Cabeçalho

Logotipo

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Decisão da Libertadores será fora da Argentina


Local da partida final ainda não foi definido pela Conmebol




A decisão da Libertadores entre River Plate e Boca Juniors não será disputada na Argentina. A Conmebol lançou comunicado oficial nesta terça-feira (27) para informar aos dois clubes da decisão tomada pela cúpula da confederação sul-americana.
A entidade alega que, pelo regulamento, o jogo deve sair do país caso os organizadores do evento não consigam garantir segurança. No último sábado (24), o ônibus do Boca Juniors foi apedrejado na chegada ao estádio do River Plate, e a partida foi adiada.
Com a decisão da Conmebol, o jogo decisivo entre as duas equipes acontecerá no fim de semana dos dias 8 e 9 de dezembro, menos de uma semana antes do início da Copa do Mundo de Clubes da Fifa, nos Emirados Árabes. A entidade, no entanto, ainda não definiu onde será realizada a partida.
Nos últimos dias, algumas cidades se candidataram ao posto, de Chapecó, no interior de Santa Catarina, a Gênova, na Itália. Segundo alguns veículos de imprensa da Argentina, a maior possibilidade é que Assunção receba o jogo decisivo. A sede da Conmebol fica em Luque, na região metropolitana da capital paraguaia.
Em entrevista coletiva, o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, reforçou que a entidade não seria conivente com os problemas da segunda final. "Não se pode aceitar mais violência. Não se pode tolerar. Todos temos que colaborar se quisermos algo melhor. Não podemos permitir que se interpretem que um estádio de futebol é um lugar de violência", declarou.
Apesar da decisão da Conmebol, a partida corre risco de não acontecer. O Boca Juniors ainda briga para conseguir os pontos do jogo e, portanto, ser declarado campeão. O pedido será analisado pelo Tribunal Disciplinar da entidade.
Fonte: Máquina do Esporte

Fortaleza vê programa de sócios-torcedores disparar após título


Clube está próximo de conseguir lucro de R$ 1 milhão por mês com programa




O ano de 2018 é aquele para não sair da memória do torcedor e dos dirigentes do Fortaleza. Após 12 anos fora da primeira divisão, o time conquistou o título da Série B, o maior da história do clube justamente no ano do centenário, garantiu o retorno à Série A e, de quebra, ainda vem ganhando um retorno financeiro significativo fora de campo.
No ano que vem, de volta à elite, o objetivo é crescer ainda mais. E um dos focos principais é o programa de sócios-torcedores, que ganhou muita força este ano com a campanha histórica da equipe comandada pelo técnico Rogério Ceni.
Durante todo o ano, os bons resultados em campo mobilizaram a torcida do Leão. Os números são bastante significativos: o Fortaleza ficou, por exemplo, com o recorde de público da Série B de 2018, alcançado na partida contra o Paysandu, pela 32ª rodada.
Além disso, a média de torcida presente nos jogos do clube representou praticamente um terço do total desta edição do torneio. Para fechar, 13 dos 15 maiores públicos da Série B até a penúltima rodada foram em jogos que tiveram o Fortaleza como mandante.
“Para fazermos um grande time, é fundamental que a quantidade de sócios-torcedores seja cada vez maior. O programa vem sendo um sucesso graças ao planejamento do clube e também por conta da torcida, que abraçou o Fortaleza durante toda a caminhada em um ano tão especial como esse do centenário. Esperamos que em 2019 essa parceria entre nós e os torcedores continue crescendo”, afirmou Marcelo Paz, presidente do clube.
Fonte: Máquina do Esporte


Chelsea fecha parceria global com MSC Cruzeiros


Empresa será vista no Stamford Bridge, enquanto clube aparecerá em novo navio



O Chelsea anunciou na última sexta-feira (23) uma parceria global com a MSC Cruzeiros, empresa suíça que é líder de mercado na Europa e na América do Sul. O contrato, que entra em vigor em janeiro de 2019, não teve duração nem valores divulgados.

Pelo acordo, a MSC passará a ter visibilidade dentro do estádio Stamford Bridge, enquanto o Chelsea terá uma exposição de memorabilia (diversos objetos e fotos históricas) dentro do novo navio da empresa, o Bellissima, que entrará em funcionamento no início do ano que vem. Representantes do clube estarão presentes na cerimônia de inauguração.

