Cabeçalho

Logotipo

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Flamengo e Fluminense fazem promoções de Carnaval a sócio-torcedor

Associados terão descontos em shows na Fundição Progresso e para o desfile das escolas de samba do Rio

Os programas Nação Rubro-Negra e Sócio Futebol, de Flamengo e Fluminense, ambos geridos pela Golden Goal, terão ações especiais de Carnaval em benefício de seus sócios-torcedores.
Os clubes fecharam parceria com a casa de shows Fundição Progresso, no centro do Rio. Com isso, oferecem ingressos grátis, com o sistema de resgate de pontos de cada programa, e 50% de desconto nas entradas para três eventos: Baile da Maria Rita com Cordão do Bola Preta, Baile do Monobloco e Casuarina e o pós-Carnaval com Matheus e Kauan, Nego do Borel e Dilsinho.
Os sócios-torcedores de ambos os clubes também podem comprar ingressos mais baratos para o Baile da Missa (Movimento dos Interessados em Sacudir Sua Alma), no Jockey Club, a Feijoada Premium no Prado Jockey, e o Camarote CarnaUOL na Marquês de Sapucaí, para os desfiles das escolas de samba. Nesses casos, haverá 10% de desconto nas entradas.
Flamengo e Fluminense também fecharam descontos com a Britânia e a Philco para a venda de produtos. A ação é válida até o dia 1º de março. Os associados ganham um código especial para inserir no site das empresas para obter o desconto.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/flamengo-e-fluminense-fazem-promocoes-de-carnaval-socio-torcedor_32045.html#ixzz4Zc4HE61f

Arena Corinthians faz parceria com aplicativo de caronas para torcedores

BlaBlaCar terá canal exclusivo para corintianos combinarem transporte para os jogos do clube

A Arena Corinthians e a BlaBlaCar, comunidade de caronas presente em 22 países, firmaram parceria para oferecer uma plataforma de transporte personalizada para os corintianos. É a primeira iniciativa do gênero feita pelo aplicativo na América Latina. A iniciativa começa a valer já para o clássico contra o Santos, no dia 4 de março.
“Esse é mais um benefício para os torcedores que vêm à Arena Corinthians. Pensamos em oferecer uma facilidade aos corintianos que moram fora da Grande São Paulo, mas que desejam vir ao estádio sem ter altos custos com o deslocamento”, contou Bernardo Pontes, gerente de marketing do estádio do clube.
“Nesse sentido, a BlaBlaCar oferece uma plataforma inovadora, que além de atender a essa demanda, irá unir muitos torcedores em torno do mesmo objetivo: chegar à Arena Corinthians”, acrescentou o executivo.
Para acessar a página personalizada da BlaBlaCar e da Arena Corinthians, basta se conectar ao endereço http://blbl.cr/corinthianscondutor (para motoristas) ou  http://blbl.cr/corinthianspassageiro (para caronas) e se cadastrar para dividir os custos de uma viagem até o estádio.
“É uma parceria gratificante para nós. Acreditamos que, com a economia gerada pelas caronas, o torcedor poderá investir em mais ingressos para ver os jogos do seu time do coração e poderá viajar mais. É uma parceria com grande potencial para a BlaBlaCar e para a Arena Corinthians”, acredita Ricardo Leite, diretor da BlaBlaCar no Brasil.
Nesse primeiro momento, é esperado um fluxo maior de torcedores das regiões de Campinas (Campinas, Indaiatuba, Americana, Valinhos, Sumaré, Vinhedo e Hortolândia), Vale do Paraíba (São José dos Campos, Jacareí e Caçapava), Baixada Santista (Santos, Praia Grande, São Vicente e Guarujá) e Sorocaba.
A BlaBlaCar funciona da seguinte forma: o condutor, que já tem uma viagem programada, publica informações sobre o trajeto, como horário, pontos de partida e chegada (no caso, Corinthians-Itaquera), número de lugares disponíveis e participação do passageiro. Já o carona usa a ferramenta de busca da plataforma para escolher o seu destino, o condutor com quem gostaria de viajar e envia um pedido de reserva. Caso o condutor aceite o pedido, eles viajam juntos e dividem os custos do trajeto.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/arena-corinthians-faz-parceria-com-aplicativo-de-caronas-para-torcedores_32040.html#ixzz4Zc48SUHg

Caixa oficializa patrocínio ao Ceará

Time, que disputa a Série B do Brasileirão, terá aporte de R$ 3,4 milhões durante a temporada

O Ceará, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro nesta temporada, é mais um clube que irá contar com o apoio da Caixa Econômica Federal. O banco estatal oficializou ontem o patrocínio máster ao time cearense no valor de R$ 3,4 milhões.
O acerto já havia sido feito em dezembro, após reunião em Brasília (DF), entre o presidente do clube, Robinson de Castro, e o presidente da instituição financeira, Gilberto Occhi.
Na Série A do Brasileirão, a Caixa é a patrocinadora máster de 17 dos 20 clubes que disputam a competição: Atlético-GO, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Chapecoense, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Ponte Preta, Santos, Sport Recife, Vasco e Vitória.
Apenas Palmeiras (Crefisa), São Paulo (Prevent Senior) e Grêmio (Banrisul) não contam com contrato com o banco estatal.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/caixa-oficializa-patrocinio-ao-ceara_32043.html#ixzz4Zc3ujOoz

