Cabeçalho

Logotipo

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Patrocínios da Premier League passam de US$ 473 milhões e batem recorde


Enquanto United e City lideram, Arsenal, Liverpool e Chelsea aumentaram receitas



Não é novidade para ninguém que a Premier League é o torneio nacional que mais movimenta dinheiro no futebol europeu. Em 2018, no entanto, esse status chegará a um patamar nunca antes alcançado. Os patrocínios nas camisas dos 20 clubes que disputarão a temporada 2018/2019 chegaram a US$ 473,1 milhões e bateram recorde histórico. Os números são de um relatório da revista esportiva on-line Sporting Intelligence e não incluem os contratos com os fornecedores de material esportivo.
De acordo com o relatório, US$ 412,5 milhões dos US$ 473,1 milhões são gerados pelo patrocínio máster de cada time. O resto (US$ 60,6 milhões) vem dos aportes fechados para a manga esquerda dos clubes, já que a direita é estampada pela marca da própria Premier League.
Entre os clubes, mais uma vez o líder é o Manchester United. O clube receberá um valor recorde de US$ 60,8 milhões da Chevrolet, montadora que é a principal patrocinadora dos Red Devils. Logo atrás vem o rival da cidade, o Manchester City, que terá US$ 58,2 milhões vindos da companhia aérea Etihad Airways.
Alguns dos principais rivais dos clubes de Manchester ganharam força para a temporada. O Liverpool renovou com o banco Standard Chartered por US$ 51,7 milhões, mesmo valor alcançado pelo Arsenal na renovação com a companhia aérea Emirates e pelo Chelsea com a fabricante de pneus Yokohama Tyres.
Os menores contratos de patrocínio máster entre os 20 clubes ficam por conta de Huddersfield e Brighton, que receberão “apenas” US$ 1,95 milhões de Ope Sports e American Express, respectivamente, o que mostra a enorme diferença entre os times de maior investimento e os de menor investimento da Premier League.
Para se ter uma ideia, o valor arrecadado pelos patrocínios principais nas 20 camisas aumentou US$ 41,1 milhões em relação à temporada passada. Se a comparação for com a temporada 2010/2011, apenas oito anos atrás, por exemplo, a diferença salta aos olhos: de US$ 129,9 milhões à época, o valor mais do que triplicou para chegar aos atuais US$ 473,1 milhões.
Outro detalhe que chama atenção é como empresas estrangeiras consideram importante ter suas marcas expostas nos clubes do principal campeonato nacional de clubes de futebol do mundo. Entre as 20 equipes, apenas três têm acordos com patrocinadores britânicos: Liverpool, Southampton e Watford.
Além disso, nove times, ou seja, quase metade da tabela, estampará marcas de empresas de apostas on-line como patrocinadores principais. O fato ocorre apesar da decisão da Federação Inglesa, a FA, de suspender todos os acordos de patrocínio com empresas do ramo no ano passado.
Fonte: Máquina do Esporte

0 comentários :

Postar um comentário