"Com o lançamento iminente do novo navio, este é o momento perfeito para começar nossa parceria. Acreditamos que, trabalhando juntos, podemos ajudar a MSC a alcançar seus objetivos estratégicos localmente, no Reino Unido e na Irlanda, e também globalmente. Estamos ansiosos para colaborar com a MSC e mal podemos esperar para apresentar nossa base de fãs global a essa empresa fantástica", afirmou Chris Townsend, diretor comercial do Chelsea.
"Esta é uma excelente oportunidade para trabalhar com o respeitado e altamente bem-sucedido Chelsea, como marca e organização em geral. É parte do foco estratégico da MSC Cruzeiros no Reino Unido e na Irlanda, com os dois mercados sendo uma parte fundamental da próxima fase do nosso plano de crescimento global. O acordo também é projetado para construir uma associação de marca positiva adicional, bem como apresentar nossa experiência de cruzeiro distinta para novos públicos, tanto no Reino Unido e na Irlanda, como globalmente", concluiu Gianni Onorato, CEO da MSC Cruzeiros.


Fonte: Máquina do Esporte

"Efeito Neymar" faz escolinhas do PSG "bombarem" no Brasil


Ao todo, já são 15 unidades espalhadas por oito estados do país





A transferência mais cara da história do futebol mundial tem tido reflexos também no Brasil. Com a chegada de Neymar ao Paris Saint-Germain, o clube experimentou um crescimento significativo de fãs no país, o que, além de tudo, ajudou a aumentar o interesse de crianças e jovens nas escolinhas de futebol que levam o nome do PSG em território brasileiro.
O "efeito Neymar" pode ser medido em números. Atualmente, a PSG Academy já possui 15 unidades espalhadas por oito estados diferentes (Barra BNDES, Barra EARJ, Botafogo, Caiçaras e Gávea (RJ); Guarulhos, Pompeia e Sumaré (SP); Porto Alegre e Vale dos Sinos (RS); Brasília (DF); Villas (BA); Vitória (ES); Recife (PE); e Natal (RN).
Atualmente, já são cerca de 3.700 alunos entre 5 e 17 anos matriculados, e o número tende crescer cada vez mais. Isso porque as unidades de Vitória (ES) e Sumaré (SP) foram recém-inauguradas e já há novidades a caminho: Natal (RN) ganhará mais uma unidade no início de 2019, e Fortaleza (CE) também entrará para a lista.
Para se ter uma ideia, antes de Neymar deixar o Barcelona para jogar pelo clube francês, eram apenas quatro unidades e cerca de 800 alunos. Isso significa que, desde agosto de 2017, quando o atacante chegou ao PSG, já foram inauguradas outras 11 unidades e o número de alunos quase quintuplicou.
"Quando perguntamos às crianças qual é o jogador preferido delas, a resposta é uma só: Neymar. A transferência do Neymar veio no momento certo. A gente percebe um aumento. O número de atletas dobrou, e o impacto chega a ser ainda maior na procura de novos possíveis franqueados", disse François Marot, diretor de expansão da PSG Academy.
Vale lembrar que o sucesso tem sido tão grande que o clube decidiu organizar sua primeira Academy Cup no Brasil há pouco menos de um mês. Batizada de Paris Saint-Germain Academy Cup Brasil powered by Universal Orlando Resort TM, a competição teve a participação de mais de 700 jovens, de 7 a 13 anos e de várias partes do Brasil.
A competição inédita e festiva foi disputada entre 30 de outubro e 2 de novembro no Rio de Janeiro, com final no Maracanã, e contou com as presenças de dois ídolos do clube francês, os brasileiros Raí e Maxwell.
Fonte: Máquina do Esporte

