Cabeçalho

Logotipo

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Clubes peitam federação, e Atletiba é cancelado

Após FPF proibir exibição de clássico nas redes sociais, Atlético-PR e Coritiba decidem tirar times de campo


O primeiro clássico brasileiro transmitido inteiramente pelas redes sociais não aconteceu. Atlético-PR e Coritiba, que não venderam os direitos de transmissão de seus jogos no Campeonato Paranaense a nenhuma emissora, haviam decidido exibir a partida, no domingo (dia 19), na Arena da Baixada, através de seus canais no YouTube e Facebook.
A Federação Paranaense de Futebol, porém, alegou que a produtora independente contratada para a transmissão não havia sido credenciada com 48 horas de antecedência, como diz o regulamento, e impediu o início do clássico. De mãos atadas, a arbitragem apenas repetia que “obedecia a ordens”.
“Atlético e Coritiba não venderam seus direitos por essa esmola que a RPC e a TV Globo quiseram nos pagar”, afirmou Mauro Holzmann, diretor de marketing do Atlético-PR, referindo-se à afiliada da Globo no Paraná.
“E hoje nós estamos fazendo uma transmissão gratuita pelo Facebook e pelo YouTube. O Coritiba e o Atlético-PR estão juntos. Então não vai ter jogo”, acrescentou o dirigente, em entrevista à equipe de transmissão da partida, pivô da polêmica.
A decisão de peitar a federação veio após conversa entre o presidente do Atlético-PR, Luiz Sallim Emed, e o vice do Coritiba, José Fernando Macedo.
“Com toda essa situação, sabe de quem eu tenho pena? Do futebol do Paraná, que está perdendo. Olha o estádio quase cheio para um Atletiba, que é o maior clássico do futebol do Paraná”, lamentou Macedo.
Na arquibancada, foi formado um coro de protesto unido entre atleticanos e coxas-brancas: “Vergonha! Vergonha!” Mais organizado, os torcedores passaram a berrar contra a FPF: “Federação, vai se f... O Atletiba é maior do que você!”
Com meia hora sem que a partida começasse, os times desceram aos vestiários. Dez minutos depois, com a expectativa de resolução para o conflito, voltaram a campo. Após mais dez minutos de novo aquecimento, os elencos retornaram ao túnel, indicando que o clássico seria mesmo cancelado.
Ao final, os jogadores de Atlético-PR e Coritiba voltaram ao gramado para agradecer o público. Na saída do túnel, eram cumprimentados por Emed e Macedo. Com os times misturados e de mãos dadas no círculo central criaram uma imagem de união entre rivais. Atleticanos e coxas seguiram então cada um para um lado de campo para festejar com seus torcedores.
“Nós vamos quebrar essa barreira de intransigência da federação. Não podemos ficar reféns de ideias estreitas como está acontecendo agora. Isso é uma vergonha mundial”, reclamou Emed.
O dirigente elogiou o modelo de gestão da CBRu (Confederação Brasileira de Rúgbi) para dizer que é preciso dizer "não" diante do poder instituído e citou até o educador Darcy Ribeiro, lembrado nesta semana pelos 20 anos de sua morte.
“Eu perdi quando quis escolas neste país. Eu perdi quando defendi os índios. Mas me sinto à vontade. E tenho pena de quem venceu.”

0 comentários :

Postar um comentário