Cabeçalho

Logotipo

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Com Loco Abreu, Bangu faz plano de marketing para resgatar prestígio

Clube busca patrocinador máster de camisa, oferece propriedades e ação com atacante por R$ 400 mil

O Bangu espera resgatar os velhos tempos de conquistas com a contratação do veterano Loco Abreu, 40, para comandar seu ataque no Campeonato Estadual do Rio de 2017. Por trás da chegada do uruguaio está um plano de marketing para tentar erguer as finanças do clube.
Ainda sem um patrocinador máster definido, o Bangu lançou no mercado uma proposta de ocupação do espaço nobre de sua camisa para a próxima temporada, em que o clube espera disputar também a Série D do Brasileirão.
A ideia é vender o espaço por R$ 400 mil pela temporada. O clube também oferece outras propriedades para dar visibilidade ao patrocinador. Entre elas estão duas placas no estádio de Moça Bonita e no Centro de Treinamento do time da zona norte do Rio.
Nas mídias digitais, o patrocinador terá direito a banner nas redes sociais e no site oficial do Bangu. Também são oferecidos backdrop na sala de entrevista coletiva, 20 ingressos cortesia por partida e envelopamento do ônibus do time, desde que respeitadas as cores do clube.
Outra propriedade é a chance de utilizar Loco Abreu em alguma ação de marketing. Segundo o material de marketing do clube, o valor comercial oferecido vale R$ 5 milhões.
Sem grandes conquistas há anos, o Bangu busca voltar às glórias do passado. O clube foi campeão do Estadual do Rio em 1933 e 1966 e chegou a decidir o Brasileirão contra o Coritiba, em 1985. A equipe perdeu o título nos pênaltis, em pleno estádio do Maracanã. 



Donos do West Ham rejeitam oferta de venda do clube para Red Bull

Segundo clube, empresa de bebidas ofereceu R$ 2,6 bi para ter clube centenário que disputa a Premier League

Os donos do West Ham rejeitaram a oferta da fabricante de bebidas Red Bull de venda do clube por 650 milhões de libras (R$ 2,6 bilhões).
O Red Bull conta hoje com um time na Bundesliga, o RB Leipzig, na vice-liderança do Campeonato Alemão.
A empresa já anunciou que quer comprar o estádio da cidade e ampliá-lo para o time. Agora, mira investimento na aquisição de um time da Premier League, a badalada primeira divisão da Inglaterra.
David Sullivan, dono do West Ham junto com David Gold, confirmou a existência da oferta pela equipe, que recentemente passou a mandar seus jogos no remodelado estádio Olímpico usado nos Jogos de Londres 2012.
Pelo Twitter, Sullivan disse que os primeiros contatos com a Red Bull aconteceram em agosto. O empresário desmentiu matéria do diário “The Sun”, que dizia que os dirigentes examinavam uma oferta de 200 milhões de libras (R$ 800 milhões).
“[A matéria está] completamente errada. Ninguém deseja vender nosso patrimônio e ser chamado de Red Bull West Ham”, afirmou o dirigente, referindo-se ao tradicional clube londrino, fundado em 1895, mas que jamais foi campeão inglês.
O clube, que conseguiu deixar o vermelho das últimas temporadas, tem hoje como principal ativo o estádio Olímpico de Londres, o qual conquistou concessão por 99 anos. Durante esse período, irá pagar 2,5 milhões de libras anuais (R$ 10 milhões). Caso caia para a segunda divisão, esse valor cai pela metade.
A equipe investiu 15 milhões de libras em reformas na arena. Em troca, terá direito a 50% do que conseguir arrecadar com a venda dos naming rights do estádio, caso obtenha valor superior a 4 milhões de libras anuais (R$ 16 milhões).
Antes do início da temporada, o West Ham renovou contrato com a casa de apostas Betway, patrocinador máster de camisa do time. Segundo o West Ham, o acordo foi “o maior da história do clube”.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/donos-do-west-ham-rejeitam-oferta-de-venda-do-clube-para-red-bull_31717.html#ixzz4UK5ilfB3



Negociações de televisão voltam a enriquecer clubes em 2016

Brasileirão, Copa do Brasil e até Copa São Paulo viraram alvo de disputa entre emissoras