FPF faz Paulista feminino sub-17 pela primeira vez

Competição, que começa em 11 de março, terá participação de 16 clubes e visa revelar novos talentos

A Federação Paulista de Futebol anunciou a criação do 1º Campeonato Paulista Feminino sub-17. A competição, única nessa faixa etária no país, tem previsão de início em 11 de março, com término estimado em 28 de maio.
“É fundamental para a modalidade ter um campeonato de base feminino. Esse é um desejo antigo das entusiastas do esporte e que, com certeza, elevará o patamar da modalidade no país. Queremos revelar novas Formigas, Martas e Cristianes para manter o Brasil como referência do futebol feminino”, disse Aline Pellegrino, coordenadora de futebol feminino da FPF.
Com o Paulista sub-17, a FPF espera aumentar o número de praticantes e revelar novos talentos para a modalidade.
Após reunião do Conselho Técnico, foram definidas as 16 equipes que vão disputar a competição: União Suzano, Francana, Guarulhos, Guarujá, Embu das Artes, São Paulo, São José, Ferroviária, Juventus, Audax, Centro Olímpico, Tiger, Taboão da Serra, Bonfim, Atlético Jaçanã e Rio Branco.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/fpf-faz-paulista-feminino-sub-17-pela-primeira-vez_32041.html#ixzz4Zc3kY4em

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Deezer fecha com Flamengo e reforça música online no futebol

Empresa se une a Napster, no Corinthians, e a Spotify, no Palmeiras


O Flamengo tem um novo parceiro. O clube fechou com o Deezer, um serviço de música online, por streaming. No aplicativo, haverá um canal para o time, com listas de canções que remetem a momentos marcantes da equipe carioca, como o título mundial de 1981 e os campeonatos brasileiros vencidos nas últimas décadas.
O próximo passo da parceria será a criação de contas dos jogadores do Flamengo. Dessa maneira, os torcedores também poderão acompanhar o gosto musical de seus ídolos. Nomes de fora do futebol, do esporte olímpico, também participarão da parceria.
Para divulgar o Deezer flamenguista, a empresa contou com a presença do cantor Wesley Safadão, que gravou um vídeo para chamar os torcedores para o aplicativo. Ele, inclusive, gravou uma música para homenagear a equipe do Rio de Janeiro.
A estratégia do Deezer é parecida com a de seus concorrentes. O primeiro a chegar no Brasil foi o Napster, que fechou uma parceria com o Corinthians. A estratégia é semelhante: conta exclusivas para corintianos, com acesso a conteúdo focado nos torcedores. Uma das promessas, por exemplo, é mostrar o que os jogadores escutam na concentração.
Outra empresa do segmento que apostou no esporte foi o Spotify. Nesse caso, a companhia acertou uma parceria com o Palmeiras, bastante focada nas playlists dos jogadores do elenco do time.
O Deezer já tem outros contratos com times de futebol, mas sempre estrangeiros. Ainda em 2013, a companhia fechou uma parceria com o Lille, da França. No fim do ano passado, houve um passo maior, com acordos com o Manchester United e o Barcelona.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/deezer-fecha-com-flamengo-e-reforca-musica-online-no-futebol_32037.html#ixzz4ZXHfWBEg

Série B impõe ‘meritocracia’ em cota de TV

Proposta de América-MG e Figueirense é aprovada em reunião de conselho e dá cota maior a quem caiu da Série A

Em uma medida que causou polêmica entre os clubes, a Série B mudou os critérios de distribuição das cotas de TV da competição neste ano. A alteração impõe uma certa “meritocracia” na partilha do montante dos direitos de TV. A decisão aconteceu em reunião do Conselho Técnico dos clubes no Rio de Janeiro.
Até o ano passado, o valor era distribuído igualitariamente entre as equipes. Neste ano, por proposta de América-MG e Figueirense, que caíram da Série A no ano passado, haverá oito níveis de distribuição das cotas. Com a proposta, o time catarinense, 18º na elite em 2016, é quem irá embolsar o maior valor (R$ 6,4 milhões). Atrás dele vem Santa Cruz (R$ 6,2 milhões) e América-MG (R$ 6 milhões).
Internacional e Goiás, com contrato fixo com a Globo, não entram nessa partilha. Os gaúchos abocanham R$ 60 milhões, enquanto os goianos ficam com R$ 35 milhões.
Entre os “primos pobres”, Náutico (R$ 5,8 milhões), Londrina (R$ 5,6 milhões) e CRB (R$ 5,4 milhões) ficam com cotas maiores por conta da colocação obtida na Série B em 2016.
Os demais clubes que integraram a segunda divisão na temporada passada abocanham R$ 5,2 milhões. É o caso de Criciúma, Luverdense, Ceará, Brasil de Pelotas, Vila Nova, Paysandu, Paraná e Oeste.
 “Ficou interessante. Levar em conta meritocracia é uma tendência no futebol. Também será interessante para estimular os clubes a conseguir uma colocação melhor nas últimas rodadas, mesmo que já não disputem nada [ascensão à Série A ou fuga do rebaixamento à C]”, afirmou Robinson de Castro, presidente do Ceará, que foi favorável à ideia.
Em um nível abaixo na repartição do butim de TV estão os times que ascenderam da Série C (Boa, Guarani, ABC e Juventude) terão direito a só R$ 4,1 milhões.
Entre os 18 clubes que discutiram a proposta, sete foram favoráveis e 11 contrários. Contudo, os votos dos times melhores colocados no último campeonato têm peso maior, daí a proposta ter sido aprovada.
“No meu entendimento, não houve uma análise técnica mais aprofundada em cima do que foi votado”, critica Sérgio Serra, presidente do Paysandu, que votou contra.
“E se formos examinar a meritocracia, é preciso estabelecer que critérios serão seguidos. O Paysandu ganhou a Copa Verde, o Juventude chegou às quartas de final da Copa do Brasil. Isso não foi levado em conta”, argumentou.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/serie-b-impoe-meritocracia-em-cota-de-tv_32036.html#ixzz4ZXHQaTMV