Novas receitas viram desafio para campeão Palmeira

Principal questão é deixar de depender tanto do patrocínio da Crefisa





O Palmeiras deverá liderar a lista de times mais ricos do Brasil nesta temporada, após conquistar mais um título brasileiro. Estádio moderno, bilheterias altas e patrocínios fortes formam o momento único em que vive o time paulista. Agora, o clube terá que olhar para o futuro para manter o domínio no futebol brasileiro, na busca por novas receitas e maior sustentabilidade possível. Neste século, os dois principais rivais do time, Corinthians e São Paulo, já estiveram em situação idêntica e fracassaram na missão.
O principal desafio está na dependência em relação à Crefisa. Hoje, o grupo de Leila Pereira é responsável por quase R$ 100 milhões anuais, o que representou mais de 20% da receita do clube em 2017. E o problema é que o Palmeiras não tem conseguido novos parceiros fortes sem a exposição no uniforme. Hoje, com a exceção de contratos menores, o clube tem apenas a empresa e a Adidas como parceiros comerciais.
Outro desafio do Palmeiras é manter o crescimento do sócio-torcedor, um projeto que parece ter chegado ao seu limite. Hoje, o clube é um dos líderes do segmento, tanto em número de associados quanto em faturamento. O crescimento, por outro lado, parece ter ficado para trás. Segundo o Movimento por um Futebol Melhor, a equipe tem 130 mil membros, número levemente superior ao de 2017, em temporada em que o time não conquistou nenhum título.
Por outro lado, com a boa fase dentro de campo, o Palmeiras tem aproveitado para vender mais produtos licenciados. Segundo a Meltex Franchising, a loja do time dentro do Allianz Parque apresentou um crescimento de 40% dos artigos vendidos na reta final do Campeonato Brasileiro deste ano.
A Meltex, que administra as lojas do clube paulista, coloca três fatores primordiais para o crescimento, além do bom momento vivido pelo time. Proximidade do Natal e aumento da oferta de produtos são dois desses pilares. O terceiro está no fechamento das ruas do entorno do Allianz Parque. Segundo a empresa, a medida diminuiu a venda de produtos piratas ao redor da arena e focou o consumo dos torcedores para a loja oficial do Palmeiras, dentro da estrutura da agremiação.
O desafio de se manter no topo parece mais simples do que é. No início da década, o Corinthians era o time mais rico, com a generosa parceria da Hypermarcas. Nos anos 2000, o São Paulo estava na vanguarda do licenciamento de marca. Ambos eram os mais ricos, e hoje perdem o posto para o atual campeão brasileiro.
Fonte: Máquina do Esporte

Flamengo firma parceria com Magnus para escolinhas de futebol


Uniformes das "Escolinhas Fla" estamparão logotipo da empresa a partir de 2019


A Magnus, fabricante de alimentos para cães e gatos, anunciou nesta segunda-feira (26) uma parceria com as "Escolinhas Fla", as escolinhas de futebol oficiais do Flamengo. A ação faz parte do projeto "Magnus Esporte", que tem como principal objetivo promover a transformação das pessoas por meio do esporte.


Pelo acordo, a Magnus apoiará as 130 unidades das escolinhas do clube carioca que estão espalhadas por 22 estados do Brasil e contam, ao todo, com cerca de 14.600 crianças e jovens. A empresa terá seu logotipo estampado nos uniformes utilizados pelos alunos e ainda contará com duas placas de campo na "Copa Fla", competição oficial de categorias de base promovida pelo Flamengo.


Com aulas dinâmicas e recreativas, as escolinhas ajudam no desenvolvimento da capacidade motora dos alunos e, a médio e longo prazo servem para promover inclusão social e ainda gerar oportunidades futuras.


"É uma grande honra para nós da Magnus fazer parte da história de um dos times mais conhecidos do país. Unimos nossas forças para poder criar uma rede de oportunidades para crianças e adolescentes que estão em busca de um sonho", afirmou Rodrigo Luporini, coordenador de marketing esportivo da Magnus.
Vale ressaltar que a parceria enaltece o compromisso cada vez maior da marca em apoiar o esporte nacional. No futsal, a empresa dá nome a um time, o Magnus Futsal, que fica em Sorocaba (SP).Além disso, a ma atl: rca, ligada ao grupo Adimax Pet, tem o logotipo estampado no lado direito do peito da camisa do Jaraguá Futsal, patrocina o Corinthians e também as categorias de base do Santos. Por último, por meio de Falcão, principal astro do Magnus Futsal, a empresa ainda fez um aporte à seleção brasileira da modalidade. 


Ídolo do Liverpool, Gerrard "fecha" parceria para o Rangers


Clube escocês, que tem ex-jogador como técnico, assinou com Liverpool Gin




Um negócio raro no mundo do futebol foi anunciado pelo Rangers na última sexta-feira (23). O clube escocês conseguiu fechar um patrocínio não por conta de algum atleta de destaque ou por um novo estádio ou por causa de qualquer outra coisa. O motivo foi o técnico do clube, o inglês Steven Gerrard. Um dos maiores ídolos da história do Liverpool foi quem inspirou a marca Liverpool Gin a se tornar parceira oficial de gin do Rangers.
Pelo acordo, a marca de propriedade da Halewood Wine & Spirits será disponibilizada em todos os bares e restaurantes do Ibrox Stadium, onde o Rangers manda seus jogos pela Liga Escocesa e também por torneios europeus. A Liverpool Gin ainda terá visibilidade em dois grandes telões presentes no estádio.
Além disso, será produzida uma versão especial do gin, que será batizada de "Rangers Gin", em homenagem justamente ao ídolo da cidade dos Beatles, Steven Gerrard. O atual técnico do Rangers, que jogou nos Reds de 1998 a 2015, cresceu na área de Huyton, bem perto de onde o gin orgânico é destilado. O produto especial será oferecido aos adversários do Rangers após os jogos da Liga Europa na temporada 2018/2019.
"Parceiros oficiais são importantes para o sucesso do clube, e é ótimo ver uma marca tão famosa e premiada de Liverpool se juntar a nós em Ibrox. Ter crescido a apenas uma milha de onde o gin é produzido torna essa parceria particularmente especial para mim", declarou Gerrard.
"Esta nova parceria está enraizada nas fortes conexões existentes entre o Rangers e o Liverpool. Por estas razões, o Rangers é uma escolha óbvia e autêntica como um parceiro que nos ajudará a promover o Liverpool Gin nacional e internacionalmente", afirmou John Kennedy, superintendente comercial da Halewood Wine & Spirits.


