundamos essa equipe porque a cidade havia ficado sem representantes com o desaparecimento do Atlético Zamora, em 1999. Ascendemos à primeira divisão em 2006. Em 2009, assumi a presidência”, conta Adelis.
O irmão famoso não tinha os mesmos gostos de Adelis. “Hugo era mais apaixonado pelo beisbol. Como presidente, gostava de participar de diferentes atos em nosso estádio, e festejou muito o primeiro título que conseguimos. Sempre me perguntava coisas da equipe. Apesar da influência que tinha, sempre mantivemos uma gestão com austeridade. Pagamos a média do que se ganha na Venezuela. O apoio que temos das empresas públicas é igual aos de outras equipes, porque a ideia de Hugo [Chávez] era que era preciso ser igual com todos.”
Zamora e Barinas estão muito ligados aos Chávez. Quando Hugo assumiu o poder, seu pai era governador do Estado, cujo mandatário atual é Adán, filho mais velho do clã.
“Há uma luta política no país, mas no futebol nunca senti isso como presidente do clube”, diz Adelis. “A popularidade do Zamora é tão grande que até o Henrique Capriles [ex-candidato à presidente da oposição] usou a camisa de nossa equipe em um comício”, acrescenta.

Original:
http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/pior-time-da-libertadores-zamora-e-presidido-por-irmao-de-hugo-chavez_28085.html#ixzz3VavMscX7

Alemanha envia para Parlamento lei que pune doping com prisão

Para ministro alemão, nova regra pode ajudar candidatura de Hamburgo aos Jogos Olímpicos de 2024




O Conselho de Ministros da Alemanha aprovou hoje um projeto de lei que abre a possibilidade para penas de prisão para casos de doping.
 “Na Alemanha, discutimos há anos uma lei antidoping. Estou satisfeito por termos conseguido chegar a um acordo sobre o assunto”, afirmou Heiko Maas, ministro da Justiça do país. “Quem se dopar no futuro não terá que temer só uma suspensão, mas também, em casos extremo, até uma pena de cárcere”, acrescentou o político.
Maas acredita que a nova regulamentação possa ajudar a candidatura olímpica de Hamburgo a sede dos Jogos Olímpicos de 2024. A cidade do norte da Alemanha disputa com Boston, Paris e Roma o direito de abrigar o megaevento do COI (Comitê Olímpico Internacional).
O projeto contempla multa e pena de cárcere de até três anos por delitos relacionados ao doping e tipifica como delito a posse de medicamentos dopantes em pequenas quantidades. A norma deve ser aprovada nos próximos meses pelo Parlamento.
“Os debates continuarão e para isso existe o legislativo”, afirmou Thomas de Maiziere, ministro do Interior, cuja pasta se ocupa gere os assuntos esportivos.
A lei antidoping só irá fiscalizar os cerca de 7.000 atletas de elite que estão sob o controle da Agência Nacional Antidoping da Alemanha e não afeta atletas amadores.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/alemanha-envia-para-parlamento-lei-que-pune-doping-com-prisao_28082.html#ixzz3VWaq8DKX

Nike encerra terceiro trimestre fiscal com lucros


A Nike encerrou o terceiro trimestre fiscal com lucro líquido de 791 milhões de dólares, aproximadamente 2,7 bilhões de reais. O crescimento foi de 16% em relação ao período anterior. O lucro por ação de 89 centavos de dólar superou a previsão inicial de 84 centavos.

Segundo a gigante americana de artigos esportivos, o aumento acima do esperado foi resultado da combinação entre a ampliação das vendas mundiais e um maior eficiência no controle das despesas.

Leia mais no LANCENET!
http://www.lancenet.com.br/minuto/o_negocio_e_esporte-nike-esportes_0_1327667371.html#ixzz3VWZxCc5w
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

quinta-feira, 26 de março de 2015

#Simeone2020 | Atlético de Madrid cria oportunidades com renovação de Simeone


 
Cinco títulos em cinco anos e Diego Simeone seguirá no Atlético de Madrid até 2020. A manutenção do ‘Cholo’ como comandante dos rojiblancos jamais passaria de uma simples renovação de contrato.
Técnico que levou o clube a uma inédita conquista da Europa League, a uma final de UEFA Champions League e ainda quebrou a hegemonia de Real Madrid e Barcelona no campeonato espanhol, merecia uma celebração à altura. O maior contemplado? O torcedor, claro.
Desconto de 50% nos ingressos para a partida diante do Real Sociedad ao inserir o código promocional Simeone2020, livro, cachecol, camisa #14 com o nome de Simeone estampado, são alguns dos itens que formam o pacote de benefícios oferecidos pelo clube.
 