TCL usa meia Lucas Lima em campanha

Jogador participa de anúncio com conceito 'momentos inspiradores' para falar de ligação com irmão

Terceira maior fabricante de TVs do mundo, a TCL lança no Brasil série em parceria com a ESPN tendo como conceito “momentos inspiradores”. Os vídeos narram a trajetória de nomes do esporte que mudaram o rumo de suas vidas por conta de grandes ligações afetivas.
O primeiro episódio, veiculado em fevereiro, aborda a história do meia Lucas Lima, do Santos, e sua ligação com João Pedro, seu irmão. Mesmo morando em cidades diferentes, os dois estão sempre conectados.
“A campanha introduz para o público brasileiro o conceito global da marca TCL, que é o de inspirar pessoas a se conectar. Por meio da tecnologia, nós queremos proporcionar grandes momentos e encontros. Escolhemos o futebol como plataforma dessa comunicação porque é o esporte que mais conecta pessoas no mundo, transforma vidas e emociona famílias”, destaca Yue Haiping, vice-presidente da Semp TCL.
Com 3 minutos de duração, o vídeo com Lucas Lima estará nos intervalos comerciais da ESPN e nas redes sociais do canal. Ainda neste semestre, a marca fará o lançamento da sua nova linha de produtos, dando continuidade às ações da Semp TCL no país.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/tcl-usa-meia-lucas-lima-em-campanha_32030.html#ixzz4ZXHFvjbQ

Com premiação, Caixa aumenta patrocínio ao Flamengo

Empresa pagará "até R$ 30 milhões" pelo novo contrato com o clube carioca

O Flamengo conseguiu algo que os times patrocinados pela Caixa almejavam para este ano: um aumento no valor do aporte. O clube e a empresa estatal renovaram o contrato por mais uma temporada, e o valor, já divulgado no Diário Oficial da União, é de “até R$ 30 milhões”.
Todos os contratos anteriores entre Flamengo e Caixa foram fechados a R$ 25 milhões. No atual, o valor poderá chegar a R$ 30 milhões graças aos pagamentos extras de premiação por desempenho esportivo. Por outro lado, o clube carioca permanece com os R$ 25 milhões fixos no novo contrato.
O modo como a Caixa fixa o valor dos patrocínios, sem considerar nem mesmo a inflação, tem irritado alguns clubes. Segundo publicou a “Folha de S.Paulo” neste mês, os dirigentes dos times patrocinados pela companhia estavam insatisfeitos com a manutenção dos valores. Sem outras propostas, no entanto, nenhum deles peitou diretamente a estatal.
Em 2016, uma mudança em um dos contratos já havia incomodado alguns dos parceiros da Caixa. Na época, os clubes patrocinados também buscavam valorização no acordo, o que foi negado pela empresa. Mas houve uma exceção: a companhia abriu mão de uma das propriedades do uniforme do Corinthians, nas costas, e manteve o valor pago de R$ 30 milhões; o time paulista é quem mais recebe da companhia.
Apesar de a renovação do patrocínio entre Flamengo e Caixa já estar exposta no Diário Oficial da União, o clube ainda não dá como certo o novo contrato. Isso porque, pelas regras internas do time, o acordo precisa passar pelo crivo do Conselho Deliberativo.
Ainda assim, o Flamengo já fez um agrado oficial à parceira. Em vídeo divulgado no site do clube, o presidente flamenguista Eduardo Bandeira de Mello entregou um título de sócio honorário ao presidente da Caixa, Gilberto Occhi.
“Não poderíamos nunca fazer uma entrega de títulos honorários sem homenagear a Caixa, que é nossa parceira desde 2013 e eu mesmo já sou cliente muito antes disso. Finalmente o banco passou a ser presidido por um grande rubro-negro”, brincou Bandeira de Mello.
Neste ano, a Caixa terá o patrocínio de 17 clubes dos 20 que participam da Séria A do Campeonato Brasileiro. Apenas Palmeiras, Grêmio e São Paulo são as exceções na elite do futebol nacional.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/com-premiacao-caixa-aumenta-patrocinio-ao-flamengo_32027.html#ixzz4ZXH5cw5P

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Atlético de Madrid faz campanha contra o bullying

Em conjunto com ONG, clube faz campanha nas escolas e investe em formação de professores