Desde a quebra do Clube dos 13, em 2011, que as negociações por direitos de transmissão não tinham tanto protagonismo nos bastidores do futebol. Nos negócios do esporte, a temporada de 2016 será marcada pela entrada da Esporte Interativo e pela consolidação de torneios paralelos como fonte de disputa pelas gigantes da telecomunicação presentes no Brasil.
Turbinada pelo Grupo Turner, a Esporte Interativo estabeleceu a meta mais ousada: quebrar o monopólio do Grupo Globo nos direitos do Brasileirão para a televisão fechada. E a presença foi tão forte que até mesmo a lei para transmissões pode ser alterada.
Há, atualmente, uma lei geral de esporte em análise no Senado. Uma das questões abordadas pelo novo documento quebra a regra atual de que a emissora tem que ter o direito de transmissão das duas equipes em campo. Pelo novo documento, seria necessário apenas o direito do time mandante.
Como o projeto ainda está longe de aprovação, o cenário atual é de clássicos como Corinthians X Palmeiras ou Grêmio X Internacional fora da rede fechada; apenas a Globo aberta e o Premiere poderiam transmitir essas partidas.
Para os clubes, pode haver um empecilho na distribuição de suas partidas, mas a recompensa financeira falou mais alto. Especialmente quando se tratou de luvas, pagas de forma adiantada, um dos trunfos da Esporte Interativo nas negociações. Estima-se que o Palmeiras, por exemplo, tenha levado R$ 100 milhões com o contrato fechado com a Turner.
A briga pelo Brasileirão elevou os contratos de outras competições, cada vez mais disputadas. Nesta semana, até a Copa São Paulo de Futebol Júnior se mostrou valorizada, com um acordo de três anos com a Globo. Foi a primeira vez que o torneio teve um acordo com mais de um ano de duração.
Mas foi a Copa do Brasil que ganhou o maior destaque no fim deste ano. Com contrato de R$ 300 milhões ao ano com a Globo, o torneio passou a ser a disputa que mais bem paga aos clubes, com premiação que passa dos R$ 60 milhões ao campeão.
A próxima disputa televisiva deverá ser em 2018, quando a Libertadores terá seus direitos negociados. Atualmente, há apenas um único acordo com o torneio, fechado com a Fox. Existe a possibilidade, no entanto, de a Conmebol fechar contratos locais para o torneio. E o Brasil, principal mercado sul-americano, deverá ser o grande fornecedor financeiro.  



Coritiba lança promoção em camarotes para temporada 2017

Até 31 de janeiro, torcedor ou empresa que adquirir área nobre do Couto Pereira para ano tem 30% de desconto

O Coritiba lançou uma promoção de 30% de desconto em seus camarotes para a empresa ou torcedor que adquirir pacote até dia 31 de janeiro no estádio do Couto Pereira.
Além disso, o torcedor tem direito a três tipos de bonificação, que podem ser camisa do time, oportunidade de jogar no Centro de Treinamento do clube e a bola de um jogo, entre outras opções. Para empresas, as bonificações possíveis são seis, incluindo ações de marketing com o Coritiba.
Há opções com dez, 12, 14, 15 e 22 lugares, no setor Pro Tork e no setor Social. O camarote para 15 pessoas sai de R$ 49.500 por R$ 34.650 para o ano todo. Já o de 12 torcedores está sendo vendido por R$ 27.720. Em fevereiro, o preço sobe para R$ 39.600.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/coritiba-lanca-promocao-em-camarotes-para-temporada-2017_31711.html#ixzz4UK5MCSI0

Atlético de Madrid negocia para ter franquia no México

Clube, que já conta com filial na Índia e participação em time francês, negocia compra de Jaguares de Chiapas

O Atlético de Madrid planeja a expansão de sua marca adotando modelo semelhante ao do Manchester City: contar com franquias pelo mundo. A equipe espanhola, que já conta com uma filial na Índia e que comprou 35% do RC Lens, da segunda divisão da França, agora quer contar com uma equipe no México.
O clube madrilense negocia a compra de parte do Jaguares de Chiapas. Segundo o diário “Marca”, já foi assinado um acordo de aquisição da equipe, que se mudaria para San Luis de Potosí.
Até o momento, não foi divulgado como seria a operação do Atlético de Madrid no México. Há possibilidade de mudança de nome, escudo e fornecedor de material esportivo.
A filial indiana da equipe, o Atlético Kolkata, não compartilha com a matriz patrocinadores nem fornecedor de material esportivo. No entanto, conta com colaboração no nível técnico, já que seu treinador, José Francisco Molina, já dirigiu o Atlético de Madrid.
A nova aquisição ajudaria a potencializar o Atlético de Madrid, oferecendo novas propriedades a patrocinadores. Hoje, os parceiros de uniforme da equipe colchonera são Nike e Plus500, que desembolsam, respectivamente, € 10 milhões e € 10,6 milhões por temporada.
A eles, soma-se o Grupo Wanda, da China, dono de 20% do clube, que também adquiriu os naming rights do Centro de Treinamento e do novo estádio do Atlético de Madrid. 



