Cabeçalho

Logotipo

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Apesar dos erros na Copa, manutenção de Tite é um dos caminhos para o hexa


Por: Rodrigo Borsaro

Tite errou. Marcelo, Fernandinho, Paulinho e muitos outros também erraram. E o Brasil foi eliminado. De quem é a culpa? Será que vale achar um culpado e crucificá-lo, como foi feito em 2010 com Dunga e Felipe Melo? O que devemos fazer para o hexa vir em 2022? Bom, o primeiro passo é a manutenção de Tite. Apesar de ter errado é o melhor treinador brasileiro e agora ele terá tempo para trabalhar (para Copa de 2018, ele só teve dois anos). Segundo passo é preparar a renovação.

No ataque provavelmente teremos Paulinho, ex-Vasco, Vinicius Júnior, ex-Flamengo e Rodrygo, ex-Santos, três dos jovens jogadores que já foram vendidos para Europa e devem brigar pela vaga de Taison que não é unanimidade e já tem 30 anos. Firmino (26), William e Douglas (27) são possíveis opções com tem idade para disputar mais uma Copa. Já Neymar e Coutinho são intocáveis e estarão em 2022. Gabriel Jesus, apesar de questionado em 2018 tem 21 anos e ganhará muita experiência até a próxima Copa.
No meio também teremos mudanças a altura da expectativa que temos da seleção: o volante Douglas Luiz, ex-Vasco, atualmente no Manchester City e Arthur, ex-Grêmio, vendido ao Barcelona devem assumir as vagas de Paulinho (29) e Fernandinho (33). Outro que deve deixar a seleção pela idade é o Renato Augusto (30) dando lugar a grande promessa que é Lucas Paquetá do Flamengo. Fred que apesar de jovem, não é unanimidade para torcida mas corre por fora.

Tanto no meio como no ataque teremos mudanças positivas, mas na defesa não temos muitos nomes se destacando. Dos quatro zagueiros, três já tem mais de 30 anos: Thiago Silva e Miranda com 33 e Geromel com 32, dificilmente mais de um deles estará jogando em alto nível até 2022. Prova dessa escassez é que nas Olimpíadas de 2016, o técnico Rogério Micale convocou apenas três zagueiros. Além de Marquinhos que será titular em 2022, os escolhidos foram Luan que é reserva no Palmeiras e Rodrigo Caio que vive de lesões. Ou seja, as duas vagas que faltam para zagueiros estão muito abertas.

As laterais também preocupam muito. Daniel Alves já tem 35 anos, e Danilo e Fagner ao meu ver não estão a altura de vestir a amarelinha. Nesse cenário surge Fabinho do Mônaco que vem atuando como meia atualmente. Na esquerda, Filipe Luis, com 32 não deve ser reaproveitado e Marcelo com 30 não sabemos se vai durar muito. Quais opções nós temos para 2022? Alex Sandro que chegou a ser convocado por Tite algumas vezes tem 27 anos e deve ser o futuro titular da posição. Outra opção é o ex-flamenguista Jorge, atualmente no Monaco, mas ele ainda tem 22 anos e muita coisa pode acontecer.

Em terra de Pelé, Garricha, Romário e Ronaldo nunca precisou se preocupar tanto com a defesa, mas agora que o futebol se tornou mais coletivo e forte fisicamente, o Brasil precisa se preocupar mais em formar novos defensores.

0 comentários :

Postar um comentário