O Atlético de Madrid apresentou, em conjunto com a Escola Nacional de Valores do Esporte, um plano de luta contra o bullying. A iniciativa terá um programa de ações educativas para crianças nas escolas, formação de professores, elaboração de um protocolo de atuação em caso de perseguições, postagens de mensagens sobre o problema nos campos de treinamento e uma campanha de conscientização com a mensagem: “Se sofrer ou vir um bullying, denuncie”.
“Vamos tratar de equipar nossos treinadores, dirigentes e jogadores com ferramentas para prevenir condutas de bullying. A Escola Nacional de Valores do Esporte quer ajudar a sociedade para que as crianças cresçam em um ambiente esportivo e social saudáveis”, afirmou Julio Vadillo, representante da Escola Nacional de Valores do Esporte.
Segundo Enrique Cerezo, presidente do Atlético, a iniciativa coloca o clube “na vanguarda da luta contra a perseguição entre iguais”.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/atletico-de-madrid-faz-campanha-contra-o-bullying_32007.html#ixzz4ZEYLOCrL

França aprova lei contra corrupção no esporte

Para coibir lavagem de dinheiro e evasão fiscaol, país impõe maior controle sobre transferência de jogadores

O Senado francês aprovou um projeto de lei para reforçar a transparência no futebol profissional através de maior controle financeiro sobre as operações de clubes e agentes de jogadores.
A norma pretende coibir a evasão fiscal, lavagem de dinheiro e manipulação de resultados. Uma das novidades da lei é o controle da atividade dos agentes de futebol para que não ganhem comissões suspeitas na negociação de jogadores. Outro é a análise dos negócios dos clubes franceses que deverão mostrar a origem do dinheiro que utilizam.
“Cerca de 30% do dinheiro de uma transferência não chega ao destino final. Não sabemos exatamente o que ocorre. Por isso, queremos transparência”, afirmou o senador socialista Dominique Bailly.
“A luta por transparência deve ser como o combate ao doping. O fim não justifica os meios para ganhar. É preciso uma resposta internacional, não só francesa”, acrescentou o parlamentar.
A fiscalização ficará a cargo da Direção Nacional de Controle e Gestão, um órgão independente da Liga de Futebol Profissional da França.



Clubes peitam federação, e Atletiba é cancelado

Após FPF proibir exibição de clássico nas redes sociais, Atlético-PR e Coritiba decidem tirar times de campo


O primeiro clássico brasileiro transmitido inteiramente pelas redes sociais não aconteceu. Atlético-PR e Coritiba, que não venderam os direitos de transmissão de seus jogos no Campeonato Paranaense a nenhuma emissora, haviam decidido exibir a partida, no domingo (dia 19), na Arena da Baixada, através de seus canais no YouTube e Facebook.
A Federação Paranaense de Futebol, porém, alegou que a produtora independente contratada para a transmissão não havia sido credenciada com 48 horas de antecedência, como diz o regulamento, e impediu o início do clássico. De mãos atadas, a arbitragem apenas repetia que “obedecia a ordens”.
“Atlético e Coritiba não venderam seus direitos por essa esmola que a RPC e a TV Globo quiseram nos pagar”, afirmou Mauro Holzmann, diretor de marketing do Atlético-PR, referindo-se à afiliada da Globo no Paraná.
“E hoje nós estamos fazendo uma transmissão gratuita pelo Facebook e pelo YouTube. O Coritiba e o Atlético-PR estão juntos. Então não vai ter jogo”, acrescentou o dirigente, em entrevista à equipe de transmissão da partida, pivô da polêmica.
A decisão de peitar a federação veio após conversa entre o presidente do Atlético-PR, Luiz Sallim Emed, e o vice do Coritiba, José Fernando Macedo.
“Com toda essa situação, sabe de quem eu tenho pena? Do futebol do Paraná, que está perdendo. Olha o estádio quase cheio para um Atletiba, que é o maior clássico do futebol do Paraná”, lamentou Macedo.
Na arquibancada, foi formado um coro de protesto unido entre atleticanos e coxas-brancas: “Vergonha! Vergonha!” Mais organizado, os torcedores passaram a berrar contra a FPF: “Federação, vai se f... O Atletiba é maior do que você!”
Com meia hora sem que a partida começasse, os times desceram aos vestiários. Dez minutos depois, com a expectativa de resolução para o conflito, voltaram a campo. Após mais dez minutos de novo aquecimento, os elencos retornaram ao túnel, indicando que o clássico seria mesmo cancelado.
Ao final, os jogadores de Atlético-PR e Coritiba voltaram ao gramado para agradecer o público. Na saída do túnel, eram cumprimentados por Emed e Macedo. Com os times misturados e de mãos dadas no círculo central criaram uma imagem de união entre rivais. Atleticanos e coxas seguiram então cada um para um lado de campo para festejar com seus torcedores.
“Nós vamos quebrar essa barreira de intransigência da federação. Não podemos ficar reféns de ideias estreitas como está acontecendo agora. Isso é uma vergonha mundial”, reclamou Emed.
O dirigente elogiou o modelo de gestão da CBRu (Confederação Brasileira de Rúgbi) para dizer que é preciso dizer "não" diante do poder instituído e citou até o educador Darcy Ribeiro, lembrado nesta semana pelos 20 anos de sua morte.
“Eu perdi quando quis escolas neste país. Eu perdi quando defendi os índios. Mas me sinto à vontade. E tenho pena de quem venceu.”

