Cabeçalho

Logotipo

segunda-feira, 6 de março de 2017

A evolução de um plano de carreira através do STK Fluminense Samorin

Seguindo o lema ‘’faça uma pessoa melhor e teremos um melhor jogador’’, o Fluminense possui um projeto inovador na Eslováquia


Por: Heitor Valente

É notório a escassez de projetos inovadores que venham a desempenhar uma consequência significativa nos jogadores e no futebol brasileiro.No meio disso,O fluminense possui uma filial na Eslováquia que segundo o Coordenador das Divisões de base do clube, Marcelo Teixeira, idealizador do projeto, o plano é fundamentado, basicamente, na necessidade de desenvolvimento das categorias de base do clube dentro de um modelo europeu, com uma aproximação junto à UEFA e à Associação de Clubes Europeus, inserindo atletas de nossas categorias de base nesse mercado e finalmente, possibilitando a exposição e internacionalização da marca do Fluminense na Europa.


Após uma mudança significativa nas instalações da base do clube durante a gestão do ex-presidente Peter Siemsen e pelo fato de ter tido um time principal qualificado,o Fluminense se viu na necessidade de elaborar um plano de carreira diferenciado e eficiente para os jogadores do time sub-20,que não estavam em condições ideais de integrar o profissional.A partir daí,surgiram diversas parcerias nacionais e internacionais com clubes que entendiam a linha de trabalho adotada pelo Fluminense visando o desenvolvimento de atletas e apresentando aos mesmos um contexto diferente da realidade na qual se encontravam na base do Fluminense,não os deixando desamparados  e proporcionado aos jovens uma perspectiva saudável para sua carreira,com idéia de ter um atleta em fase final de base preparado para o mercado,com isso ajudando o clube e o jogador.


Com os empréstimos,o Fluminense foi entendendo a dinâmica das ligas e dos países pelos quais os jogadores emprestados se encontravam e passaram a ver um clube filial como algo fundamental para alavancar o projeto,com uma linha de trabalho e gestão própria para possibilitar maiores oportunidade aos jovens.


Daí veio o STK Fluminense Samorin,que surgiu após uma longa busca em diversos países.Dentre os fatores que fizeram o Fluminense escolher este clube,podemos citar:


- Baixo custo do futebol no país: possibilidade grande de crescimento com baixo investimento.
- Possibilidade ilimitada de estrangeiros no elenco: cinco jogadores de Xerém em campo no primeiro time, mais cinco na equipe sub-19.
- Liga de jovens atletas: a Eslováquia tem uma das ligas com mais jovens na Europa. Isto facilita a adaptação dos Moleques de Xerém.
- STK Fluminense Samorin é um clube sem dívidas.
- Localização geográfica: a Eslováquia fica localizada no centro da Europa e fica próxima das principais cidades do Velho Continente. Áustria (40km), Hungria (50km), República Tcheca (62km), Croácia (280km), Polônia (330km), Alemanha (350km), Itália (500km), Ucrânia (550km) e Suíça (600km). Em 1h30, chega-se a Samorin de qualquer grande cidade da Europa.
- Dimensão reduzida do país: diminui os custos operacionais e facilita a logística para locomoção da equipe por conta de distâncias pequenas que podem facilmente ser percorridas de ônibus.
-País ser membro da União Europeia.
-população  pequena:país possui cerca de 5,4 milhões de habitantes.
-Economia:custo de vida baixo.
-Diversidade étnica no país:minimizando problemas de racismo.


A parceria começou em agosto de 2015, quando o Fluminense emprestou alguns atletas para os eslovacos, mas com o diferencial. Um profissional brasileiro participou como auxiliar técnico e gestor da equipe. O conhecimento adquirido foi fundamental para o Tricolor aumentar o investimento e passar para a segunda fase.


Na segunda fase, o Tricolor assumiu o controle técnico e administrativo do STK Fluminense Samorin, indicando um treinador, definindo um diretor esportivo e aumentando a quantidade de atletas presentes na filiial do clube na Europa. Xerém envia nove jogadores, um auxiliar técnico e um preparador físico para a Eslováquia. O time vence a Liga III e tem destaque na Liga II.