Brahma investe em novo CT do Fluminense

Centro de Treinamento do clube carioca ganhou equipamentos de musculação

O Fluminense anunciou que a Brahma tem investido em equipamentos de ponta no novo Centro de Treinamento do clube. A empresa arcou com os aparelhos da academia no CT localizado na Barra da Tijuca.
"Estamos felizes com esta parceria, que a cada ano vem crescendo. A Ambev possui uma clara estratégia de investimento no futebol por meio dos clubes e na liderança do "Movimento Por um Futebol Melhor", que permite aos sócios-torcedores uma série de benefícios e descontos em produtos. E vem muito mais por aí”, afirmou André Mizrahi, diretor de marketing do Fluminense.
O gerente de marketing esportivo da Brahma, Sandro Leite, também comentou a iniciativa. “Nossa ideia, por meio da Brahma, é sempre a de deixar um legado. Construir e fomentar o esporte. Por isso, buscamos fazer com que o investimento vá diretamente para a melhoria do clube”, explicou.
Entre os clubes cariocas, a Brahma tornou comum a ativação com ajuda nas construções de estruturas. Salas de imprensa, vestiários e centros de treinamento já tiveram a mão da empresa no Rio de Janeiro.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/brahma-investe-em-novo-ct-do-fluminense_31706.html#ixzz4UK5146gc

Arena Corinthians recebeu 50 mil pessoas em eventos

Espaço recebeu de shows a gravação de seriado da Netflix

A administração da Arena Corinthians aproveitou o fim de ano para contabilizar o número de pessoas que passaram pelo estádio em eventos que não foram partidas do time. No total, 50 mil estiveram na Arena, em eventos que foram de shows a formaturas.
Foram 200 datas com eventos no estádio, sem considerar as partidas de futebol. Cerca de 20 empresas usaram a arena para projetos diversos, entre elas Honda, Fundação Itaú, Espn, TV Bandeirantes entre outros.
O clube também celebrou o uso de diversas estruturas dentro do próprio estádio. Sala de convenções, camarotes, auditório e estacionamento foram usados. Até o átrio do setor oeste, o principal do estádio, serviu de palco para a gravação 3%, da Netflix.
O maior evento no estádio foi um festival de música no estacionamento da arena. Para assistir Criolo e Emicida, 15 mil pessoas estiveram no local. Shows musicais, no entanto, ainda são raridades em Itaquera. Diferentemente do que acontece no Allianz Parque, eventos do tipo não são permitidos no gramado.
“O mercado já reconheceu a Arena Corinthians como uma excelente plataforma de experiência, não apenas para eventos esportivos, mas sociais e corporativos. Quem ainda não conhece o estádio se surpreende quando faz uma visita prévia para locação”, afirmou a gerente de eventos da Arena Corinthians, Rita La Rocca.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/arena-corinthians-recebeu-50-mil-pessoas-em-eventos_31705.html#ixzz4UK4q5ydW

São Paulo celebra alcance de 13 milhões com transmissões online

Clube aposta em exibição pelo Facebook Live e consegue número expressivo com apenas 7 partidas transmitidas

O São Paulo resolveu apostar, no segundo semestre deste ano, em transmissões online de partidas realizadas por jogadores da base do clube. Os vídeos foram exibidos por meio do Facebook, e agora a direção celebra o alto número de alcance obtido pela nova ferramenta.
No total, foram 13 milhões de pessoas que assistiram alguma transmissão. E nem foram tantos jogos assim. Desde que começou com a iniciativa, foram sete partidas exibidas. Copa Paulista, Copa do Brasil Sub-20, Campeonato Paulista Sub-20 e Sub-17 foram contemplados pelo Facebook do São Paulo.
Além do alto público, o São Paulo também exaltou a audiência espalhada pelo mundo. Países como Japão, Estados Unidos, Uruguai, Inglaterra e Austrália geraram público para os jogos de base do time paulista.
Com o êxito, a ideia é expandir a estratégia em 2017. Logo em janeiro, será exibida a partida entre São Paulo e Capivariano, pelo sub-20. Para conseguir fidelizar os torcedores, o São Paulo tem apostado em uma estrutura completa nas transmissões. Os jogos tiveram narração e comentários, além de entrevistas com jogadores, como uma emissora tradicional.
Neste ano, outros setores do esporte apostaram no streaming. O futebol feminino, por exemplo, contou com a CBF TV, enquanto o NBB colocou partidas no Facebook.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/sao-paulo-celebra-alcance-de-13-milhoes-com-transmissoes-online_31704.html#ixzz4UK4fzloQ

“REI DE COPAS” SE TORNARÁ LINHA DE PRODUTOS NO GRÊMIO EM 2017

Slogan que marcou o título da Copa do Brasil reverterá em produtos como toalha, baralho, bonés e camisetas


O MKTEsportivo elegeu 2016 como o ano gremista e embasou a partir de diversas iniciativas lançadas pelo clube ao longo dos últimos doze meses. E mesmo sem iniciar a próxima temporada, o Grêmio já se movimenta para emplacar uma novidade.

Após a conquista da Copa Continental do Brasil, o Tricolor lançou o slogan “Rei de Copas“, pelo fato de ter se tornado o maior vencedor da competição com cinco conquistas. E, segundo apurou o GloboEsporte.com, o clube o transformará em uma linha de produtos para 2017.

Antes, vale contextualizar o leitor. Após o apito final da decisão, comissão técnica e jogadores gremistas prontamente vestiram uma camiseta comemorativa trazendo o slogan. Segundo o marketing gremista, foram 25 mil unidades vendidas desde então e atualmente encontra-se indisponível na GrêmioMania online. Diante do sucesso, o clube vislumbrou a oportunidade de seguir rentabilizando a partir do título.

