Cabeçalho

Logotipo

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Milionário iraniano vende participação no Arsenal e 'compra' Everton

Farhad Moshiri negociou 15% de participação em time londrino e adquiriu metade de equipe de Liverpool

O milionário iraniano Farhad Moshiri vendeu 15% de sua participação no Arsenal a seu sócio russo Alisher Usmanov, que passou a controlar 30% da equipe londrina. Com a verba, Moshiri adquiriu 49,9% de outra equipe da Premier League, o Everton. A compra valorizou o clube de Liverpool em 200 milhões de libras (€ 254 milhões), segundo a imprensa britânica.
Essa é a quarta movimentação financeira relevante na Premier League nos últimos meses. O Crystal Palace teve 18% de participação adquirida por Joshua Harris, dono do Philadelphia 76ers, da NBA. O grupo Peak6, dono do Minnesota Wild, da NHL (liga de hóquei no gelo), comprou 25% do Bournemouth. Já o grupo chinês CMC Holding pagará US$ 400 milhões por 13% do Manchester City.
“Conheci Farhad bem durante os últimos 18 meses e seu conhecimento de futebol, métodos financeiros e espírito True Blue me convenceu de que é o homem adequado para apoiar o Everton”, afirmou Bill Kenwright, presidente e e até então principal acionista do clube.
Moshiri se comprometeu a fazer novos investimentos para subir o clube de patamar. Atualmente, o Everton ocupa posições intermediárias no futebol inglês (é o 12º colocado na Premier League).
O milionário iraniano, cuja fortuna estaria em US$ 1,79 bilhão segundo a revista Forbes, admitiu que um dos motivos de investir no Everton é que “nunca houve uma maior igualdade de condições na Premier League como a de agora”.
O time experimentou um forte aumento de arrecadação nas últimas temporadas, sobretudo graças ao lucrativo contrato de TV, sua principal fonte de receitas, que rendeu € 114,1 mihões ao clube. O faturamento em dias de jogos chegou a € 24,6 milhões e a área comercial gera € 26,4 milhões, segundo relatório da Deloitte Football Money League.
Um dos desafios da nova gestão será a busca por um estádio novo, já que o Goodison Park está nitidamente defasado. O Everton tem trabalhado com a Prefeitura de Liverpool para erguer uma nova arena na área do Walton Hall Park.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/milionario-iraniano-vende-arsenal-e-compra-everton_29970.html#ixzz41bcxo0zF

Por receitas, Sport quer atingir 50 mil sócios-torcedores em 2016

Time intensifica ações pelo país com objetivo de diminuir importância de cota de TV para finanças do clube

O Sport estabeleceu como meta atingir 50 mil sócios-torcedores em 2016, o que representaria um aumento de 19% em relação aos 42.233 associados do time pernambucano atualmente, de acordo com números do Movimento por um Futebol Melhor. A ideia é que esse tipo de receita ganhe relevância, diminuindo a importância das cotas de TV para o faturamento do clube.
“O Sport vem fazendo uma campanha desde o ano passado. Essa campanha envolve benefícios aos torcedores que virarem sócios, que dizem respeito não só a descontos no ingresso como vantagens econômicas na aquisição de produtos de nossos parceiros”, afirmou Arnaldo Barros, vice-presidente do time.
O clube hoje conta, além das empresas parceiras do MFM, com acordos locais, voltados para seu maior público. “De sorte que a mensalidade pode sair de graça, se o torcedor usufruir dos benefícios que o Sport tem. Ganho o clube, ganham os associados, ganham os parceiros”, contabiliza Barros.
Entre as iniciativas para ativar o programa de sócio-torcedor, que é administrado pelo próprio Sport, estão sorteios para que os fãs adimplentes possam viajar com o elenco, hospedando-se no hotel e assistindo a jogos do time na tribuna, junto com a diretoria. “Fizemos isso em algumas oportunidades durante o Campeonato Brasileiro”, conta ele.
Outra iniciativa é a abertura de consulados do Sport pelo Brasil. O primeiro, os Leões de Sampa, foi inaugurado em São Paulo. Já existem filiais em Brasília e Teresina. “Pretendemos inaugurar um a cada dois meses. Mas podemos reduzir esse prazo”, afirmou o dirigente.
Para o clássico contra o Náutico, disputado no último final de semana, o Sport ativou o programa com promoção. Os sócios-torcedores que enviaram os vídeos mais criativos mostrando seu amor pelo Sport ganharam o direito de assistir o chamado “Clássico dos Clássicos” na tribuna de honra da Ilha do Retiro.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/por-receitas-sport-quer-atingir-50-mil-socios-torcedores-em-2016_29964.html#ixzz41bcmebpt

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Federação paulista contrata empresa de scouting e distribui conteúdo a clubes

Wyscout, cujo sistema é usado por times como Barcelona e Bayern de Munique, fará trabalho nas séries A1 e A2

A Federação Paulista de Futebol contratou os serviços da Wyscout, empresa italiana de scouting e análise de jogo, e irá disponibilizar os serviços para todos os 40 clubes que integram as séries A1 e A2 do Paulistão. O sistema será apresentado aos clubes na terça-feira, às 15h, na sede da federação paulista.
O acordo, com duração de um ano, dará a todos os clubes a possibilidade de analisar o desempenho de seu elenco e estudar seus adversários. Cada time terá um login para entrar no site da Wyscout e ter acesso ao sistema.  
“Os 40 clubes terão acesso gratuito ao que há de mais moderno em ferramenta de scouting e análise de desempenho”, destacou Mauro Silva, tetracampeão com a seleção brasileira em 1994 e vice-presidente de Integração com Atletas da FPF.
Com isso, treinadores e membros da comissão técnica poderão fazer relatórios mais completos sobre cada jogador do elenco, quanto ele correu no jogo, além de enxergar deficiências e virtudes em seu desempenho.
Mauro Silva também destaca que as informações dos jogadores que atuam nas séries A1 e A2 estarão disponíveis a qualquer clube que assina o serviço da Wyscout no mundo.
“O Paulistão passará a ser uma vitrine ainda maior, já que o histórico e desempenho dos nossos atletas paulistas estarão disponíveis a milhares de pessoas ligadas ao futebol em todo o mundo”, afirmou Mauro Silva.
Entre os clientes da Wyscout estão clubes como Boca Juniors, Barcelona, Bayern de Munique, Juventus, Atlético de Madri, Arsenal, Bayer Leverkusen, Milan, Porto, Benfica, Zenit, Monaco e Lyon. Dos clubes paulistas, apenas o Corinthians já é cliente da empresa italiana.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/federacao-paulista-contrata-empresa-de-scouting-e-distribui-conteudo-clubes_29963.html#ixzz41Ul02qzw