Paris Saint-Germain renova patrocínio com Coca-Cola até 2021


Relacionamento entre clube francês e marca americana teve início há 20 anos



O Paris Saint-Germain anunciou nesta segunda-feira (26) a renovação do patrocínio da Coca-Cola. Juntos há 20 anos, o clube francês e a marca americana assinaram um novo acordo até 2021, o que mantém a fabricante de refrigerantes como fornecedora oficial de bebidas do clube por mais três anos. Os valores não foram divulgados.
Pelo contrato, as duas partes trabalharão em conjunto para oferecer promoções e experiências para os torcedores do clube e fãs de futebol em geral. A Coca-Cola também continuará se beneficiando da exposição da marca em todos os ativos do PSG.
"Temos muito orgulho de ser um dos parceiros históricos do PSG e de renovar nosso compromisso com o clube. O Paris Saint-Germain é o clube favorito da França e um dos mais famosos do mundo. Com ele, estamos sempre muito perto dos nossos consumidores. Amamos Paris, seu prestigiado clube e seus apoiadores, então essa associação é muito importante para a Coca-Cola", afirmou François Gay Bellile, presidente da Coca-Cola na França.
"O Paris Saint-Germain e a Coca-Cola escreveram uma história emocionante junto aos fãs. Nossas marcas estão intimamente relacionadas e representam dois ícones da cultura contemporânea. Juntos, trabalharemos para reunir todos aqueles que amam o clube e oferecer-lhes experiências ainda mais excepcionais com o Paris Saint-Germain", disse Jean-Claude Blanc, vice-diretor executivo do clube francês.
Vale ressaltar que a Coca-Cola permanece sem o direito de estampar nenhuma parte do uniforme do PSG. A renovação com a marca americana surge no momento em que o clube lida com as especulações de que seu patrocinador máster, a Emirates, não renovará o contrato para a próxima temporada e pode ser substituída por outra companhia aérea, a Qatar Airways.
Fonte: Máquina do Esporte


ARSENAL INSTALA NOVO SISTEMA DE ENERGIA PARA REDUZIR EMISSÃO DE CARBONO

A novidade permitirá que 80% do uso diário de energia do Emirates Stadium seja reciclado






O Arsenal agora será capaz de reciclar eletricidade suficiente para abastecer seus complexos esportivos após instalar um sistema de armazenamento de bateria de 3MWh (megawatt-hora) no Emirates Stadium.

Fruto de uma parceria firmada com a Pivot Power, com sede no Reino Unido, a unidade foi projetada para atender aos picos de consumo de energia e armazena quantidade suficiente para operar o estádio dos gunnerspor 90 minutos (o mesmo que alimentar 2.7 mil residências por duas horas).

“Este é um grande passo adiante para sermos eficientes com o uso de energia, e construindo nosso trabalho na redução de nossa emissão carbono como uma organização”, disse a diretora-gerente do Arsenal, Vinai Venkatesham. “Trabalhos em prol da ‘energia verde’ desde 2017 graças a Octopus Energy, e o sistema de armazenamento de baterias apoiará nossos esforços ainda mais”, completou.

A novidade permitirá que 80% do uso diário de energia do clube seja reciclado, facilitado pelo novo fornecedor de energia do Arsenal, a Octopus Energy. Desde a mudança de fornecedor, o clube instalou holofotes LED para ajudar a reduzir o consumo de energia em 30%, economizando emissões de carbono suficientes para lotar o Emirates Stadium quase quatro vezes.

LEILA PEREIRA ANUNCIA RENOVAÇÃO DE CONTRATO DA CREFISA COM O PALMEIRAS


Logo após o clube sagrar-se campeão Brasileiro, executiva confirmou a ampliação da parceria por mais três anos


Quando o elenco do Palmeiras ainda comemorava o título do Campeonato Brasileiro no gramado do estádio de São Januário, Leila Pereira, dona da Crefisa, confirmava que iria renovar o contrato de patrocínio ao clube por mais três anos. Durante a entrevista, a executiva exaltou os títulos recentes conquistados pelo clube para dizer que a parceria era de “extremo sucesso”.