Neste sentido, ainda segundo o GE, o Grêmio deve colocar no mercado toalhas, bonés, baralhos e outros produtos personalizados. No quesito licenciamento, a Copa do Brasil reverteu em recordes para sua loja oficial. Entre quarta (7/12), dia da finalíssima, e o início da madrugada de quinta (8), a unidade dentro da Arena obteve um faturamento de R$ 500 mil. No mês de dezembro, ultrapassou R$ 3 milhões. De fato, um ano muito positivo na história gremista.

Fonte: MKT Esportivo

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Por exposição internacional, Copinha assina com Globo por 3 anos

Emissora carioca garante direitos para TV aberta, fechada, internet e mercado estrangeiro até 2019

O Grupo Globo acertou com a FPF (Federação Paulista de Futebol) um contrato de direitos de TV da Copa São Paulo de juniores válido por três anos e para todas as mídias.
Assim, a emissora carioca garante os direitos da competição para a TV aberta na Globo, na fechada para o SporTV, na internet para o SporTV Play e no exterior com o PFC Internacional. O acordo é válido de 2017 a 2019. Os valores da negociação não foram divulgados.
Apesar de ser a detentora exclusiva do torneio, nada impede que a Globo sublicencie os direitos de TV para outras emissoras. Para 2017, até o momento, a emissora já acertou acordos de transmissão com Rede Vida e ESPN.
A novidade no novo contrato é a exibição da Copinha no exterior através do PFC Internacional, da Globosat. Com isso, os talentos dos clubes brasileiros irão ganhar uma visibilidade internacional que não contavam anteriormente. O sinal do canal do Grupo Globo chega a mais de 15 países estrangeiros, entre os quais mercados importantes como Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França e Portugal.
Ou seja, é possível que aquela revelação da Copa São Paulo nem chegue a estrear no time adulto, sendo negociada com algum clube de fora antes.
“Nosso compromisso de investimento e parceria com o futebol brasileiro começa com o apoio às categorias de base, e por isso fazemos questão de dar grande visibilidade à Copinha em todas as plataformas”, afirmou Fernando Manuel, diretor de planejamento e aquisição de direitos esportivos do Grupo Globo.
Com o contrato alongado da Copinha, a Globo reforça sua relação com a FPF, já que a emissora também é dona dos direitos de TV do Paulistão. O contrato atual é válido até 2019 e foi o maior já assinado pela federação.
“É uma enorme satisfação para a FPF renovar o contrato de transmissão da Copa São Paulo de juniores com a Globo. A competição é a maior festa do futebol, principal campeonato de base do país e que revela grandes talentos anualmente”, comentou Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da entidade paulista.
“A edição de 2017 será imperdível, com o maior número participantes da história: 120 clubes, espalhados por 30 sedes. Nela, sem dúvida, os torcedores do país inteiro poderão ver os futuros craques do futebol brasileiro”, acrescentou o dirigente.
Disputada desde 1969, a Copinha foi lançada com o nome de Taça São Paulo de juniores. Atualmente, a final acontece no dia 25 de janeiro, como parte das comemorações do aniversário da capital paulista. No passado, o torneio chegou a ser realizado em junho e julho.
As duas primeiras edições foram disputadas apenas por clubes do Estado de São Paulo. A partir de 1971, o torneio se tornou nacional. A final de 2015 foi entre Corinthians e Flamengo, no estádio do Pacaembu, com vitória do time carioca. 

Com mais ativação, futebol recebe novos patrocinadores

Temporada teve a entrada de marcas diferentes no mercado esportivo

Os últimos anos têm sido dominados por algumas empresas entre os principais patrocinadores do futebol brasileiro. Simbolizado pela Caixa, que mantém a marca na maioria dos times da Série A, o período também contou com empresas ‘mecenas’, que injetaram valores fora do mercado em alguns times. Mas, se o máster tem sido bloqueado, houve uma abertura natural para novas empresas.
O Santos, por exemplo, renovou com a Algar por dois anos. Longe dos grandes contratos que envolvem um máster, a empresa entrou no esporte recentemente, com um plano de ativação que abraçou de camarote na Vila Belmiro à palestra do técnico Dorival.
“O patrocínio ao Santos é nossa primeira experiência em esporte e estamos muito satisfeitos. Para 2017, ainda não planejamos nenhuma ação específica. Mas o pessoal do Santos é muito flexível, e essas ações vão sendo combinadas ao longo do ano”, explicou Eliane Garcia, vice-presidente de governança corporativa e marca do Grupo Algar, à Máquina do Esporte.
A Algar está longe de ser um caso isolado. O São Paulo é mais uma fonte de exemplos. O clube apresentou recentemente a Urbano, que se juntará a marcas como Joli e Poty. Em comum, o pacote de ativação que envolve camarote de Morumbi e um intenso uso das redes sociais do time, uma propriedade que já havia sido vendida para outros patrocinadores da equipe paulista, como Gatorade e Copa Airlines.
O alcance das redes sociais foi o grande atrativo para a entrada do Ifood no futebol, mas nesse caso com o Flamengo. A companhia entrou no meio do ano de forma pontual, com ativações no meio online. O resultado foi satisfoatório, e a compahia acabou estendendo o contrato até o fim deste ano.
Por vezes, a ativação envolveu uma troca de expertise comercial, como acontece em diversos patrocínios no futebol europeu. Com esse intuito, a Cercred chegou ao Botafogo em 2016. A marca fez telemarketing direto com os 40 mil torcedores registrados no programa de sócio-torcedor do clube carioca.
Durante esta temporada, teve até empresa que ficou sem exposição no uniforme, mas que ofereceu alto investimento por um pacote de ativação. Foi o caso da Estrella Galicia com o Corinthians, que tem usado desde as redes sociais até ações com o público presente em partidas na Arena Corinthians para se aproximar de novos consumidores.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/com-mais-ativacao-futebol-recebe-novos-patrocinadores_31700.html#ixzz4U82mlb9M