Corinthians apresenta novo patrocinador em março

Após saída de Caixa de camisa, clube se apressa para anunciar novo parceiro em camisa ou no naming right do estádio

O Corinthians não deverá ficar muito tempo sem um grande patrocinador. O clube deverá fazer a apresentação do novo parceiro logo no primeiro dia de março, ainda que não tenha sido revelado se o aporte em questão seja pelo espaço máster da camisa, pelo naming right da arena em Itaquera ou por ambos.
Na última quarta-feira, a direção do Corinthians iniciou a remoção de qualquer menção à Caixa, patrocinadora máster do time nos últimos três anos. A marca foi retirada do site e das redes sociais do clube.
Na quinta-feira, o atacante André fez entrevista coletiva sem o banco no backdrop, e o elenco treinou com uniforme sem o logotipo do antigo parceiro. No próximo fim de semana, a camisa de jogo também não terá a marca da Caixa.
O nome do futuro parceiro tem sido mantido em absoluto sigilo pelo clube paulista. Especula-se, no entanto, que se trate de um grupo de investidores com empresas no setor financeiro. Nesse caso, seria impossível a manutenção da Caixa, que ofereceu renovação por R$ 30 milhões ao Corinthians.
Havia também a expectativa de o clube se pronunciar oficialmente sobre a saída da Caixa, o que não foi feito na quinta-feira. Ainda assim, a partida contra o São Bento, na quarta-feira, foi a despedida do banco.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/corinthians-apresenta-novo-patrocinador-em-marco_29959.html#ixzz41UkpBlDF

Atlético Paranaense celebra estreia de grama sintética

Piso estreou em jogo com Criciúma pela Primeira Liga e dá a clube chance de fazer outros eventos sem prejudicar gramado

A Arena da Baixada, casa do Atlético Paranaense, ganhou nesta semana um novo piso. Pela Primeira Liga, o time enfrentou o Criciúma e estreou o gramado sintético do estádio, que até o fim de 2015 mantinha a grama natural.
A troca foi realizada prioritariamente por razões comerciais. Como o estádio é praticamente inteiro coberto, a manutenção da grama antiga era difícil e cara. O excesso de jogos tornava ainda mais complicado o bem-estar do gramado.
Com a troca, o local poderá receber mais eventos sem que isso cause prejuízos técnicos e financeiros ao time. Um dos planos do Atlético é transformar a arena em um dos principais palcos de shows no país. Em 2015, por exemplo, o local recebeu o cantor inglês Rod Stewart. No fim do ano, dias antes do início da troca de gramado, o estádio teve um festival de música sertaneja.
Em campo, o clube celebrou o selo de aprovação da Fifa, com o certificado Fifa Pro, além dos elogios recebidos pelos jogadores do Criciúma.
Segundo o diretor de projetos do Atlético, Luiz Volpato, nos próximos jogos, o gramado já não deverá mais ser assunto. “A escolha foi acertada. O gramado, além de ter as características físicas muito semelhantes ao natural, dá um conforto muito grande ao jogador em termos de estabilidade e condições térmicas”, afirmou no site oficial do clube.
Hoje, considerando os grandes palcos do futebol brasileiros, o Atlético Paranaense é o único a utilizar essa tecnologia.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/atletico-paranaense-celebra-estreia-de-grama-sintetica_29958.html#ixzz41UkeFRRH

Nova proposta da Globo reduz abismo financeiro entre clubes

Projeto para dividir receita do Brasileirão torna desequilíbrio de arrecadação entre times menor

O duelo entre a Globosat e o Esporte Interativo pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro na TV paga para o período de 2019 a 2024 vai provocar uma mudança significativa na divisão da receita oriunda da TV.
No projeto montado pela Globo após a investida do EI sobre os clubes, a divisão das receitas da TV passarão a ser feitas da seguinte forma: 40% distribuído igualmente, outros 30% conforme a posição do time no Brasileiro e os 30% restantes conforme a aparição dos clubes na televisão.
A mudança na divisão do bolo da TV era um dos trunfos usados pelo EI na negociação. O canal do Grupo Turner acenava com uma proposta de dividir metade igualmente entre os clubes, 25% conforme a performance e o restante de acordo com a audiência.
A reviravolta aconteceu durante o último final de semana, quando a Globosat decidiu reformular a proposta que faria ao São Paulo.
A emissora promoveu a venda exclusiva dos direitos de transmissão na TV paga e apresentou o novo modelo de rateio da verba, convencendo o clube a declinar da proposta do EI na reunião do Conselho.
A assinatura do contrato foi uma espécie de ponto de virada no andamento das negociações, que agora estão mais pendentes para a Globosat.
Ao todo, nove clubes já assinaram com a Globo (Atlético-MG, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Fluminense, São Paulo, Sport, Vasco e Vitória), enquanto o EI tem o Santos e o Bahia mais adiantados, mas sem assinatura.
Na próxima semana, o Atlético Paranaense levará ao Conselho a discussão da proposta da TV.
No início da semana, o Esporte Interativo divulgou nota pelo Facebook em que cobrava o Grupo Globo a separar as propostas de transmissão por plataforma (TV aberta, paga e pay-per-view), além de bater na tecla da divisão mais igual do dinheiro dos times.

A proposta da Globo, para as três plataformas, é de R$ 1,1 bilhão por temporada. O EI oferece R$ 550 mi só para a TV paga.  Com a conquista do São Paulo e o novo modelo de divisão das cotas, a Globo ficou mais forte.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/nova-proposta-da-globo-reduz-abismo-financeiro-entre-clubes_29960.html#ixzz41UkOVJey

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

COM LUVAS DE R$ 60 MILHÕES, SÃO PAULO ACEITA PROPOSTA DA REDE GLOBO

A partir de 2019, Sportv segue com os direitos de transmissão dos jogos da equipe na Tv fechada


Após terem suas respectivas propostas divulgadas no blog do Menon – e a do Esporte Interativo ser mais vantajosa no longo prazo (leia aqui) – o São Paulo decidiu no final da noite de ontem que assinará contrato com a Rede Globo.