“Sem dúvida nenhuma. Vamos renovar novamente agora com o presidente Mauricio, por mais três anos. Está certíssimo”, disse a mandatária da empresa.

A renovação está diretamente relacionada com a reeleição do presidente Maurício Galiotte, que venceu as eleições para seguir no comando do clube no fim de semana. Desde o início da gestão, a executiva e o dirigente são muito próximos.

“É uma felicidade imensa, é uma honra eu poder ser parceira do maior campeão do Brasil. Nessa era Crefisa, em quatro anos de patrocínio, fomos três vezes campeões nacionais: 2015, campeão da Copa do Brasil, 2016, campeão brasileiro, e 2018, campeões brasileiros novamente. Isso é uma parceria de extremo sucesso, me dá muita honra”, completou.

Durante as eleições, a oposição do Palmeiras afirmava que, se eleita, anunciaria um patrocínio que pagaria ainda mais ao time. Com Galiotte, Leila ganhou força nos bastidores do clube e se tornou conselheira dentro do Palmeiras, algo que desagradou alguns dos dirigentes da equipe.

Ainda sem confirmar valores, a tendência é que a Crefisa mantenha o investimento de R$ 78 milhões por temporada, em acordo que contempla exclusividade no uniforme palmeirense. Além da Crefisa, a FAM, a instituição que faz parte do mesmo grupo, desfruta de exposição.

Fonte: MKT  Esportivo



COM AÇÃO NA BLACK FRIDAY, PLANO DE SÓCIO-TORCEDOR DO FLAMENGO CRESCE 40%


‘Onde Estiver’ teve desconto agressivo, de 81%, e campanha deu ótimos resultados para o clube






Flamengo segue buscando se aproximar mais de seus torcedores de fora do Rio de Janeiro. Depois de criar um plano de sócio-torcedor exclusivo para os chamados “off-Rio” e realizar ações de marketing restritas a quem não mora no estado, o Rubro-Negro usou a Black Friday para atrair ainda mais esse público.

Na última semana, o Programa Nação Rubro-Negra teve uma série de ofertas especiais, e a que foi mais bem sucedida foi um desconto agressivo, de 81%, para novas adesões ao plano Onde Estiver. Normalmente, ele custa R$ 29,90 mensais. Nos dias da promoção, saiu por cerca de R$ 6 por mês.

A campanha deu ótimos resultados. A base de torcedores do plano cresceu em 40% nesse período. Isso ajuda a reforçar ainda mais um dado fundamental para demonstrar a presença nacional do Flamengo: mais de 20% dos cerca de 100 mil associados ativos do Nação Rubro-Negra não moram no Rio de Janeiro.

Todos esses sócios têm direito a um cartão-ingresso, acesso à rede de descontos, sistema de fidelidade para resgate de experiências e produtos, além de descontos em ingressos e lojas oficiais. Além disso, podem participar da ação exclusiva Nação Te Leva, que sorteia um rubro-negro de fora do Rio para ir a uma partida no Maracanã com acompanhante e tudo pago (passagens, hospedagem e ingressos).

Fonte: MKT  Esportivo

sábado, 24 de novembro de 2018

Bayern de Munique celebra receita recorde de € 657,4 milhões


Desde que clube se tornou sociedade anônima em 2002, faturamento subiu 355%




O Bayern de Munique anunciou nesta quinta-feira (22) os dados financeiros relativos ao ano fiscal de 2017/2018. E o clube, mais uma vez, bateu seu próprio recorde: alcançou uma receita total de € 657,4 milhões, € 16,9 milhões a mais que no ano anterior.

De acordo com o relatório divulgado pelo clube alemão, após os impostos, o lucro líquido totalizou € 29,5 milhões. Os números combinam os ganhos da empresa Bayern de Munique AG com os do Bayern de Munique Group, que inclui todas as subsidiárias.
“Além do sucesso esportivo da temporada passada, em que vencemos a Bundesliga e alcançamos as semifinais da Liga dos Campeões, estes resultados são a prova de que o FC Bayern também teve um bom ano financeiro, o que nos deixa muito satisfeitos com o presente e o futuro”, afirmou Karl-Heinz Rummenigge, presidente do clube alemão.
Vale ressaltar que, desde que o Bayern de Munique se tornou uma sociedade anônima em 2002, registrou um aumento de 355% em suas receitas: saltou de € 176 milhões para € 624 milhões em 16 anos.
Fonte: Máquina do Esporte

Juventus fará ação nos EUA com Brooklyn Nets, NBA e Barclays Center


Ginásio de franquia da NBA será todo adornado com marca do clube italiano



Uma ação inédita e inusitada vai marcar o clássico entre Juventus e Inter de Milão pela Serie A italiana no próximo dia 7 de dezembro. Mas absolutamente nada de diferente será feito no Allianz Stadium, local do jogo em Turim. Toda a ação vai se passar muito longe dali, em Nova York, em pleno Barclays Center, como uma prévia do jogo entre Brooklyn Nets e Toronto Raptors, válido pela temporada regular da NBA.