Red Bull quer comprar estádio em Leipzig

Ideia de empresa é aumentar capacidade de arena de 42,5 mil para 57 mil lugares

A Red Bull dá mais um passo para controlar todos os ativos do RB Leipzig, time que subiu à elite do Campeonato Alemão neste ano e mantém a segunda posição na Bundesliga, atrás apenas do Bayern de Munique, o atual campeão.
“A decisão é um sinal claro a nossos torcedores e à cidade de Leipzig. Tudo depende da cidade para aprovar a venda”, afirmou Oliver Mintzalaff, dirigente do RB Leipzig.
A empresa de bebidas entrou em acordo com Michael Kölmel para comprar o estádio do clube em que já é detentor dos naming rights: o Red Bull Arena. O antigo estádio Zentralstadion, erguido para a Copa do Mundo de 2006, vinha sendo alugado pelo RB Leipzig.
Com a aquisição, a ideia da empresa é ampliar o espaço de 42.558 lugares para 57 mil torcedores.
 “O RB Leipzig está, neste momento, em posição de se classificar para a Liga dos Campeões. É lógico vender o estádio o estádio àqueles que utilizam mais e querem ampliá-lo”, afirmou Kölmel.
O anúncio da intenção de comprar o estádio foi divulgado depois de a empresa descartar a construção de uma nova arena fora de Leipzig. Os valores da negociação não foram revelados, mas é necessária a aprovação da prefeitura para que, em 2018, o clube possa iniciar as obras de ampliação.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/red-bull-quer-comprar-estadio-em-leipzig_31696.html#ixzz4U82ZVe9Q

Netshoes vende 2.500 camisas da Chape em 24 horas

Ação feita em conjunto com Umbro rende R$ 1 milhão em doação para reerguer time catarinense


Em parceria com a Umbro, a Netshoes conseguiu vender, em menos de 24 horas, as 2.500 unidades da camisa da Chapecoense colocadas no site da empresa. O que foi arrecadado com a comercialização do uniforme, mais uma doação de igual valor da empresa será repassada ao time catarinense como forma de ajudar em sua reconstrução. No total, a Chapecoense irá embolsar R$ 1 milhão com a iniciativa.
A camisa da equipe foi colocada à venda às 11h e às 8h do dia seguinte (23), esgotou-se. O lote especial do uniforme 3 da equipe foi vendido a R$ 200 a unidade.
“Estamos muito felizes em anunciar que as 2.500 camisas da Chape, colocadas em pré-venda no último dia 22, foram vendidas tão rapidamente. As pessoas se engajaram nessa iniciativa solidária em prol do time neste momento de reconstrução. Força, Chape!", afirmou Marcio Kumruian, presidente e fundador da Netshoes.
A ação aconteceu após uma crise de imagem da empresa relacionada ao acidente que vitimou o elenco da Chapecoense. No dia do desastre aéreo, o preço da camisa da equipe saltou de R$ 129 para R$ 249. A empresa se apressou em dar uma explicação: a camisa estava com preço promocional de Black Friday, mas o sistema atualiza com o preço regular quando a cota do produto é esgotada. Como houve venda das camisas do time pela manhã, a precificação foi automaticamente alterada.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/netshoes-vende-2500-camisas-da-chape-em-24-horas_31697.html#ixzz4U82MGWmR

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Conheça o ex-vendedor de hot dog que diz ser o mais jovem presidente de clube do Brasil


A função de presidente de um clube de futebol no Brasil é dominada por homens mais velhos. No interior de Goiás, porém, Feliphe Martins da Silva de apenas 22 anos tem a missão de comandar o Santa Helena Esporte Clube, que disputa a segunda divisão estadual.
A empreitada começou em 2016 quando ele foi visitar Yago Matheus, seu irmão mais novo, que é jogador da equipe goiana.