Aprovado por unanimidade pelo Conselho Deliberativo, o Tricolor paulista concordou em dar continuidade em seu acordo de Tv fechada com o Sportv a partir de 2019, em um contrato que será válido até 2024.

Para esta nova fase, o São Paulo exaltou duas novidades do novo contrato: o recebimento de R$ 60 milhões de luvas no ato da assinatura e a possibilidade de poder negociar livremente a publicidade estática do Morumbi, antes de propriedade da emissora. Outra promessa feita pela Globo aos clubes que fecharem com ela é democratizar sua distribuição, com 40% dividido igualmente entre os participantes, 30% pelo desempenho no campeonato e 30% de acordo com a audiência.

Com o acerto, o São Paulo se junta a nove clubes que já fecharam com a emissora, são eles: Corinthians, Vasco, Botafogo, Vitória, Sport, Cruzeiro, Atlético-MG e Fluminense.

Fonte: MKT Esportivo

Barcelona renova patrocínio à Unicef até 2020

Para usar logo de instituição nas costas de camisa, clube irá desembolsar até R$ 8,8 milhões por temporada

O Barcelona renovou parceria com a Unicef até 2020, que passará a receber do clube entre € 1,5 milhão a € 2 milhões (de R$ 6,6 milhões a R$ 8,8 milhões) por ano. Essa era uma das promessas de campanha do presidente Josep Maria Bartomeu.
“Esse acordo com a Unicef é um título para as crianças”, afirmou o dirigente.
A ligação, que teve início em 2006, sob o mandato de Joan Laporta, tem como objetivo “implementar projetos que fomentem a educação dos jovens através do esporte em áreas mais necessitadas do mundo”.
Em virtude do acordo, o logotipo da Unicef continuará na parte traseira da camisa de jogo durante os cinco anos do novo acordo. Desde 2011, a marca deixou a parte frontal por conta do contrato com a Qatar Airways.
“Me encanta ver o logo da Unicef na camisa depois que os jogadores fazem gol”, afirmou Anthony Lake, diretor executivo da entidade.
O acordo entre Barcelona e Unicef completa dez anos em setembro. Desde então, as duas entidades “beneficiaram mais de 1 milhão de crianças através de projetos conjuntos em sete países”, afirmou o clube espanhol.
O Barcelona prevê fechar a temporada 2015/2016 com um faturamento de € 633 milhões, o que representa um aumento de 4,11% em relação ao ano anterior. O lucro da agremiação foi de € 15 milhões. A dívida do clube chegou a € 328 milhões.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/barcelona-renova-patrocinio-unicef-ate-2020_29956.html#ixzz41Dz2IeMM

Santos contrata empresa de Brunoro para planejar futuro

Brunoro Sports & Marketing fará mapeamento de todas as áreas do clube e irá entregar relatório em 3 meses à diretoria

O Santos contratou a empresa Brunoro Sports & Marketing para a elaboração de um planejamento estratégico do clube para os próximos anos.
“Vamos fazer um diagnóstico e montar um projeto de longo prazo, que engloba o futebol, as categorias de base, plano financeiro e de marketing. Começamos a trabalhar agora e vamos terminar o projeto em três meses”, afirmou José Carlos Brunoro, diretor presidente da empresa, em entrevista à Máquina do Esporte.
Brunoro foi sócio de Eduardo Rezende, atualmente executivo de marketing do Santos. O dirigente se notabilizou pela gestão da parceria entre Palmeiras e Parmalat no início dos anos 90. De lá para cá, o dirigente participou de outros projetos de destaque, como a gestão da carreira do piloto Pedro Paulo Diniz. E 2002 assumiu como diretor executivo do Audax, clube mantido pelo Grupo Pão de Açúcar no Rio e em São Paulo.
Em 2014 teve passagem conturbada pelo Palmeiras no ano do centenário do clube. No ano passado, o dirigente atuou como diretor executivo do Brasília FC, antes de fechar com o time da Baixada Santista.
“O Santos está entendendo a importância desse tipo de trabalho. O clube sai na frente. A empresa irá prestar esse serviço e será feito um mapeamento de todas as áreas do clube. Depois, será entregue um relatório para as gerências”, destacou Brunoro.  



Botafogo faz parceria com UFRJ para curso de extensão

Sócio-torcedor de clube tem 10% de desconto em curso de Marketing Esportivo promovido por universidade

O Botafogo firmou uma parceria diferente para ativar seu programa de sócio-torcedor. O clube carioca acertou com a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e dará desconto de 10% a seus associados no curso de Marketing Esportivo 3.0: Branding e Ferramentas Digitais no Universo Esportivo.
Com início confirmado no dia 5 de abril, o curso terá quatro meses de duração, com 120 horas de conteúdo. O sócio-torcedor do Botafogo que estiver cursando ou já concluiu o ensino superior e estiver adimplente está apto a obter o desconto.
Os sócios-torcedores do Botafogo podem se pré-cadastrar através do site www.marketingesportivoufrj.com.br. Os associados que cumprirem com todos os requisitos de matrícula terão o currículo analisado pela coordenação do curso antes de a matrícula ser efetivada.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/botafogo-faz-parceria-com-ufrj-para-curso-de-extensao_29947.html#ixzz41DyeJZSm

Umbro deve substituir Penalty na camisa do Cruzeiro

Equipe mineira estaria insatisfeita com entregas da Penalty e buscaria novo parceiro para fornecer uniformes

A Umbro será a nova fornecedora de material esportivo do Cruzeiro. A informação foi divulgada no site da ESPN. Segundo a publicação, o Cruzeiro espera formalizar o rompimento com a Penalty para oficializar o novo acordo. O contrato deve ser fechado em R$ 10 milhões anuais.
Procurada pela Máquina do Esporte, a Umbro negou o acordo com o Cruzeiro. Já o time de Minas Gerais confirmou que mantém um contrato com a Penalty e que ainda negocia com outras empresas interessadas em fechar. Segundo o diretor de marketing do time, Robson Pires, há a possibilidade de manutenção do atual acordo com a empresa brasileira, válido até 2017.
O problema do Cruzeiro é que a Penalty tem tido dificuldades para arcar com o contrato, tanto financeiramente como em entrega de material para o varejo.
Neste início de ano, outro clube rescindiu o contrato com a Penalty com problemas semelhantes. O Santa Cruz chegou a divulgar uma nota oficial para enumerar os problemas vividos com a empresa brasileira, entre ausência do terceiro uniforme e ações promocionais e até falta de camisa para vender durante a apresentação de jogador.
Atualmente, a Umbro conta com três clubes na Série A do Campeonato Brasileiro: Atlético-PR, Grêmio e Chapecoense. Além disso, é fornecedora de equipes tradicionais, como Vasco, Náutico, Remo e Joinville.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/umbro-deve-substituir-penalty-na-camisa-do-cruzeiro_29952.html#ixzz41DwOfCR5