O ginásio do Nets receberá a "Juventus Night", uma verdadeira festa da equipe de Turim em plena cidade americana. Todo o ginásio será decorado com a marca da Juventus, inclusive a iluminação externa, e tudo em preto e branco, cores tanto do time de futebol italiano como do time de basquete americano.
Os torcedores que forem ao Barclays Center poderão assistir ao clássico italiano nos telões do ginásio e ainda contarão com as presenças do francês David Trezeguet, ex-atacante e atual embaixador da Vecchia Signora, e da mascote do time de Turim, Jay.
Os dois estarão em um camarote e terão a missão de interagir com os torcedores do Nets. Os visitantes poderão cumprimentar, conversar e tirar fotos com Trezeguet e Jay, além de ver de perto alguns dos troféus mais importantes da história da Juventus que estarão em exibição.
Esta será a primeira vez que uma equipe de futebol da Itália faz uma ação em colaboração com uma franquia da NBA no próprio dia em que ambas entrarão em campo/quadra.
Os fãs que comprarem ingresso receberão um pacote especial que inclui, além do acesso às experiências descritas, um cachecol alusivo ao evento e a chance de participar de sorteios de brindes assinados por jogadores da Juve e até uma viagem a Turim para assistir a uma partida do clube italiano. Os ingressos já estão à venda, com o preço variando entre US$ 50 e US$ 140.
Fonte: Máquina do Esporte



Qatar Airways pode substituir Emirates em aporte máster do PSG


Clube francês anunciou que quer € 80 milhões, o que provocará saída da Emirates



Desde o início de agosto, quando o Paris Saint-Germain anunciou que quer um acordo máster de € 80 milhões por temporada a partir de 2019/2020, a Emirates deixou claro que sairia da camisa do clube que patrocina desde 2006 por não concordar com o valor. A partir daí, muitas especulações surgiram na imprensa europeia sobre qual seria a empresa disposta a desembolsar tanto dinheiro. Agora, no entanto, outra empresa aérea parece ganhar terreno para estampar seu nome no peito de Neymar e companhia.
Uma reportagem do jornal francês "Le Tribune" trouxe uma declaração do CEO da Qatar Airways, Akbal al-Baker, em que o mandatário dá a entender que o PSG poderia, sim, substituir uma companhia aérea por outra na camisa. “Sim. Tenho certeza de que estaríamos interessados se a oportunidade se apresentasse”, afirmou al-Baker.
De acordo com a publicação, há dois entraves em um possível negócio. O primeiro é a questão financeira. Para se ter uma ideia de quanto o PSG quer aumentar sua receita com o aporte máster, a Emirates paga atualmente cerca de € 27 milhões por temporada ao clube. O valor estipulado em agosto é o triplo disso.
Como relação ao assunto, o CEO da Qatar Airways foi enfático ao dizer que se trata de “um problema que podemos obviamente negociar e resolver”.
Já o outro pode ser um pouco mais complicado de suplantar. Um acordo com a companhia aérea qatariana poderia levantar suspeitas junto à Uefa, órgão que rege o futebol europeu, devido aos laços de propriedade do clube com o país árabe. Atualmente, o dono do PSG é o qatariano Nasser Al-Khelaifi.
Segundo o site britânico "SportsPro Media", isso é especialmente pertinente pelo fato de o clube francês estar sob olhares atentos do Fair Play Financeiro (FFP) da Uefa por conta de suas transações econômicas. O PSG é acusado de supervalorizar acordos de patrocínio para ajudar a cumprir as regras do FFP, que exigem que os clubes equilibrem os gastos com suas receitas.
Os documentos divulgados pela revista alemã "Der Spiegel" que foram vazados pela plataforma "Football Leaks" afirmam ainda que o clube negociou com o atual presidente Fifa, Gianni Infantino, que era então secretário geral da Uefa, para concordar com a redução de punições por violações de FFP.
A possível parceria com o PSG seria mais um passo na estratégia da Qatar Airways de internacionalizar sua marca por meio do esporte. No ano passado, a empresa assinou com a Fifa para ser a companhia aérea oficial da entidade até a Copa do Mundo de 2022, que será disputada justamente no Qatar. Já neste ano, fechou um acordo platinum com o Bayern de Munique e ainda se tornou patrocinadora máster da Roma.
O continente americano também tem sido foco da empresa. Em maio, a companhia aérea se tornou patrocinadora máster do Boca Juniors e, em outubro, chegou à NBA, com um acordo com o Brooklyn Nets e o ginásio da franquia, o Barclays Center, em Nova York, e ainda fechou para ser a companhia aérea oficial de todas as competições de clubes organizadas pela Conmebol.
Por sua vez, a Emirates também parece estar se mexendo para não deixar o futebol francês. A companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos negocia para se tornar patrocinadora máster de um dos principais rivais do Paris Saint-Germain, o Olympique de Marseille.
Fonte: Máquina do Esporte