"Eles precisavam de alguém para trabalhar na parte administrativa da diretoria e me chamaram. Nos últimos quatro meses eles tomaram a decisão de entregar a diretoria porque não estavam dando conta. Como tinha feito um bom trabalho, surgiu a oportunidade de eu montar uma chapa para concorrer à presidência. Como fui o único candidato acabei eleito", contou o presidente, ao ESPN.com.br.

Feliphe diz que a idade não é um empecilho e não sofreu desconfiança ou preconceito.
"Eu fiquei sabendo há pouco tempo que era o presidente de clube mais novo do Brasil. Aqui na cidade eles não ligam por eu ser novo. Arregaço as mangas e tento fazer o melhor".
"Estive com a maioria dos representes dos clubes de Goiás na federação para uma reunião. Eu me sinto bem à vontade com eles, me receberam muito bem. Até mesmo times como Vila nova e Goiás me deram essa abertura por terem visto minha força de vontade".
ELE VENDEU HOT DOG
A família Martins, natural de São Paulo, é bastante envolvida com o mundo da bola. Apenas Feliphe não é jogador profissional, já que seu irmão mais velho é o zagueiro Paulo Martins, que atua em Omã e já defendeu a seleção de Timor Leste.
"Desde pequeno gostei de futebol, mas não tinha o mesmo talento dos meus irmãos (risos). Nossa vida era mais humilde e com 13 anos fui trabalhar como caixa em uma lanchonete que vendia salgados".
Ele conciliou a rotina de trabalho com os estudos e desistiu cedo de fazer uma carreira dentro dos gramados.
"Depois, fui vender hot dog na rua também. Continuei estudando e fui trabalhar com telemarketing, até que entrei na faculdade de engenharia. Como meu pai sempre mexeu com bola eu o acompanhava. Ele fez cursos de gestão esportiva e me passava o que aprendia porque eu me interessava".
Feliphe conta com a ajuda e os conselhos de seu pai, que ainda mora na capital paulista, para administrar o Santa Helena.
"Por um período ele deu suporte financeiro para o clube. Ele hoje é empresário em São Paulo na área de marcas e patentes, agenciador de jogadores e agora tem uma escolinha de futebol em Miami".
Além disso, ele procura se especializar cada vez mais, participando de cursos as CBF e de gestão e marketing esportivo. "Gosto de estar sempre atualizado e compensar a pouca idade e experiência com estudos. É uma coisa importante e muito necessária para todos os dirigentes se aprimorarem".
PLANOS AMBICIOSOS PARA O CLUBE
Logo que assumiu o clube, uma das primeiras medidas do presidente foi implementar categorias de base. Além disso, o time estava fazendo uma campanha muito ruim na segunda divisão no Campeonato Goiano.
"Em época de campeonato eu sou mais linha dura. Sou um cara que gosta de conversar, ter uma relação com todos. Mas quando vejo algo errado, eu procuro resolver. Não passo a mão na cabeça de ninguém, independentemente de quem seja".
"Estávamos com problemas e quando tive autonomia eu tomei uma atitude. Mandei dez jogadores embora de uma vez porque não tinham comprometimento com o clube. Não era esse o perfil de atleta que queria".
Ele acredita que as atitudes tomadas foram fundamentais para o Santa Helena permanecer na Segunda Divisão. "Eu não podia jogar dinheiro fora. Agora temos objetivo de subir para primeira divisão ano que vem".
O jovem tem planos ambiciosos para o futuro do clube que comanda. "Eu busco parcerias com times grandes para troca de jogadores. Fiz visitas em alguns deles, incluindo o Santos. Estou profissionalizando todos os departamentos. Com os pés no chão, quero fazer tudo com saúde financeira em dia".
O modelo de gestão que inspira Feliphe é o da Chapecoense, que conseguiu uma ascensão rápida nos últimos anos. "Eles não tinham nenhuma divisão do Campeonato Brasileiro e sem precisar sair da realidade deles chegaram até a elite do Brasileiro e na Sul-Americana".
A ideia é envolver cada vez mais a comunidade local para fazer o Santa Helena crescer. Ele quer ver o clube chegar até a Série A do Goiano.
"Estamos buscando um plano de marketing e plano sócio-torcedor pra que a cidade possa estar mais junto com o clube e tenhamos mais receitas. Quero fazer o time ganhar espaço no cenário estadual e com isso termos mais torcedores. Meu sonho é ver o estádio cheio sempre".
Fonte: Mundo ESPN

RED BULL PODE DESEMBARCAR NA INGLATERRA ATRAVÉS DO WEST HAM

Por Londres e Estádio Olímpico, imprensa britânica especula interesse da empresa em comprar a equipe


Brasil (Red Bull Brasil), Estados Unidos (New York Red Bulls), Alemanha (RB Leipzig), Áustria (Red Bull Salzburg) e……Inglaterra? De acordo com o The Sun (sabemos que se trata de um tabloide), a Red Bull está interessada em expandir sua participação no futebol e adquirir o West Ham.