Sem Caixa, Corinthians vai em busca de naming right

Clube agora trabalha os últimos detalhes para acordo de patrocínio que envolve camisa e estádio

Uma reunião na tarde da quarta-feira em São Paulo entre as diretorias de Corinthians e Caixa Econômica Federal colocou um fim a três anos de parceria entre clube e o banco estatal, que não acertaram a renovação do acordo que já foi o mais valioso do país.
O anúncio será feito ainda na manhã desta quinta-feira, mas já na madrugada o site oficial do Corinthians e os canais do clube em redes sociais haviam retirado a marca do patrocinador.
Clube e empresa não acertaram as bases da renovação do contrato. Enquanto o Corinthians queria R$ 40 milhões para renovar, a Caixa pretendia manter os mesmos valores pagos desde 2013: R$ 30 milhões por ano de patrocínio.
O impasse tem, por trás, uma longa negociação do Corinthians para o naming right da sua arena, que se arrasta desde o ano passado. O clube negocia com uma marca que pode também ocupar a parte mais nobre do uniforme. Sem a Caixa, a chance de isso acontecer passou a ser maior.
O fim da parceria coloca fim a um patrocínio que ganhou alta projeção na mídia desde a sua assinatura, em dezembro de 2012, quando o Corinthians jogou o Mundial de Clubes no Japão.
O patrocínio passou a ser alvo de protestos de torcedores de outros clubes, que questionavam o aporte milionário de uma estatal em apenas um clube. Com a repercussão, a Caixa passou a fechar com outros times, como Flamengo e Vasco, chegando a ter quase a metade dos times que disputavam a Série A do Campeonato Brasileiro de 2014.
Com o fim do patrocínio ao Corinthians, a Caixa perde um clube no estado mais populoso do país. A empresa mantinha conversas com o São Paulo, que há três anos não tem um acordo para a parte mais nobra do uniforme.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/sem-caixa-corinthians-vai-em-busca-de-naming-right_29950.html#ixzz41Dvq11Pc

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

EI pode pagar até R$ 3,3 bilhões pelo Brasileirão

Canal do Grupo Turner faz proposta inédita pela transmissão do torneio na TV paga

Está na mesa de cerca de 20 clubes a maior proposta já existente pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro em TV paga. O Esporte Interativo, turbinado pelo Grupo Turner, apresentou aos times de maior torcida do Brasil uma proposta que pagará R$ 550 milhões por temporada pela transmissão da Série A nacional em TV paga.
Máquina do Esporte teve acesso a detalhes da proposta feita pelo canal do Grupo Turner. Ela é válida para o período entre 2019 e 2024, o que faria a emissora pagar R$ 3,3 bilhões por seis anos de contrato. A proposta tem sido discutida pelos clubes, que têm convocado reuniões de Conselho para apresentar os valores.
Na próxima segunda-feira, por exemplo, o Atlético Paranaense debaterá entre seus sócios.
Apesar da proposta milionária, o EI tem encontrado dificuldade para assinar com os clubes. Do outro lado, o Grupo Globo negocia em conjunto uma proposta que engloba a transmissão nas TVs aberta e paga. A Globo sinaliza com o dobro do valor pelos direitos, proposta que vem sendo publicamente combatida pelo EI, que tem usado seu perfil no Facebook para tentar mostrar que os clubes perderão dinheiro se aceitarem a proposta do atual parceiro.
“Ofertas conjuntas prejudicam a concorrência, pois dificultam a precificação dos direitos em diferentes mídias. Por isso o CADE, acertadamente, buscou disciplinar esta prática para o bem do futebol brasileiro”, afirmou o canal em nota divulgada à 0h desta terça-feira.
Até agora, só o Botafogo declarou publicamente ter fechado com a Globo os direitos de TV. Por outro lado, o Santos foi o único a confirmar ter aceito a proposta do Esporte Interativo, que também tem a simpatia do Bahia.
Em sua proposta, o EI promete dividir de forma mais igualitária os valores pagos aos clubes. O canal promete distribuir 50% do valor por igual entre os times, outros 25% conforme a audiência dos jogos e o restante conforme a performance na competição.
Segundo apurou a reportagem, o valor total só será pago se os 20 clubes da Série A assinarem. Se não, proporcionalmente a verba será reduzida. Cada clube, teoricamente, vale R$ 27,5 milhões.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/ei-pode-pagar-ate-r-33-bilhoes-pelo-brasileirao_29937.html#ixzz412YuJKcB

Puma perde clubes e aposta em jogadores para manter visibilidade no Brasil

Marca perde Atlético-MG e Botafogo e aposta em contratos individuais para assegurar 3º posto no país

No final do ano passado, a Puma teve perspectiva real de vestir até cinco clubes da elite do Brasileirão. Botafogo, Paysandu e Vitória disputavam a Série B com chances reais de subir para a primeira divisão. Já o Atlético-MG, vice-campeão brasileiro, também vestia Puma.
O início do ano, porém, não foi dos mais alentadores para a marca alemã. A empresa perdeu sucessivamente os contratos com Atlético-MG, Botafogo e Paysandu. O time mineiro recebeu proposta milionária da Dryworld, empresa canadense que optou por investimento agressivo em sua chegada ao Brasil.
O Botafogo, por sua vez, parceiro da Puma desde 2012, não renovou contrato, preferindo assinar com a Topper por três temporadas. Já o Paysandu, que acabou não subindo para a elite, preferiu criar e distribuir sua própria camisa.
“A gente queria continuar com Atlético-MG e Botafogo até pela relação que a gente tem com eles. Mas foi uma situação de mercado”, comenta Fábio Kadow, diretor de marketing da Puma do Brasil, em entrevista à Máquina do Esporte.
Sem eles, a marca passou a focar sua estratégia comercial no Vitória, único parceiro que sobrou na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, e em contratos individuais com jogadores.
“Vamos focar no Vitória, que com quem temos contrato no momento, e trabalhar com os atletas. A gente acabou de acertar com o Nenê [atacante do Vasco]. Também temos contrato com o Luiz Henrique, principal revelação do Botafogo”, afirma Kadow.
O executivo lembra que a marca também possui contratos com jogadores de grande visibilidade na Europa, como Fàbregas (Chelsea), Giroud (Arsenal), Balotelli (Milan), Marco Reus (Borussia Dortmund) e Agüero (Manchester City).
Apesar da baixa visibilidade nas camisas de futebol nesta temporada, a Puma não teme a concorrência de marcas novas no mercado, caso de Under Armour, que veste o São Paulo desde o ano passado, e Dryworld, que assinou com Atlético-MG, Fluminense e Goiás.
“A gente entende que a Puma vai se manter como a terceira maior marca no Brasil [atrás de Nike e Adidas]. A Puma não está no futebol há seis meses. Jogadores e atletas confiam e gostam do nosso produto”, comenta Kadow. “Isso não quer dizer que vamos ficar parados. Vamos melhorar cada vez mais.”
Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/puma-perde-clubes-e-aposta-em-jogadores-para-manter-visibilidade-no-brasil_29914.html#ixzz412YgoGXQ