Gatorade assina e é nova parceira oficial da Inter de Milão


Marca da PepsiCo será bebida esportiva do clube italiano por dois anos




A Inter de Milão anunciou nesta quarta-feira (21) um acordo com a marca Gatorade, bebida esportiva que faz parte do grupo PepsiCo. O contrato, que entrará em vigor imediatamente e será válido até o final da temporada 2019/2020, faz da Gatorade o isotônico oficial do clube italiano.
Com o acordo, a marca da PepsiCo avança ainda mais no cenário do futebol internacional. Entre os principais parceiros, a Gatorade tem clubes como Barcelona e Manchester City, torneios internacionais como Liga dos Campeões e Copa Libertadores, além de jogadores como Lionel Messi, Luis Suárez e Gabriel Jesus.
"Assinar esta parceria com a Internazionale, um clube que claramente avançou nos últimos anos e recentemente se classificou para a Liga dos Campeões da Uefa, nos dá uma grande satisfação. Para nós, essa parceria representa os valores compartilhados que temos em termos de determinação e um desejo de atingir metas cada vez mais ambiciosas, algo que sempre esteve intimamente associado à marca Gatorade", declarou Marcello Pincelli, CEO da PepsiCo na Itália.
"Esperamos que esta nova parceria ajude as duas organizações a avançarem rumo a um futuro cheio de sucesso", disse Giorgio Brambilla, diretor de vendas e parcerias da Inter de Milão.
Vale ressaltar que a Gatorade costuma utilizar patrocínios esportivos para divulgar o que chama de "força científica" da marca, apoiada pelo seu próprio centro de pesquisa, o Gatorade Sports Science Institute (GSSI), que estuda os efeitos da nutrição e da hidratação no corpo humano antes, durante e depois da atividade física.
O GSSI realiza estudos de pesquisa em instalações laboratoriais e também no campo de jogo para examinar as necessidades nutricionais e de hidratação dos atletas, a fim de ajudá-los a elevar saúde e desempenho aos melhores níveis possíveis.
Fonte: Máquina do Esporte

VAR mostra serviço e derruba número de simulações na LaLiga


Balanço do primeiro terço da temporada mostrou queda significativa de 66%




A arbitragem de vídeo, que ficou popular com a nome de VAR por todo o mundo do futebol, começou a mostrar os primeiros resultados concretos após gerar controvérsias com o uso na Copa do Mundo. Na LaLiga, por exemplo, o novo sistema, além de ajudar os árbitros dentro de campo, ainda parece estar mudando um pouco a cabeça dos jogadores.
Um balanço do Comitê Técnico de Árbitros (CTA) da Espanha fez um balanço do primeiro terço da temporada da LaLiga e chegou à conclusão que o número de simulações feitas por atletas caiu 66% com a implantação do VAR. Além disso, o número de protestos com a arbitragem também diminuiu cerca de 3%.
De acordo com a análise, em 120 jogos, houve 41 intervenções da arbitragem de vídeo. Com relação aos gols, dos 304 marcados, 22 tiveram algo modificado pela ação do VAR. O número de verificações (aquelas que o torcedor nem fica sabendo, mas que são discutidas entre os árbitros de vídeo) foi ainda mais significativo: 1.420 (ou seja, uma média de 12 por jogo).
"O VAR é o nosso anjo da guarda. Continuamos a nos preparar da melhor forma para as partidas, mas agora temos essa nova ajuda. Para os jogadores, também é algo novo, mas a maioria está se adaptando muito bem e muitos até agradecem", declarou o árbitro Antonio Mateu Lahoz.
"Nossa avaliação deste primeiro terço da temporada é muito positiva. O desempenho dos árbitros é considerado bastante satisfatório, tanto dentro como fora de campo, mas sabemos que ainda temos que melhorar alguns aspectos do nosso trabalho", afirmou o presidente do CTA, Carlos Velasco Carvallo.
O Comitê também fez questão de analisar números com relação ao assunto mais comentado por aqueles que são contra a arbitragem de vídeo: o tempo em que o jogo precisa ficar parado. Segundo o balanço, cada revisão feita pelo VAR dura, em média, 1 minuto e 43 segundos.
Apesar de ser considerado um tempo relativamente curto pela maioria dos árbitros espanhóis, este ainda é um motivo de críticas por parte de alguns especialistas e torcedores. No entanto, o CAT já revelou que o número é o próximo que os árbitros de vídeo esperam derrubar até o final da temporada.
Fonte: Máquina do Esporte