No ambiente virtual, a hashtag #Simeone2020 norteou os esforços digitais do Atleti através de suas redes sociais, a partir de imagens que “narram” a trajetória do argentino à frente da equipe. No Facebook, o conteúdo disponibilizado impactou os mais de 300 mil argentinos da página.
Com 192 partidas, 122 vitórias (63.4%) e apenas 32 derrotas (16.6%), Diego Simeone é muito mais que um treinador, é o símbolo de uma nova e gloriosa era do Atlético de Madrid.




 
Fonte: MKT Esportivo

Atlético/PR, Flamengo e Palmeiras: o conteúdo como aliado nos programas de sócio-torcedor

 
Os jogadores Atlético Paranaense tornaram-se sócios do clube e se juntaram aos mais de 20 mil torcedores presentes no Sócio Furacão (lembrando que o CAP não faz parte do Movimento, da Ambev). Com a adesão, cada atleta rubro-negro terá seu lugar garantido na Arena da Baixada, com uma cadeira exclusiva no Setor Plus, uma das mais próximas do gramado e do acesso ao vestiário. Este tipo de iniciativa é comum entre os brasileiros, como o Cruzeiro já o fez recentemente, por exemplo.
Esta ação da diretoria atleticana é parte dos esforços da diretoria em desenvolver o seu programa. Com os jogadores atuando como uma espécie de embaixadores, a expectativa é que haja um aumento de adesões nos próximos meses. Para isso, o Atlético/PR mandou seu recado através de um dos líderes do elenco, o zagueiro Gustavo, que declarou a necessidade de colaborar financeiramente com o clube e ter a possibilidade de assistir partidas ao lado de jogadores que não forem a campo.
Mesmo sem ainda ter emplacado seu programa, o Flamengo é um dos clubes que embasa um elenco competitivo a partir de uma forte adesão ao Nação Rubro-Negra. Em boa fase, o recém-contratado Marcelo Cirino é um dos pilares da comunicação do programa.
 

Em uma rápida passagem pela fan page do clube carioca, é de impressionar a quantidade de postagens que exaltam a torcida e a importância de se tornar associado. Ainda assim, apesar deste foco virtual e não estrutural, o Flamengo figura em uma tímida sétima posição no ranking de sócio-torcedor do país.
Um dos destaques de 2015, o Palmeiras segue o mesmo caminho, mas aliado a contratações, o clube paulista gera experiências, vetor fundamental para que os associados se mantenham adimplentes e participativos no Avanti. Se em 2014 foram 29 mil adesões, em apenas 3 meses deste ano, o Palmeiras já registra 39 mil novos sócios.
Jogadores/sócios, contratações e experiências. Hoje os clubes se desdobram para atrair cada vez mais torcedores aos seus programas, maximizando receita, entregando benefícios e gerando experiências. Ainda que seja um conceito desconhecido para muitos profissionais do esporte, o Content Marketing segue mostrando sua força. Mas cá entre nós: se explorado de maneira 360, traria ainda mais resultados.
Fonte: MKT Esportivo

E se as principais redes sociais fossem clubes de futebol?

 
Já imaginou uma liga de futebol formada apenas por clubes das principais redes sociais da internet? Foi pensando nisso que o site JuanFutbol desenvolveu logos e uniformes para Twitter, Facebook, Instagram, YouTube, Spotify, entre outras.
Além da identidade visual e de um hipotético fornecimento de material esportivo feito por Nike e adidas, o site ainda foi além ao detalhar a história das fictícias equipes, com ano de fundação, nome do presidente e o número de torcedores baseado na base de usuários ativos de cada rede.






 
Fonte: MKT Esportivo