UNDER ARMOUR SERÁ ANUNCIADA COMO NOVA PATROCINADORA DO FLUMINENSE

Norte-americana aumentará participação no futebol brasileiro e deve fechar com o clube por três temporadas


Após o pesadelo vivido pelo Fluminense com o seu rápido acordo com a Dryworld, o clube irá oficializar a chegada da Under Armour na próxima segunda-feira (20) por três anos. Para quem viveu um verdadeiro casamento de 20 anos com a adidas, a chegada da norte-americana pode representar um novo momento no quesito fornecimento de material esportivo nas Laranjeiras.

Muitos veículos divulgaram que o contrato não será financeiramente atrativo no investimento fixo mensal, mas os royalties por peça vendida estará acima do que o mercado normalmente oferece. Mesmo que o valor seja inferior, vale lembrar que a Dryworld atrasou os pagamentos e falhou nos envios de produtos, o que coloca a chegada da futura nova parceria, por si só, muito mais positiva que a passagem da parceira anterior.

Ainda que o acordo esteja para ser oficializado, licenciamentos da marca serão apresentados apenas nos próximos meses. Uma coisa é certa: categorias de base e esportes olímpicos não precisarão mais usar peças da adidas, já que a canadense não conseguiu atender nem mesmo a demanda interna.

O Fluminense representará a expansão da Under Armour no mercado brasileiro, já que apenas o São Paulo possui contrato com a marca desde sua entrada no futebol do país no início de 2015. No exterior, a UA pode ser vista nos uniformes de Tottenham, Aston VillaSouthampton, St PauliAZ Alkmaar, Colo-Colo, entre outros.

Fonte: MKT Esportivo

OS PLANOS DE RENTABILIZAÇÃO DO TOTTENHAM PARA O SEU FUTURO ESTÁDIO

Spurs almejam acordo de £ 400 milhões por um contrato de até 20 anos pelo naming rights


Enquanto trabalha ativamente para erguer o seu estádio e foca em iniciativas inovadoras para promove-lo, o Tottenham já se planeja para rentabilizar o quanto antes partindo do relevante impacto que o mesmo terá em Londres.

Com capacidade para 61 mil pessoas e casa da NFL no Reino Unido, os Spurs esperam angariar receitas na casa de £ 100 milhões por temporada através da exploração de sua casa. Buscando fechar o acordo mais lucrativo do futebol europeu no quesito naming rights, o Tottenham espera uma proposta de £ 400 milhões em um acordo por até 20 anos.

Apesar de parecer um valor elevado até mesmo para os padrões da Premier League, o clube afirma que “pelo menos 300 empresas” estão interessadas no direito de nomear o estádio, que trará um importante retorno a capital inglesa.

Além dos naming rights, as áreas de hospitalidade também estão no pacote de comercialização do Tottenham para a futura inauguração, em 2018/19. Ter presença garantida em assentos VIP pode chegar a um investimento total de £ 18 mil, valor semelhantes às maiores taxas praticadas pelo Arsenal no Emirates Stadium.

Após a abertura de sua casa, certamente veremos um incremento muito alto de receitas de ‘matchday’. No Football Money Leagyue 2017, da Deloitte, esta frente referente ao White Hart Lane representou apenas 19% do seu faturamento total (£ 40.8 milhões).

Fonte: MKT Esportivo

ZLATAN IBRAHIMOVIC ASSUME INSTAGRAM DE MANCHESTER UNITED POR UM DIA

Atacante sueco divulgou dez conselhos aos fãs que desejam ser como ele. Modesto, não?


Em fevereiro de 2014 o Manchester United se tornou pioneiro ao colocar Wayne Rooney para comandar o seu perfil oficial no Instagram. A iniciativa ocorreu por ocasião da renovação de contrato do atacante com a equipe onde ele deveria postar as cinco imagens que, na opinião dele, foram as mais marcantes do seu período vestindo a camisa dos Red Devils. O Corinthians seguiu esta iniciativa ao anunciar o retorno de Elias e o Tottenham com Eriksen.

Em uma segunda fase desta ação, o mesmo Manchester United colocou Zlatan Ibrahimovic também à frente da conta do Instagram, desta vez, para que ele divulgasse dez conselhos aos que desejam ser como ele. Todo conteúdo foi norteado pela hashtag #IBRAGRAM. Uma sinergia impecável com a forte e modesta personalidade do sueco.

Fonte: MKT Esportivo

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Transição da base para o profissional e o desperdício de talentos

Fatores que fazem com que o nosso país perca grande parte dos talentos quando chegam no profissional


Por: Heitor Valente 

Após a derrota do Brasil para a Alemanha na copa do mundo de 2014,surgiram idéias para a reformulação e reestruturação do futebol brasileiro.Estamos em 2017 e pouco se fez para mudar a situação na qual nos encontrávamos,continuamos ‘’queimando’’ jovens jogadores que possuíam um grande potencial nas camadas inferiores e que não conseguem demonstrar esse potencial na equipe principal e essa sucessiva perda de talentos refletem na qualidade do nosso futebol e consequentemente na seleção brasileira.As transições no futebol atual evoluíram,sejam as transições defensivas e ofensivas no campo,transições de jogadores para os clubes e a transição mais importante para a carreira de um jogador,que é a da base para o profissional e aqui continuamos cometendo erros.Dentre os fatores que devemos observar na transição da base para o profissional no futebol brasileiro,podemos citar:

Fatores educacionais e psicológicos

A maioria dos jogadores que estão nas categorias da base no futebol brasileiro,são oriundos de uma realidade complicada e são vistos muitas vezes por eles ou seus país como uma ótima oportunidade para mudar a situação econômica de sua família.Este fator coloca uma auto pressão no atleta,causando um impacto psicológico e que pode acabar prejudicando sua carreira em momentos importantes.

