Cabeçalho

Logotipo

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Percepção e emoção: inteligência emocional e redes sociais

Por Letícia Azevedo

As redes sociais têm sido diretamente ligadas à imagem dos atletas, e quiçá, com o desempenho dentro de campo. É necessário, então, “inteligência“ na hora de usar as redes sociais? A resposta se dará ao decorrer desse artigo pensando em como o mau uso ou uso excessivo das redes, mexem com nossa percepção, descontrolam nossas emoções e prejudicam nosso comportamento.
Tweets do banco de reserva, reclamações aos presidentes de clubes, xingamentos de torcedores, etc. Eis alguns exemplos conhecidos sobre como o uso indevido das redes sociais podem mexer com o indivíduo. Elas são os maiores recursos de contato entre atletas, torcedores e fãs, justamente por isso é necessário cada vez mais um olhar atento para essa área.
Cada ser humano é único, portanto sua perspectiva sobre o mundo será singular, assim como a resposta de cada um a estímulos. Quando comportamentos inadequados são encontrados em redes sociais, é necessário observar com quem está se tratando, pois cada pessoa traz consigo uma história que constitui sua identidade, e isso não pode ser ignorado.
A maioria dos atletas tem sua origem humilde e quando se deparam com o sucesso e a fama, se vislumbram e não sabem como organizar suas emoções e comportamentos diante disso. É necessário trazer ao seu entendimento a percepção de comprometimento com a sua carreira e seu clube, mostrando que suas ações individuais podem afetar o coletivo. As paixões pelo esporte e pelo clube estão em jogo nesse caso, e esse comprometimento será reforçado a partir de técnicas para fortalecimento de vínculo do jogador com o clube, e assim, seu comprometimento será afetivo, de acordo com Spector (2006).
Acredito que seja necessário desenvolver um tipo de inteligência emocional com os atletas. Inteligência, resumidamente, é a capacidade do indivíduo de se adaptar. Salovey & Mayer, (1990) entendem que esse processo de adaptação rende melhores resultados quando unido ao desenvolvimento de processos emocionais.  O trabalho do psicólogo será o de acessar essas emoções, para que o atleta seja orientado sobre como conduzi-las. Parece um trabalho distante da relação com as redes sociais, mas pensando que um atleta confuso emocionalmente terá sua perspectiva afetada em relação ao clube e a sua própria vida, refletindo na maneira dele enxergar seu mundo e quem está nele, fazendo com que o atleta tenha comportamentos inadequados. 

Um comentário :

  1. Yeeesss!!! Precisamos falar e cuidar de todas as áreas da vida dos atletas!!! Parabéns!!

    ResponderExcluir