Na fase atual,o Fluminense possui o total controle da parte administrativa e técnica da equipe eslovaca,a filial já utiliza o uniforme tricolor em jogos da Liga II e o escudo do Fluminense está presente nos uniformes do clube,a gestão de administração,finanças,comunicação e marketing do clube são compartilhadas,com a palavra final sendo do clube brasileiro e o Fluminense ainda tem a gestão técnica de todo o departamento de futebol do STK Fluminense Samorin.


Na próxima fase,busca-se uma filiação do Fluminense a UEFA e a ECA,adoção do nome STK Fluminense Samorin de forma oficial,gestão  do clube realizada pelo Fluminense,recrutamento de atletas europeus com controle total do tricolor e uma implantação de escola modelo Guerreirinhos na Europa.


Existem diversos objetivos que se pretendem alcançar com este projeto,segundo reportagem publicada no portal GloboEsporte.com e também no jornal O GLOBO,trata-se de um projeto-modelo para o desenvolvimento de uma filial do Fluminense Football Club fora do Brasil, com a finalidade básica de possibilitar uma expansão, internacionalização e exposição da marca, associada a uma aproximação do futebol europeu e um desenvolvimento das divisões de base do clube.


O Fluminense trabalha com duas possibilidades. A primeira é vender os jogadores para novos mercados. A segunda é desenvolver o atleta e reutilizar no próprio Tricolor.


– Temos objetivos bem claros no nosso projeto e eles estão sendo realizados com estratégia e profissionalismo. Não se trabalha base com imediatismo. Nossos meninos que estão no Samorin estão em formação, em fase final de desenvolvimento. Queremos preparar a pessoa e o atleta, fazer eles evoluírem ainda mais taticamente, mentalmente, para voltarem e darem bons frutos ao Fluminense, no Brasil – comentou o Gerente Geral da Base, Marcelo Teixeira.


“O Fluminense criou um projeto diferente, completo e que vem tendo reconhecimento no mercado. O desenvolvimento dos atletas do clube começa no futsal ou nas escolinhas oficiais (Projeto Guerreirinhos),passa por Xerém e termina na Europa.


Apesar de ser um projeto de longo prazo,o Fluminense já ganhou destaque em eventos internacionais,como na presença na maior feira de futebol do mundo, a Soccerex, no ano passado,em Manchester,na Inglaterra.Abordando a filial tricolor na Eslováquia, o STK Samorin, da Eslováquia e também foram exibidos detalhes da recente parceria do clube com o maior centro de treinamento da Eslováquia,o XBionic. O local serve de base para 27 modalidades olímpicas do país.


"As estruturas são fantásticas. Já estamos usando o espaço para musculação e recuperação dos atletas e quando estivermos na primeira divisão vamos usar o campo para jogo também", disse Marcelo Teixeira, coordenador da base e responsável pelo FluEuropa.


Sendo portanto a evolução de projeto inovador de um clube que possui uma mentalidade diferenciada e inovadora,não visando disputar com os grandes da Europa,sendo um investimento seguro para o clube e importante para os profissionais envolvidos.Sendo ainda no aspecto financeiro,algo que demanda um baixo investimento e com possibilidade de sucesso no país e podendo futuramente faturar em classificações para fase de grupo de uma Europa league ou até mesmo uma Champions,como exemplo temos o último  campeão eslovaco(AS Trencin) possuindo um custo aproximado de 1,2 Milhão de Euros na temporada e o  Fluminense na segunda divisão da Eslováquia possui um custo de cerca de 600 mil Euros,representando uma fatia pequena no faturamento do time tricolor e ainda podemos citar o caso do Legia de Varsóvia(time com menor valor de mercado na fase de grupos da Champions na temporada 2016-2017) que entrou na fase de grupo da Champions após passar pela fase eliminatória de maneira tímida e com isso recebeu cerca de  20 Milhões de Euros no total,este sendo um caminho que o STK Fluminense Samorin pode percorrer no futuro.






0 comentários :

Postar um comentário