Agência foca em ativação para levantar marca do Flamengo

NBS irá trabalhar em conjunto com a comunicação do time carioca

O Flamengo fechou com um novo parceiro na última semana: a agência publicitária NBS. A empresa será responsável por gerenciar a marca do clube, com o trabalho de branding, publicidade e, principalmente, ativações.
Em conversar por e-mail com a Máquina do Esporte, o vice-presidente de criação e planejamento da NBS, André Lima, contou um pouco do desafio assumido com o clube carioca.
“Apesar de termos uma enorme experiência na construção e ativação de marcas fortes, este desafio do Flamengo é diferente e especial. É uma marca gigante, amada por mais de 40 milhões de pessoas. As possibilidades de ativação desta paixão são enormes e é neste lugar que a gente vai atuar”, explicou Lima.
A agência irá gerenciar, por exemplo, ações que envolvam os sócios-torcedores do clube carioca, com o intuito de aumentar o número de participantes. Para o executivo da NBS, o objetivo central, de aproximação com o torcedor, é o que difere o Flamengo de outros clientes; a agência conta com parceiros como Oi e Petrobras.
“O que fazemos, no nosso trabalho com empresas, é tentar estabelecer um vínculo emocional entre as pessoas e as marcas. A principal diferença, no caso do Flamengo, é que este vínculo já existe. Então, em vez de construirmos uma estratégia para fazer as pessoas gostarem da marca, temos que inventar jeitos de renovar o interesse no tema”, contou. 
Ainda assim, a agência não sabe especificar quais serão as primeiras ações. Segundo o executivo, esse primeiro momento de parceria será de avaliação e criar uma base sólida para as ativações.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/agencia-foca-em-ativacao-para-levantar-marca-do-flamengo_29934.html#ixzz412Z4ndaF

Coritiba festeja ídolo e faz ações para sócios-torcedores

Clube, que comemora 50 anos de ligação com Dirceu Krüger, inaugura estátua e lança documentário sobre Flecha Loira

O Coritiba fará uma série de ações com seus sócios-torcedores em comemoração aos 50 anos de ligação do ídolo Dirceu Krüger com o clube, que serão completados na próxima quarta-feira (dia 24). Nesse dia, a torcida irá inaugurar uma estátua do ex-jogador, que foi doada ao Coritiba e ficará no estacionamento do estádio Couto Pereira.
Apelidado de Flecha Loira por ser um ponta veloz, Krüger jogou 11 anos no Coritiba, período em que conquistou oito títulos de campeão paranaense. Como auxiliar técnico, esteve presente na campanha do título do Brasileirão, em 1985.
Na quinta-feira, antes da partida contra o Rio Branco, pelo Campeonato Paranaense, Krüger irá distribuir 50 unidades do DVD com 50 episódios do jogador com a camisa do Coritiba. O produto não está à venda, e será distribuído de acordo com a pontuação do clube de benefícios do programa de sócio-torcedor do clube.
Às 19h30, Krüger entrará em campo com o time. A intenção do Coritiba é que ele dê o pontapé inicial da partida, mas essa iniciativa ainda depende de autorização especial da Federação Paranaense de Futebol.
O programa de sócio-torcedor do Coritiba, que não é vinculado ao Movimento por um Futebol Melhor, conta atualmente com cerca de 20 mil associados.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/coritiba-festeja-idolo-e-faz-acoes-para-socios-torcedores_29924.html#ixzz412YWHlB8

Movimento por um Futebol Melhor promove encontro com executivos de marketing no Rio

Evento teve balanço de programa de sócio-torcedor e dinâmica de grupo entre executivos de marketing de mais de 20 clubes

O Movimento por um Futebol Melhor promoveu encontro de executivos de marketing de mais de 20 clubes brasileiros na última sexta-feira para o “Marketing Meeting do Futebol Brasileiro”. O foco do evento, realizado pela Brahma, foi a troca de experiências para aprimorar os programas de sócios-torcedores.
“É um debate importante para extrair o melhor de programas e ativações com os torcedores. Não são todos os clubes que exploram isso. O Fluminense pretende usar muito mais”, afirmou Marcone Barbosa, diretor de marketing do clube carioca, que cedeu sua sede para o encontro.
O evento começou com uma apresentação de Sandro Leite, gerente de marketing esportivo da Ambev, que apresentou os números do MFM. Em seguida, a agência Octagon, gestora da reunião, levou aos convidados inspirações para trabalhar as marcas dos times de futebol com os torcedores. Os participantes executaram ainda a parte prática com uma dinâmica de grupo, proposta por Sylvio Maia, criador do projeto CEO’s Do Futebol.
“O Movimento por um Futebol Melhor é um grande caminho para os clubes brasileiros. Por isso, nós, dos departamentos de marketing de cada equipe, decidimos nos encontrar para debater ideias. Estamos muito satisfeitos com esse intercâmbio”, comentou Bernardo Mota, gerente sócio do futebol do Cruzeiro.
O MFM fechou 2015 com quase 1,1 milhão de associados em 67 clubes. Esse grupo gerou uma receita estimada de R$ 400 milhões aos times. Em três anos, o movimento contribuiu para o aumento de 650 mil novos sócios-torcedores para o futebol brasileiros. Desde 2013, o MFM registra um crescimento de 600% no número de associados.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/movimento-por-um-futebol-melhor-promove-encontro-com-executivos-de-marketing-no-rio_29923.html#ixzz412YAGibx