Além de funcionar como uma porta de entrada na Premier League, a empresa deseja ter como pilares de branding no Reino Unido a cidade de Londres e o  Olympic Stadium, nova casa dos Hammers que segue em busca de interessados pelo seu naming right. Até agora, a imprensa britânica especulou um possível interesse da Red Bull em entrar na Inglaterra através de equipes de menor escalão, como Leeds United, Brentford, Charlton ou Swindon Town, o que foi prontamente desmentido pela marca.

Acostumada a lidar com rejeição por parte dos torcedores, principalmente na Bundesliga por driblar a regra “50+1“, como já explicamos ao tratar sobre o RB Leipzig, a publicação afirma que, caso sofra algum tipo de objeção por parte da UEFA, pode tentar outros tipos de contrato com o West Ham, como apenas o naming rights do estádio, patrocínio de camisa ou se tornar acionista minoritária.

Avaliado em £ 200 milhões, o West Ham tem como principal ativo aos olhos de investidores o moderno Olympic Stadium. Segundo seus proprietários, David Sullivan e David Gold, apesar de não existir interesse em vender a equipe, estão abertos a uma proposta por uma pequena participação, que seria fundamental para que ambos possam sanar as dívidas do clube.

Fonte: MKT Esportivo

ADIDAS DEVE ASSUMIR UNIFORME DO FIGUEIRENSE A PARTIR DE 2017

Alemã deve anunciar acordo na primeira semana de janeiro. Modelo de negócio não envolverá compensação financeira


Tudo pronto para a adidas substituir a LUPO no Figueirense a partir de janeiro de 2017. Segundo apurou o GloboEsporte, o anúncio oficial deve ocorrer na primeira semana do próximo ano colocando fim ao contrato de dois anos com a marca brasileiro.

À exemplo do que já ocorre com Botafogo-SP, Coritiba, Ituano e Ponte Preta, o acordo não irá envolver compensação financeira, mas fornecimento de material esportivo. Como? A adidas produz toda a linha alvinegra, o Figueira adquire as peças e o lucro das vendas é repartido entre as partes.

Sem valores oficialmente divulgados, o Figueirense se tornará, por enquanto, o único representante das três listras na Série B. Na elite, a adidas é parceira de Coritiba, Palmeiras, Flamengo e Sport. Já na terceira divisão figura na camisa do Botafogo-SP.

Fonte: MKT Esportivo

Neymar é 4º melhor em 2016 segundo ranking de jornal

The Guardian listou 100 melhores jogadores da temporada; Gabriel Jesus é único a jogar no Brasil

Cristiano Ronaldo foi eleito o melhor jogador da temporada pelo jornal The Guardian, que listou os 100 melhores atletas do futebol no ano. O craque levou o Real Madrid ao título da Liga dos Campeões e do Mundial de clubes e a seleção portuguesa à conquista inédita da Eurocopa da França.
A segunda posição ficou com Lionel Messi, do Barcelona. O brasileiro mais bem colocado foi Neymar, em quinto lugar. As seis primeiras posições são ocupadas por jogadores que atuam na liga espanhola. Além de CR7, Messi e Neymar, a lista é completada por Luis Suárez (3º), Antoine Griezmann (4º) e Gareth Bale (6º).
O top 10 é completado por Robert Lewandowski (Baryern de Munique), Pierre-Emerick Aubameyang (Borussia Dortmund), Alexis Sánchez (Arsenal) e Riyad Mahrez (Leicester).
Phillippe Coutinho (28º), Pepe (naturalizado português, 30º), Diego Costa (naturalizado espanhol, 46º), Marcelo (48º), Thiago Silva (52º), Casemiro (53º), Douglas Costa (63º), Gabriel Jesus (64º), Roberto Firmino (76º), Daniel Alves (78º), Fernandinho (93º) e Thiago Alcântara (naturalizado espanhol, 98º) completam a lista de brasileiros.
Da relação, apenas Gabriel Jesus e Miguel Borja (Atlético Nacional), em 83º, não atuaram na Europa nesta temporada.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/neymar-e-4-melhor-em-2016-segundo-ranking-de-jornal_31695.html#ixzz4Tx4uyIBi

Konami apresenta Gabigol e ajuda à Chapecoense

Jogador se junta a time de atletas com Özil, Iniesta e Aubameyang

A Konami reuniu jornalistas e convidados em São Paulo para apresentar o novo embaixador do jogo. Gabriel Barbosa, o Gabigol, é o novo garoto-propaganda do Pro Evolution Soccer 2017, jogo de futebol da produtora japonesa.
No Brasil, Neymar chegou a ser a capa do jogo no último ano. Já na atual versão, o destaque é para o Barcelona, que fechou um contrato com a Konami para o uso de imagem e de propriedades exclusivas, como a reprodução do estádio Camp Nou no jogo.
A função de Gabriel, atualmente na Inter de Milão, será o de relacionamento em eventos da produtora, como aconteceu em São Paulo na última sexta-feira. A Konami tem outros atletas com contrato semelhante, caso do alemão Mesut Özil, do espanhol Andrés Iniesta e do gabonês Pierre-Emerick Aubameyang.
Além do novo embaixador, a Konami afirmou que dará auxílio financeiro à Chapecoense, que perdeu a comissão técnica e boa parte de seu elenco em acidente aéreo na Colômbia no último mês. A empresa, no entanto, não detalhou como isso será feito.
O que já está fechado é o pacote de atualização do jogo em homenagem ao clube. O escudo do time ganhará as novas estrelas, que se referem às vítimas e ao título da Copa Sul-Americana. Além disso, haverá uma bola especial com o nome de “Força Chape”.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/konami-apresenta-gabigol-e-ajuda-chapecoense_31691.html#ixzz4Tx4TvThv