Real Madrid fecha patrocínio regional com banco chinês


Primeira ativação da parceria foi a criação de cartões de crédito personalizados




Assim como muitos dos grandes clubes de futebol do planeta, o Real Madrid está cada vez mais de olho no incipiente mercado asiático. O clube espanhol anunciou nesta quarta-feira (21) um novo patrocínio regional específico para a China. A parceria será com o banco China Citic Bank.

O evento para a assinatura do contrato foi realizado em Pequim e contou com as presenças de Emilio Butragueño, ex-jogador e atual diretor de relações institucionais do clube, e Roberto Carlos, ex-lateral e um dos maiores ídolos da história madrilena. A instituição financeira foi representada por seu vice-presidente, Guo Danghuai.
"A China está entre os mercados mais importantes para o Real Madrid. Sempre nos comprometemos com uma melhor comunicação e interação com nossos fãs em todo o mundo e aqui nunca seria diferente", afirmou Butragueño.
A primeira ativação da parceria já anunciada foi a criação de cartões de crédito personalizados, mas a promessa é que muitas outras serão divulgadas em breve. Os valores e a duração exata do contrato não foram revelados, mas a imprensa espanhola especula que o acordo deve girar em torno de € 2 milhões anuais.
Esta é a primeira vez que o Real Madrid fecha um acordo desse tipo na China, país que tem sido alvo de muitos grandes clubes nos últimos anos. O próprio clube merengue já havia dado um primeiro passo em território chinês ao promover o futebol por meio da escolinha de futebol de uma universidade. Há ainda um acordo para que os madrilenhos construam um parque temático no país nos próximos anos.
A estratégia de fechar parcerias regionais, no entanto, já é antiga pelos lados do Santiago Bernabéu. Agora, além da China, o Real Madrid ainda possui patrocinadores regionais em outros quatro países: CaixaBank, Coca-Cola, Codere, Sanitas e Solán de Cabras (Espanha), Saudi Telecom Company (Arábia Saudita), e as cervejarias Tecate (México) e Star (Nigéria).
Fonte: Máquina do Esporte



CONTRA GASTOS “IRRACIONAIS”, FUTEBOL CHINÊS PLANEJA IMPOR LIMITE SALARIAL


Medida valerá para as principais divisões do país a partir da próxima temporada



A Associação Chinesa de Futebol (CFA) deve estabelecer um limite de bonificação salarial na Chinese SuperLeague (CSL) e nas demais ligas profissionais do país a partir de 2019.


Segundo a agência de notícias Xinhua, a entidade criará novos regulamentos financeiros para reduzir os gastos tidos como “irracionais” e promover o desenvolvimento sustentável. 

Além do principal torneio de futebol do país, a novidade contemplará também a China League One e a China League Two.

Os jogadores chineses terão que necessariamente assinar novos contratos quando os novos regulamentos forem introduzidos. Caberá aos clubes decidirem, juntos, um limite de bonificação antes da temporada iniciar. O que se sabe, no entanto, é que o bônus em dinheiro não será permitido.

Em 2017, a CFA introduziu uma taxa que estipulou que qualquer clube que compre um jogador estrangeiro por mais de ¥ 45 milhões (ou US$ 6.5 milhões), ou um chinês cuja taxa de transferência seja superior a ¥ 20 mi, terá que pagar a mesma quantia para a Federação Chinesa. Desde 2018, existe também uma cláusula que equipes com déficit que realizarem uma negociação terão que dedicar um valor equivalente para um fundo governamental, destinado a formação de novos atletas chineses e promoção do futebol do país.

Além disso, desde o ano passado, a obrigatoriedade das equipes das duas divisões nacionais e participantes da Copa da China de relacionar o mesmo número de jogadores sub-23 e estrangeiros em seus jogos.

Quem não ficou nada satisfeita com a medida foi a China Sports Media, detentora dos direitos de transmissão da Chinese Super League. Segundo o grupo de mídia, tais medidas prejudicarão um retorno sobre seu investimento de ¥ 8 bilhões nos direitos globais da liga.

Fonte: MKT Esportivo