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Botafogo admite que renovou contrato com Globo até 2020

Clube acerta com emissora para todas as plataformas e é primeiro a confirmar contrato publicamente com emissora carioca

O Botafogo admitiu publicamente que renovou contrato com a Rede Globo até 2020. Segundo o clube, o novo acordo é válido para todas as mídias até 2020. A documentação já foi inclusive aprovada pelo Conselho Deliberativo do clube carioca, que neste ano retorna à primeira divisão do Campeonato Brasileiro, após conquistar o título da Série B no ano passado.
Segundo a diretoria do time alvinegro, não houve nenhuma proposta financeira do Esporte Interativo, canal do grupo Turner, para os direitos de transmissão dos jogos da equipe para a TV fechada.
O comunicado oficial do Botafogo foi divulgado dias depois de o Santos admitir oficialmente que fechou contrato de direitos de transmissão para a TV por assinatura com o Esporte Interativo. O atual compromisso acaba em 2018.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/botafogo-admite-que-renovou-contrato-com-globo-ate-2020_29922.html#ixzz40ir30ops

Loja do Palmeiras faz promoção, e distribui ingressos para clássico contra Santos

Dependendo de valor de compra na Academia Store, torcedor pode levar uma ou duas entradas para jogo

A Academia Store, loja oficial do Palmeiras, criou uma promoção que dará ingressos para o clássico contra o Santos, no sábado, pelo Campeonato Paulista. O jogo, que será disputado no Allianz Parque, em São Paulo, marca o primeiro duelo entre as duas equipes desde a final da Copa do Brasil, em dezembro.
A ação, intitulada “Comprou, ganhou”, não implica em sorteio. Os palmeirenses que fizerem compras acima de R$ 200 na loja ganharão um ingresso para a partida,, válida pela quinta rodada do Estadual. O torcedor que gastar acima de R$ 300, por sua vez, terá direito a duas entradas. Os bilhetes são válidos para o setor gol sul do estádio.
A rede de franquias Academia Store, administrada pela Meltex, conta com mais de 500 itens oficiais do Palmeiras, entre chaveiros, roupas, vestuário, acessórios, bazar, cama, mesa e banho, presentes, entre outros. Apenas três unidades da loja oficial do Palmeiras participam da promoção: as unidades do Grand Plaza Shopping (Santo André), Tatuapé e Shopping Metrô Tucuruvi. 



Em parceria com Netshoes, Sport Recife lança loja virtual

Abertura de e-commerce envolveu ação surpresa que envolveu os torcedores em partida pela Copa do Nordeste

O Sport Recife lançou, em parceria com a Netshoes, sua loja virtual oficial, a Cazá do Sport (www.cazadosport.com.br). O nome é uma referência ao grito ‘Cazá, Cazá’ tradicionalmente entoado pela torcida do clube pernambucano. O site entrou no ar na última quarta-feira (dia 17), após a ação surpresa que envolveu os torcedores, realizada na partida entre Sport x Fortaleza pela Copa do Nordeste.
A novidade chega logo depois da abertura da loja física, em janeiro. "Nós inauguramos a loja física, mas sabíamos que não era o suficiente. A nossa torcida está espalhada pelo mundo inteiro e estamos dando o suporte ao torcedor que estiver longe. Por isso, a loja virtual é imprescindível”, afirmou Melina Amorim, diretora de marketing do Sport. “Queremos dar o melhor para o torcedor. Temos certeza de que vai ser uma parceria de muito sucesso”, acrescentou.
Responsável pela gestão das operações da loja, a Netshoes reúne na Cazá do Sport um portfólio inicial com mais de 150 artigos oficiais, entre os uniformes de jogo, linha de treino e viagem fabricados pela Adidas, além de produtos licenciados que incluem canetas, copos e bolas estilizadas. A loja online também oferecerá aos torcedores mais de mil itens da fornecedora de materiais esportivos do Sport. 
“Para nós, é um orgulho ter como parceiro um clube considerado como um dos maiores do Nordeste e que conta com uma torcida tão apaixonada. Em nosso rol de lojas online parceiras pela América Latina, contamos com clubes que são considerados gigantes em suas regiões e é uma honra poder incluir o Sport nessa lista”, disse Marcelo Chammas, diretor comercial da Netshoes. 



quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

TOPPER SERÁ A NOVA FORNECEDORA DE MATERIAL ESPORTIVO DO PARANÁ

Insatisfação com a Erreà, sua atual parceira, motivou busca por uma nova fornecedora. Acordo com a marca brasileira será de dois anos


Ao que indica, a Topper pretende voltar com força ao mercado brasileiro. Após anunciar sua chegada aoBotafogo, a marca brasileira deve assumir o uniforme do Paraná logo após o término do Campeonato Paranaense.

Insatisfeito com a Erreà, o clube paranista decidiu que não renovaria o acordo após dezembro de 2015. Sem opções no curto prazo, optou por seguir com a italiana neste primeiro semestre.

À exemplo do que ocorreu com o Botafogo, a DryWorld perdeu uma nova queda de braço pensando em expandir sua presença no país. Sem acordo por divergências contratuais, o Paraná fechará com a Topper por duas temporadas.

Uma forte especulação de mercado envolvendo a empresa é sua possível chegada ao Cruzeiro, insatisfeito com o atual patrocínio da Penalty que peca ao cumprir algumas cláusulas do contrato. Por enquanto, nenhuma informação oficial foi divulgada.