Cruzeiro tem lançamento de clube do vinho para torcedores

Por R$ 119,80, sócio-torcedor da equipe terá direito a receber todo mês vinhos selecionados pelo clube

O Cruzeiro lançou nesta quinta-feira (dia 22) o “Clube do Vinho Cruzeiro” em parceria com a Casa Rio Verde/VinhoSite.
Na plataforma, o torcedor poderá adquirir vinhos comercializados pela Rio Verde pagando uma assinatura mensal de R$ 119,80. Sócios-torcedores cruzeirenses terão desconto de 5%na adesão e na compra de vinhos e kits avulsos no “Clube do Vinho Cruzeiro” e nas lojas físicas da Casa Rio Verde.
“É um clube de relacionamento destinado aos cruzeirenses que gostam de vinho. A pessoa fará a adesão pela internet ou nas lojas da Casa Rio Verde, irá pagar uma mensalidade e receberá todo mês vinhos selecionados pelo clube. O torcedor do Cruzeiro terá condições e promoções especiais para aquisição. Ele estará consumindo bons produtos, além de prestigiar o time do coração”, afirmou Robson Pires, diretor comercial do Cruzeiro.
Além do clube, o Cruzeiro terá um vinho oficial licenciado, que será comercializado nas lojas oficiais e na empresa parceira.
“Sempre tivemos interesse em fazer o licenciamento de um vinho, já que é um produto que se identifica com as origens italianas do Cruzeiro. Será um bom produto, com preço convidativo e que poderá ser encontrado no mercado em geral”, afirmou Pires.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/cruzeiro-tem-lancamento-de-clube-do-vinho-para-torcedores_31685.html#ixzz4Tx3UqchN

São Paulo arrecada quase R$ 150 mil em leilão em benefício de Chapecoense

Clube vende uniformes utilizados em última rodada do Brasileirão que teve homenagem a mortos em tragédia aérea

O leilão realizado pelo São Paulo, em parceria com a Superbid, das 46 camisas usadas na goleada sobre o Santa Cruz, pela última rodada do Brasileirão, arrecadou R$ 148.575. O montante será destinado às famílias das vítimas do acidente do voo da Chapecoense, que caiu próximo à Medellín, na Colômbia.
Na despedida do campeonato, o time do Morumbi usou camisas com o escudo da Chapecoense, que também levavam os nomes dos atletas da equipe catarinense. Um dos homenageados foi o lateral-direito Mateus Caramelo, que era atleta do São Paulo e estava emprestado ao time. Cléber Santana, capitão da Chape, também atuou pelo time paulista em 2010.
Por iniciativa do clube, o uniforme não teve patrocinadores. A ação foi encampada pelos parceiros do São Paulo: Under Armour, Prevent Senior, Corr Plastik, Fiap, Joli, Poty e TIM.
Com patches lembrando as 71 vítimas do acidente e a hashtag #ForçaChape, as 46 camisas feitas para o jogo foram a leilão, com toda a renda revertida para um fundo de apoio às famílias dos passageiros - inclusive a doação pela Superbid dos 5% usualmente repassados ao leiloeiro.



Corinthians faz parceria e terá perfil oficial no Medium

Clube lança perfil oficial em plataforma de publicação de conteúdo e irá postar textos e fotos especiais

O Corinthians anunciou que terá perfil oficial no Medium, plataforma social de publicação de conteúdo criada e liderada por Ev Williams, um dos fundadores do Twitter. O endereço do clube será www.medium.com/@Corinthians.
Entre os clubes de futebol, o Corinthians é o terceiro do mundo a ter parceria com o Medium. O primeiro a fechar foi a Roma, da Itália. No Brasil, o Fluminense possui perfil na rede social desde novembro.
Nos Estados Unidos, a plataforma é bastante popular e possui parcerias com algumas das grandes ligas, como NFL (futebol americano) e NBA (basquete).
Na plataforma, o perfil oficial do Corinthians irá publicar textos e fotos especiais, feitos pela equipe de comunicação do clube, por jogadores, ex-atletas, membros da comissão técnica e torcedores.
As duas primeiras publicações, que já estão disponíveis na página, foram feitas para celebrar os títulos do Mundial de clubes de 2012 e do Brasileirão de 1990. 

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/corinthians-faz-parceria-e-tera-perfil-oficial-no-medium_31683.html#ixzz4Tx33rD6q