Uma questão importante é que no momento da transição para o profissional,a exposição pública do atleta aumenta consideravelmente e a frequência para entrevistas,fotografias e vídeos também irá aumentar,mesmo com este jogador ainda não sendo titular.Outro fator relevante é a renovação do salário do jogador,que geralmente acontece após a transição assumir um caráter efetivo,este salário tendo um aumento substancial,irá causar mudanças na vida do atleta,podendo afetar o seu desempenho,portanto é necessário avaliar o impacto da mudança de poder aquisitivo.

Ainda possui a diferença da atmosfera entre a base e o profissional,no Brasil não possuímos uma integração lenta e gradual como em outros países.Os jovens saem de campeonatos de baixo nível técnico,campos em condições alarmantes e estádio praticamente sem torcida para jogar com atletas mais experientes e diante de uma pressão muito grande por resultados e ainda há o caso de alguns que sobem para o profissional,e ficam sem ser aproveitado durante um período crucial em sua carreira.Fazendo um paralelo com a vida prossional em outros segmentos: com 17,18 anos você sai do ensino médio para adentrar no meio universitário e com 22,23 anos a sua percepção de mundo é muito diferente.Com jovens atletas não é diferente e ele ainda está em um processo de maturação.

O IMEDIATISMO DO FUTEBOL BRASILEIRO

Este imediatismo se apresenta,dentre outras,na troca constante de treinadores,no número elevado de contratações desnecessárias,na pressão por resultados  e estas ações acabam refletindo nos jovens jogadores.

Para que a transição de um jogador ocorra de maneira eficiente,é preciso respeitar as suas peculiaridades e sua maturidade física,precisando ainda ter paciência e confiabilidade nos atletas,algo que é difícil na situação atual pela pressão de resultados que faz com que o treinador escolha jogadores mais experientes em detrimento dos jovens,ainda vale dizer que quando o treinador não possui um tempo considerável no clube,este não irá saber escolher de maneira cautelosa as melhores peças para integrarem o profissional.

Outra questão importante é o elevado número de contratações dos clubes e os constantes desmanches dos elencos no futebol brasileiro.Os clubes contratam muitos jogadores,ficando com o elenco inchado e com muitos jogadores com salários altos e sem serem usados e os jogadores da base que possuem uma identificação maior com o clube,são pouco utilizados,geralmente recebendo oportunidades quando o elenco principal fica repleto de jogadores indisponíveis para o próximo confronto.

O descaso com os times B e o sub-23

Quando se busca uma transição para o profissional eficiente,espera-se que o atleta entre no time principal com totais condições de se efetivar,buscando espaço entre os titulares,com a moral e aptidão física adequada.Porém,quando essa transição ocorre do sub-20 para o principal,a realidade é muito diferente,no Brasil não temos como em outros países da América do Sul e europa, de ter campeonatos de times B/sub-23,para ir lapidando o jovem,colocando-o em outro ritmo de treinamento,jogos mais intensos e competitivos,de forma a colocá-lo no profissional mais bem preparado e ajustado com o tipo de jogo que é apresentado.

Ainda apregoa-se a ideia de que quando o clube não estiver com a situação financeira saudável,irão aproveitar muitos jogadores da base.De certo modo,parece uma boa ação dos dirigentes,porém aproveitar muitos jovens jogadores em um curto espaço de tempo,realocando-os para o profissional onde a exigência é maior em muitos aspectos, a chance de ‘’queimar’’ a maioria dos atletas é muito grande.Pois os mesmos não tiveram a oportunidade de sentir uma pressão maior em campeonatos com uma maior exigência,similar ao profissional,como ocorre em uma equipe B ou em um sub-23.

Falta um plano de carreira eficiente

A possibilidade de um jogador de categorias de base se tornar profissional no Brasil é muito baixa,mesmo para aqueles que estão no sub-20,a situação não é diferente.Jogadores que não estão em condições de integrar a equipe principal ou que estão com uma idade que não dá condições de atuar em uma competição de base,comumente tem seu contrato rescindido ou emprestado até a expiração do contrato do atleta.Os clubes precisam fazer um plano de carreira para aqueles jogadores que não serão aproveitados de imediato na esquipe principal,fazendo parcerias com clubes que entendam sua linha de trabalho e desenvolvimento de atletas,visando o progresso de suas carreiras,para que o jovem não fique desamparado após acabar o contrato com o clube,com objetivo de uma direção saudável para a carreira do atleta,assim ajudando o clube e o jogador.Atualmente temos vários jogadores que precisaram  sair  do  clube, seja  emprestado  ou  não, para estourar e em outro momento, voltar a figurar em equipes de maior expressão.

Em suma,a idéia é a formação de equipes B/sub-23 e a competição para estas equipes,clubes possuírem equipes satélites,parceiros ou até mesmo uma filial,uma linha de trabalho bem planejada,indo desde o departamento de scouting até o tipo de jogador para o time principal,ações visando o desenvolvimento de médio-longo prazo,seja para o treinador do profissional ou em um tipo de investimento especifico nas categorias de base.