Fonte: MKT Esportivo

Flamengo faz camisa de jogo exclusiva para sócio-torcedor

Apenas membros do programa rubro-negro poderão comprar uniforme com selo do Mundial de 1981

O Flamengo entrará em campo, nesta quarta-feira, com uma camisa diferente: ela terá um selo comemorativo em referência ao título mundial conquistado em 1981. A imagem ficará na manga do uniforme que, no outro lado, terá a inscrição “sou sócio-torcedor”.
Há uma explicação para o segundo selo. A camisa comemorativa chegará às lojas oficiais do time em breve, mas apenas sócios-torcedores em dia poderão comprar o novo uniforme.
Segundo o diretor de marketing do Flamengo, Bruno Spindel, esse é mais um modo de dar vantagens aos sócios. “Além disso, é mais uma forma de integrar nosso projeto de lojas oficiais com o programa de sócio-torcedor”, afirmou.
Os três modelos de camisas usadas atualmente, a rubro-negra, a branca e a preta, receberão os selos.
A conquista do Mundial de 1981 completará 35 anos em 2016. Para divulgar a nova camisa, o ex-jogador Adílio, ídolo flamenguista, foi usado de modelo.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/flamengo-faz-camisa-de-jogo-exclusiva-para-socio-torcedor_29902.html#ixzz40TFR2g5s

Com redes sociais, Flamengo amplia acordo com Konami

Empresa colocará marca de jogo PES na assinatura de algumas postagens do clube

O Flamengo anunciou um patrocínio específico para as redes sociais. A Konami, produtora do jogo Pro Evolution Soccer, aumentou a parceria com o clube carioca e exibirá a marca em questão em posts do time nas redes sociais, entre Facebook, Twitter e Instagram.
O PES será usado com uma assinatura de algumas postagens. E a parceria já tem início nesta quarta-feira: a marca será exibida quando o clube divulgar a escalação do time para a partida desta noite.
A Konami já tinha uma parceria com o Flamengo para incluir o time com exclusividade no PES de 2016. O concorrente Fifa, da EA Sports, não pôde contar com a equipe na última edição do jogo. O mesmo foi feito com Corinthians, ainda que o clube carioca tenha ganhado até embalagem personalizada.
Nos últimos meses, o Flamengo tem mudado o tom de suas redes sociais para conseguir ficar mais próximo de seus torcedores. Com Gifs, vídeos e fotos informais, a equipe de comunicação do clube tem conquistado maior atenção de seus torcedores nos meios online.
Uma das principais apostas é a FlaTV. Recentemente, o clube afirmou à Máquina do Esporte que o objetivo é tornar o canal no YouTube o mais acessado entre os times brasileiros. Nesta semana, a comunicação da equipe soltou nota para celebrar a marca de 100 mil inscritos na rede social. Apenas nos últimos dois meses, foram 30 mil inscrições.
O Flamengo também reforça, com o PES, a importância comercial das redes sociais. Há pouco tempo, os clubes brasileiros somavam milhões de seguidores, mas ainda tinham dificuldades para comercializar os canais. Hoje, equipes como Grêmio, Corinthians, Santos e São Paulo já têm histórico de vendas bem-sucedidas. Agora o Flamengo entre para este grupo.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/com-redes-sociais-flamengo-amplia-acordo-com-konami_29901.html#ixzz40TFF2AWY

Pirelli renova patrocínio com Inter de Milão até 2019

Empresa tem preferência de renovação por mais 2 anos e estipula bônus caso time se classifique para torneios europeus

A Pirelli renovou contrato de patrocínio de camisa com a Inter de Milão até 2019. Pelo novo compromisso, a fábrica de pneus irá desembolsar um total de € 30 milhões nas próximas três temporadas. Pelo contrato, a empresa tem a preferência de renovação por mais dois anos após o fim do compromisso atual. 
Segundo a Sky Sports, pelo acordo, a Inter de Milão poderá receber bônus por desempenho, caso consiga se classificar para as competições europeias. Na atual temporada, a Pirelli cedeu a publicidade na frente da camisa a sua filial Driver quanto a equipe joga com o uniforme reserva.
“Pirelli sempre foi nossa prioridade. Não posso dizer mais, mas nas próximas semanas teremos novidades”, afirmou Michael Bolingbroke, diretor executivo da Internazionale.
“Nosso plano sempre foi acordos a longo prazo. É um plano de cinco anos, se nos classificarmos para a Liga dos Campeões no final desta temporada, que é nosso objetivo, seria fantástico”, acrescentou o executivo.
Com o novo acordo, a Pirelli, parceira desde 1995, se mantém na lista de patrocinadores do time italiano da qual também participam Nike (material esportivo), Deutsche Bank (financeira), TIM (telefonia), Acqua Lete (água) e Kimbo (café).
Segundo relatório da Deloitte Football Money League, a principal fonte de arrecadação da Inter de Milão hoje é com os direitos de TV, com € 97,2 milhões. Os patrocinadores representam menos da metade disso (€ 45,4 milhões).
O balanço financeiro da Inter de Milão não tem apontado lucros. Em 2014/2015, o clube teve prejuízo de € 74 milhões. Esse montante inclui multas da Uefa por descumprir o fair play financeiro, assim como o custo pela rescisão de contrato de vários jogadores e membros de comissão técnica. O objetivo desta temporada é não acumular prejuízo superior a € 30 milhões. 



Após polêmica em desfile, Atlético-MG minimiza incidente; Dryworld pede desculpas por etiqueta

Apresentação de novo uniforme teve modelos de biquíni e sofreu enxurrada de críticas por 'machismo' e 'sexismo'

Era para ser uma festa de apresentação do novo uniforme do Atlético-MG, com direito a presença do atacante Robinho, principal contratação do clube nesta temporada. Mas o que sobrou depois do desfile da vestimenta, realizada na segunda-feira, em Belo Horizonte, foi muita polêmica.
O evento serviu de apresentação da Dryworld como nova fornecedora de material esportivo do Atlético-MG. Nas redes sociais, o público feminino ficou indignado com a apresentação do uniforme em que as modelos desfilaram de biquíni. O desfile  foi considerado machista e sexista por boa parte das torcedoras.
O blog Camikaze, torcedoras do Atlético-MG soltaram nota de repúdio: “Lamentamos profundamente a forma como as modelos, mulheres como nós, e crianças, foram desnecessariamente expostas em uma ação que teve caráter sexual, ainda que com o triste consentimento das mesmas. O fato é que ali elas representavam todas nós.”
Procurado, o diretor de comunicações do Atlético-MG, Domênico Bhering, minimizou o incidente. “Não vimos nenhum desrespeito ou machismo. Fazemos o desfile desse jeito há muitos anos. Sempre foi assim. Tivemos a presença do Robinho. Havia muita coisa legal para falar”, afirmou o dirigente, em entrevista à Máquina do Esporte.
Segundo o dirigente, a produção do desfile foi responsabilidade do Atlético-MG, sem a participação da Dryworld. Apesar disso, a empresa canadense não esteve isenta de polêmica. Em várias camisas promocionais da empresa aparece nas instruções de lavagem: “Give it to your wife” (Entregue para a sua mulher).
No final da tarde desta terça-feira, a empresa soltou comunicado oficial lamentando o incidente nos uniformes. “A DRYWORLD Industries pede sinceras desculpas pela etiqueta das camisas promocionais distribuídas no evento de lançamento da coleção 2016 do Atlético. Tal etiqueta foi criada apenas como uma peça publicitária para uma campanha não aprovada pela empresa. Assumimos toda responsabilidade no erro de produção das camisas promocionais distribuídas com esta etiqueta e garantimos que todas as precauções foram tomadas para evitar que este tipo erro aconteça novamente”, afirmou Claudio Escobar, presidente da empresa.
A companhia, porém, não comentou as críticas sobre o machismo no desfile dos novos uniformes. Cercada por essas polêmicas, a Dryworld aparece pela primeira vez no uniforme do Atlético-MG no jogo desta quarta-feira, contra o Melgar, em Arequipa, no Peru. Será a estreia do time mineiro na Copa Libertadores.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/apos-polemica-em-desfile-atletico-mg-minimiza-incidente-dryworld-pede-desculpas-por-etiqueta_29896.html#ixzz40TEjRTCJ

