Cabeçalho

Logotipo

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Conmebol abre mão de naming right na Libertadores

Entidade já apresentou torneio de 2018 sem o nome da Bridgestone

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) mudou a estratégia comercial de sua principal competição de clubes, a Libertadores. A partir de 2018, o torneio deixará de ter um naming right, que nos últimos anos pertenceu à Bridgestone.
A informação foi divulgada pelo Blog do Rodrigo Mattos, do “Uol”, e confirmada pela Máquina do Esporte. A Conmebol colocará em prática o plano ao aproveitar que a Bridgestone deixará de arcar com o principal patrocínio da competição sul-americana.
A ideia da Conmebol é seguir o modelo da Liga dos Campeões. Hoje, o torneio europeu conta com sete patrocinadores, que se dividem entre as diversas propriedades oferecidas pela entidade do velho continente. Financeiramente, nenhuma delas arca com uma quantia substancialmente maior que as outras, como faz a Bridgestone na Libertadores.
A confederação sul-americana abre mão então de ter níveis diferentes de patrocínio. O plano é ter oito parceiros com pesos semelhantes, como acontece na Liga dos Campeões.
A primeira aparição pública da Libertadores sem um naming right aconteceu na última semana, no sorteio dos clubes para as primeiras fases e a fase de grupo da competição. O logotipo do torneio apareceu sem a marca da Bridgestone.
Em 2017, graças a outro parceiro comercial, a Conmebol já havia usado a marca “limpa” da Libertadores. A Amstel quis fazer latas personalizadas do torneio, mas sem o logotipo da Bridgestone. O pedido foi aceito pela entidade e serviu de exemplo da importância de abrir mão da propriedade.
A Libertadores mantém um naming right desde 1998. Na época, a Toyota havia inaugurado uma fábrica do Brasil e resolveu usar a competição para divulgar a marca. A parceria durou dez anos, e a propriedade foi substituída pelo Santander no fim da década de 2000. Em 2013, a Bridgestone assumiu esse papel.
A mudança faz parte de uma série de iniciativas que a Conmebol tem tomado para melhorar a sua imagem e para se modernizar. No fim de 2016, uma “nova” Libertadores já havia sido apresentada, com um logotipo reformulado, um número recorde de participantes e um calendário que cobria toda a temporada.
Em 2018, a premiação do torneio será dobrada para o campeão, um pedido antigo dos clubes. Há ainda a discussão sobre a final com uma partida única para a decisão da disputa. E, em 2019, um consórcio formado por IMG e Perform assumirá a gestão comercial do torneio.

Original: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/conmebol-abre-mao-de-naming-right-na-libertadores_33696.html#ixzz52SdjehYo

0 comentários :

Postar um comentário