Fernando Torres concorre com CR7 em rede de academias

Atacante do Atlético de Madrid inaugura primeiras unidades de Nine Fitness Sports Club

O atacante Fernando Torres inaugurou a primeira unidade da academia Nine Fitness Sports Club próxima ao estádio Vicente Calderón, do Atlético de Madrid. O espaço de 2.000 metros quadrados. Outra unidade já foi aberta.
Há três anos e meio, Cristiano Ronaldo já havia entrado no setor com parceria com a Crunch Fitness. A aposta do atacante do Real Madrid é a venda de franquias para o crescimento da rede.
El Niño Torres, por sua vez, chegou a um acordo com o Atlético de Madrid e fará promoção especial a sócios do clube. Os torcedores e acompanhante poderão utilizar a academia gratuitamente por 30 dias.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/fernando-torres-concorre-com-cr7-em-rede-de-academias_31988.html#ixzz4Ywbs15OB

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Dória indica concessão de Pacaembu em feira em Dubai

Segundo prefeito de São Paulo, há diversos interessados em gerir o estádio

O mercado de gestão de arenas está em crise no Brasil, mas o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), se mantém otimista com a concessão à iniciativa privada do Pacaembu, um estádio construído em 1940 e sem grandes reformas ou modernizações desde então.
O político está em uma feira em Dubai para apresentar uma série de instrumentos públicos da cidade de São Paulo para grupos de empresários e de fundos de investimentos. O plano é tirar do papel a promessa de privatizar mais de 50 itens do município, como o Parque do Ibirapuera e o centro de eventos Anhembi.
Mas, segundo Dória, o destaque ficou para a velha arena. “Tivemos vários interessados, não apenas um ou dois. O futebol nessa região, assim como na China, vem tendo um crescimento muito grande, então era natural, já tínhamos essa expectativa, mas confesso que superou, dado o interesse no programa de concessão do Pacaembu”, afirmou à rádio Jovem Pan.
Segundo Secretaria Municipal de Esportes Lazer e Recreação, o Pacaembu custa R$ 26,8 milhões ao ano para os cofres públicos. A concessionária que assumisse a gestão do estádio teria que arcar com esse custo e fazer do complexo, que inclui piscinas e ginásio, fosse lucrativo, mesmo com a proibição de shows musicais na arena. O acordo seria de 10 ou 15 anos.
O otimismo de Dória acontece justamente em um momento de baixa para estádios no Brasil. O maior exemplo é o Maracanã. O estádio, palco da final da Copa do Mundo de 2014, foi abandonado por sua concessionária após prejuízos de R$ 173 milhões em menos de quatro anos.
Além da arena, Dória quer privatizar o autódromo de Interlagos. O local poderia ser usada para eventos diversos, além de ceder espaço para a construção de imóveis. 



México quer criar torneio com times da MLS

Com saída de times mexicanos de Libertadores, ideia é ter até 8 times do país e 8 de liga americana em competição

A Federação Mexicana de Futebol planeja promover um torneio entre equipes do país e da MLS, a principal liga da modalidade nos Estados Unidos. A ideia é oferecer uma competição atrativa para os clubes locais após a saída dos times do México da Copa Libertadores.
De certa forma, também é um desafio à política isolacionista do presidente Donald Trump, que pretende erguer um imenso muro na fronteira entre Estados Unidos e México.
A ideia é ter a participação de quatro franquias da MLS que enfrentariam Xolos, Chivas Guadalajara e América, além de outro clube mexicano a definir. A primeira edição do torneio seria disputada ainda neste ano.
“A MLS é um mercado atrativo. A ideia é aproveitar a rivalidade que existe entre as seleções do México e Estados Unidos”, afirmou Francisco Suinaca, vice-presidente executivo do Toluca e membro do Comitê de Desenvolvimento Esportivo da federação mexicana.
Após uma primeira edição com quatro times de cada país, a ideia é que o torneio seja ampliado para oito clubes do México e oito franquias da MLS nos próximos anos.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/mexico-quer-criar-torneio-com-times-da-mls_31980.html#ixzz4YmkAfVfM

Adidas anuncia bola de final da Liga dos Campeões

Equipamento será utilizado pela primeira vez nesta terça-feira, com início dos mata-matas de torneio

A Adidas revelou a bola que será utilizada a partir das oitavas de final nos mata-matas da Liga dos Campeões. A estreia oficial do equipamento será nesta terça-feira. A bola também será utilizada na final do torneio europeu de clubes, em 3 de junho, em Cardiff, no País de Gales.
Os primeiros jogos com o equipamento serão entre PSG x Barcelona e Benfica x Borussia Dortmund. Nesta semana também haverá os confrontos entre Bayern de Munique x Arsenal e Real Madrid x Napoli.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/adidas-anuncia-bola-de-final-da-liga-dos-campeoes_31977.html#ixzz4YmjuE1jV

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Adidas renova contrato com Lionel Messi

'Feliz por continuar colaborando', craque argentino anuncia novo acordo em rede social