WTorre confirma rompimento de contrato com AEG na gestão de Allianz Parque

Crise entre duas empresas vinha desde o ano passado, até culminar com cobrança pública de dívida por multinacional

A WTorre rompeu contrato de cogestão do Allianz Parque com a AEG. O acordo assinado entre as duas empresas era válido por dez anos, mas foi rescindido após pouco mais de um.
A crise de relacionamento entre as duas empresas já havia sido escancarada no ano passado. Em março, dois profissionais de marketing da AEG, que trabalhavam no Allianz Parque, foram demitidos. Seus cargos não foram repostos. Em maio, outra executiva da multinacional gestora de estádios, Susan Darrington, deixou o comando da arena.
A WTorre fazia pedidos insistentes para que os gastos com a manutenção do Allianz Parque fossem controlados. A construtora, responsável por erguer o Allianz Parque, chegou a colocar um funcionário no estádio especialmente para fiscalizar os gastos, considerados altos. Após essa iniciativa, fornecedores passaram a reclamar que estavam tendo dificuldade para receber da administração do estádio.
A união vinha sendo complicada, já que tanto WTorre cobrava uma maior participação da AEG nas despesas da arena. Já a gestora do estádio queria aumento dos repasses financeiros.
Em janeiro, a multinacional cobrou publicamente uma dívida de R$ 4 milhões por serviços prestados, o que irritou a WTorre.
Uma das maiores administradoras de estádios do mundo, a AEG é responsável pela gestão de arenas como o Staples Center, em Los Angeles, e a O2 Arena, em Londres. No Brasil, participa da administração do Maracanã e da Arena Pernambuco.
No final do dia, mais uma notícia ruim para o Allianz Parque. A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) soltou comunicado dizendo que “não efetuou visita de inspeção alguma ao estádio Allianz Parque, nem fez alteração alguma do estádio onde o clube Palmeiras deve jogar suas partidas na condição de local”.
Há uma polêmica entre a Conmebol e a WTorre sobre o uso do naming right da Allianz em painéis do estádio por ferir os direitos comerciais da Copa Libertadores. A Conmebol afirma que entregou esse regulamento antecipadamente aos clubes no dia do sorteio dos grupos. “As condições [da competição] incluem o acordo da Conmebol com a empresa ISM, que detém os direitos de patrocínio e marketing da competição”.



Figueirense relança sócio-torcedor e ambiciona 15 mil associados

Clube, que não integra Movimento por um Futebol Melhor, oferece clube de vantagens regionalizado para atrair torcedores

O Figueirense está relançando seu programa de sócio-torcedor com objetivo de atingir 15 mil associados neste ano. A campanha teve início no último final de semana e irá se estender por todo o período do Campeonato Catarinense, competição em que o clube de Florianópolis é o atual bicampeão.
Atualmente, o Figueirense conta com cerca de 12 mil contribuintes ativos. Há três anos, esse número era quase 50% menor. O time não integra o Movimento por um Futebol Melhor, iniciativa criada pela Ambev em 2013 e que conta com a participação de 68 clubes do Brasil.
“Temos nosso próprio programa de descontos, o Furacão de Vantagens. Quando decidimos criar nosso próprio clube de benefícios, buscamos focar em empresas com atuação em Santa Catarina, que é onde estão nossos sócios”, conta Gustavo Spanholi, em entrevista à Máquina do Esporte, justificando o motivo pelo qual o time não se associou à iniciativa liderada pela Ambev.
Assim, os sócios-torcedores do Figueirense têm acesso a descontos em atrações locais, que vão do Beto Carrero World a farmácias, postos de gasolina, supermercados e até mesmo clínica de cirurgião-dentista.
Como forma de atrair mais patrocinadores ao clube, o Figueirense assinou, no início do mês, contrato com a agência Competence para realizar as campanhas publicitárias do clube.
“Eles estão com a gente para definirmos, em conjunto, as estratégias ao longo do ano. Nossa campanha para atrair novos sócios irá ganhar repique ao longo do ano para o Brasileiro e a Copa do Brasil, aproveitando o embalo do aniversário de 95 anos do clube, no dia 12 de junho”, conta Spanholi.
Com apenas dois catarinenses disputando a elite neste ano, o Figueirense acredita que conseguirá atrair mais patrocinadores regionais. No ano passado, além do clube da capital, integravam a Série A do Brasieirão Chapecoense, Joinville e Avaí. Os dois últimos caíram para a segunda divisão.
“Em tese fica um cenário mais claro para um patrocinador que olha regionalmente e só vê duas opções [Figueirense e Chapecoense]. Mas por conta da crise não diria que é um cenário fácil”, afirma o dirigente.
Hoje, o Figueirense conta com patrocínio de camisa da Caixa (máster), Liderança Serviços, Voxx Suplementos e Unimed, cujo contrato termina no final do mês. A Lupo é a fornecedora de material esportivo, em acordo que vai até 2017.
“Criamos uma série de planos para pequenas e médias empresas nos últimos anos. Nosso portfólio tinha nove apoiadores em 2013. Hoje temos cerca de 30”, conta Spanholi.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/figueirense-relanca-socio-torcedor-e-ambiciona-15-mil-associados_29890.html#ixzz40TELS6Zs