Cabeçalho

Logotipo

segunda-feira, 23 de julho de 2018

EM VÍDEO, NIKE CRAVA CHINA COMO POTÊNCIA E SURGIMENTO DE UM NOVO CR7 EM 2033


Marca norte-americana antecipa objetivo do país asiático de se tornar uma superpotência do futebol em 2050


China tem um plano ambicioso para se tornar uma superpotência do futebol em 2050. Para atingir este objetivo, o país deve envolver não somente grandes investidores e uma liga local fortalecida, mas transformar a atual visão da indústria de que o país poderá chegar ao patamar desejado.


Neste sentido, a Nike, patrocinadora principal da seleção chinesa e da Chinese Super League, resolveu arriscar que o país será, de fato, a próxima grande potência do esporte do futuro. Diferentemente do que acredita o governo chinês, a gigante norte-americana acredita que isso irá acontecer em 2033, ano que uma espécie de ‘Cristiano Ronaldo chinês‘ irá surgir e colocar a China no centro do mundo do futebol.

Após uma viagem ao futuro, o vídeo retorna ao presente e detalha a preparação de jovens jogadores de olho no futuro da modalidade no país. Quem assina a campanha é a chinesa Wieden & Kennedy Shanghai, que detalha o planejamento por trás da criação. “Nós vimos esta campanha como uma oportunidade de fazer uma declaração e iniciar uma conversa sobre o futebol na China” comentaram Skibiak e Dong Hao, diretores criativos da W&K Matt, em entrevista ao portal Ad Age. “Por que a China não pode ser grande? Este filme está claramente do lado dos atletas que acreditam que ela pode ser. Porque se ninguém está disposto a imaginar que isso pode ser possível, eles nunca vão chegar lá na vida real”, completaram.

A Copa do Mundo 2018 mostrou o forte interesse da China em ser sinônimo de futebol no futuro. Prova disso é que o país asiático foi representado pelo Grupo Wanda, como parceiro da FIFA, além de HisenseMengniu e Vivo com contratos fechados somente para a Rússia. A Yadea é a única que ocupou a categoria regional. Ao lado do país-sede, a China contou com o maior número de aportes.

Somando os investimentos, ela correspondeu a US$ 835 milhões do faturamento, ou um terço de toda a arrecadação com patrocínios do torneio. O número é fruto de uma pesquisa feita pela especializada Zenith Group, que levantou detalhes a respeito de todos os parceiros envolvidos no Mundial. Em 2010, os asiáticos foram representados por apenas uma marca, a Yingli Green Energy.

Fonte: MKT Esportivo



0 comentários :

Postar um comentário