A Adidas chegou a um acordo para a renovação de contrato com Lionel Messi, um de seus principais embaixadores globais. Os valores e a duração do acordo não foram divulgados.
Dono de cinco Bolas de Ouro, prêmio da Fifa de melhor jogador do mundo, o argentino anunciou a novidade através do Facebook. “Feliz de poder continuar colaborando com a Adidas muitos anos mais!”, escreveu o meia do Barcelona.
A atleta, que assinou no ano passado com a Huawei, também possui contrato com Tata Motors, Gillette, Gatorade, Ooredoo, EA Sports e Space Scooter. Segundo a revista Forbes, Messi arrecada € 67,3 milhões por ano, sendo € 20 milhões com patrocínios.
Curiosamente, segundo pesquisa da agência Esade, os torcedores associam Messi mais com a Nike do que com a Adidas, devido ao fato de a marca norte-americana ser a fornecedora oficial do Barcelona. Situação diversa não acontece em relação a Cristiano Ronaldo, atleta da Nike, que utiliza material esportivo da Adidas no Real Madrid. O público o vê como jogador vinculado com a marca do Oregon, devido às constantes campanhas de material esportivo em que aparece.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/adidas-renova-contrato-com-lionel-messi_31967.html#ixzz4YZxQHRK3

Atlético Mineiro anuncia patrocínio de empresa de energia solar

Solatio Energia terá marca exposta no calção do uniforme do time


O Atlético Mineiro tem um novo patrocinador. O clube anunciou na quinta-feira (09) um contrato com a Solatio Energia, empresa especializada em energia solar. O acordo irá até o fim deste ano e colocará a marca da companhia no calção do uniforme do time.
O clube apenas anunciou o novo patrocínio, sem dar maiores detalhes do acordo. Segundo o jornal “Hoje em Dia”, o acordo deve render cerca de R$ 2 milhões ao time mineiro.
A marca ficará no local onde esteve a Supermercados BH em 2016. Neste ano, a companhia de varejo foi deslocada para a barra da camisa, o que abriu uma nova propriedade para o marketing do Atlético Mineiro.
A espanhola Solatio é a maior empresa de energia solar em atuação no Brasil. Segunda a companhia, 31% da energia solar produzida no país é proveniente das instalações da marca.
A escolha por um patrocínio esportivo acontece em um momento importante para a empresa no Brasil. Neste ano, deverá entrar em funcionamento a usina em Pirapora, construída em parceria da Solatio com a Canadian Solar, em projeto originalmente orçado em R$ 1,5 bilhão.
A empresa também pretende construir uma usina no Mato Grosso do Sul. Em 2016, a companhia indicou o investimento de R$ 7,5 bilhões em 20 estruturas de energia solar no Estado, que deverão sair do papel nos próximos anos.
Com o acordo com o time mineiro, a Solatio irá dividir espaço com a Caixa, a MRV Engenharia, a Vilma Alimentos e os Supermercados BH no uniforme atleticano. Neste ano, o clube trocou o fornecimento de material esportivo, com a Topper em substituição à Dryworld. 

COM INSPIRAÇÃO NA AMAZÔNIA, PAYSANDU E LOBO APRESENTAM LINHA 2017

Tucunaré, Tambaqui, Açaí, Muruci, entre outros, estão representados nas novas peças lançadas pelo Papão e sua marca


Você que acompanha o MKTEsportivo diariamente através do portal e das redes sociais sabe como valorizamos iniciativas envolvendo marcas próprias. O grito de independência tem gerado um retorno muito relevante para as equipes e que resulta em linhas cada vez mais criativas por parte dos profissionais/agências responsáveis por elas. E, claro, a Lobo caminha impecavelmente neste sentido.

Esta semana, o Paysandu apresentou sua linha 2017 inspirada na Região Amazônica e em sua rica fauna e flora. Cores e sabores de frutas típicas da região foram retratados nos novos uniformes do Papão.

Todos os modelos contam com o tecido Lobodry Tec, que utiliza a tecnologia dry para facilitar a evaporação do suor, e elastano, dando mais conforto à peça. A camisa de treino, por sua vez, foi inspirada na fruta Buriti, comum na Amazônia. Já o modelo utilizado na concentração alude à força das cores do Açaí e Muruci, frutas abundantes no Estado do Pará e Amazônia.
A camisa de viagem embarca no Açaí e Muruci, e possui o “L” da marca Lobo em sua estrutura, além da customização do escudo. Por fim, as camisas de goleiro foram criadas pensando nos peixes da Amazônia.

Notou como apostar em marca própria gera uma liberdade de criação e desenvolvimento que certamente nenhuma gigante do mercado ofereceria? Um golaço do Paysandu com a Lobo e também das diversas equipes, como Fortaleza, Joinville, Fortaleza e Juventude, que também embarcaram nesta iniciativa.

Abaixo, as peças e suas respectivas inspirações. Quem assina a criação da campanha é a agência Macaco Velho MM.

1º Tema – Frutas da Amazônia:
Camisa de Treino (Comissão e Jogador): Buriti
Camisa de Concentração (Jogador): Açaí
Camisa de Concentração (Comissão): Muruci

2º Tema – Peixes da Amazônia:
Camisa de Goleiro 1: Pirarucu
Camisa de Goleiro 2: Tucunaré
Camisa de Goleiro 3: Pescada Branca
Camisa de Goleiro 4: Tambaqui






Fonte: MKT Esportivo